origem

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Análise aos Adversários do Benfica na Liga Europa - Everton

Colaboração valiosa de Rui Malheiro que comenta assim o sorteio:
não foi um sorteio simpático para o Benfica, que, no entanto, é favorito a conquistar um dos dois primeiros lugares do grupo.

Everton FC:

5º classificado nas duas últimas épocas da Premier League, não entrou bem na nova temporada: duas derrotas – uma delas uma pesada derrota caseira diante do Arsenal (1-6) – nos dois primeiros jogos da Liga.
A chegada à fase de grupos da Taça UEFA foi conquistada, à semelhança do Benfica, graças a uma goleada caseira: 4-0 ao Sigma Olomouc, a que se seguiu um empate na República Checa. De referir que o plantel sofreu poucas alterações em relação ao da última temporada, sendo que a principal foi a do defesa Lescott, contratado no início desta semana pelo Manchester City.
Os dois principais reforços para a nova época – o médio centro argentino Banega e o médio ala/ofensivo russo Bilyaletdinov ainda não se estrearam.
Em termos tácticos, David Moyes alterna a utilização de um 4x2x3x1 ou 4x4x1x1 com o 4x4x2 clássico.
Quanto a jogadores destaco o Tim Cahill, versátil médio ofensivo australiano, como também os médios Fellaini e Arteta. No ataque, o goleador nigeriano Yakubu ainda recupera de uma grave lesão, o que abriu as portas da titularidade ao francês Saha e ao brasileiro .

2 comentários:

  1. Grande jogo em perspectiva. Foi um dos meus pedidos (Celtic ou Everton), a par do Bilbao ou Génova :)

    ResponderEliminar
  2. De facto, o sorteio não foi nada favorável. Apesar de tradicionalmente o Benfica dar-se bem com equipas inglesas, este Everton tem bons executantes como o nº 10, o espanhol estratega Arteta, um guardião excelente e experiente, Tim Howard, um médio implacável, Phil Neville, uma avançado experiente, Saha, companheiro do irreverente brasileiro Jo. Ainda referir a linha do meio campo com homens como Cahill e o belga Fellaini. Parece que Distin, forte defesa francês, ex-Portsmouth, assinou à ultima da hora.
    Quanto ao AEK, tem poucos nomes sonantes, excepção feita ao avançado Djebbour, cobiçado no passado pelo Benfica, Juan Fran, longe dos tempos áureos do Valência e do Celta de Vigo e o irmão do caceteiro, Bruno Alves, Geraldo, que também não deixa de ser caceteiro apesar de ter jogado no Benfica. Vale sobretudo pelo experiente técnico, Bajevic, e o ambiente terrível do Estádio Olímpico de Atenas, com 70 000 fanáticos a berrarem todo o jogo.
    O Borisov é uma equipa do escalão secundário europeu e só a viagem longa à Bielorrússia e o poderio físico destes, poderão complicar a nossa tarefa.
    Poderemos vencer o grupo com o excelente plantel que temos, mas se forem os ingleses não escandalizaria ninguém.

    ResponderEliminar