origem

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O Cortejo Encarnado a Caminho do WC Visto Pela Mafalda

"São Imensos!"

A nossa passagem em dia de derby no WC origina sempre imagens e sons bonitos mas nunca tinha visto uma gravação com comentários tão bons como estes.
Embora não te conheça aqui fica um grande bem haja e obrigado por partilhares o teu bonito vídeo, Mafalda.

Convocados para Borisov

Guarda-redes: Quim, Moreira e Júlio César.

Defesas: Maxi Pereira, Roderick Miranda, Miguel Vítor, David Luiz, Shaffer e César Peixoto.

Médios: Javi Garcia, Ramires, Ruben Amorim, Pablo Aimar, Di María, Fábio Coentrão e Felipe Menezes.

Avançados: Saviola, Cardozo, Nuno Gomes, Weldon e Keirrison

Só Para Recordar...


Alegria porquê?!

Onde Estão as Agressões de Braga?! Porque é que Cardozo Foi Suspenso?!

domingo, 29 de novembro de 2009

Invasão ao WC: Fotos



sporting 0 - 0 BENFICA



O problema de jogarmos na casa destas equipas do meio da tabela é sempre o mesmo, os adeptos e jogadores empolgam-se com a presença do Benfica e mostram sempre mais do que realmente valem. Depois é complicado jogar à bola nestes estádios onde a qualidade do relvado é proporcional ao desempenho no campeonato da equipa caseira, ou seja , miserável!

Saímos do WC em 1º lugar (até ao Braga jogar, pelo menos) com 11 pontos a mais que os verdes e com a candidatura ao título perfeitamente intacta.
Era jogo para ganhar, obviamente, mas Ramires, Cardozo, Di Maira, e Ruben Amorim, não foram tão eficazes na hora de finalizar como noutros jogos.

O jogo não foi muito diferente daquele que Carvalhal já tinha feito na Luz em que também conseguiu um empate, só que desta vez jogava em casa a treinar uma equipa com um pouco mais de reputação que os madeirenses e teve que tentar procurar marcar. É que se há alguém que fica mal com este empate só pode ser o Sporting que perdeu a melhor oportunidade para reduzir (para 8!!) a distância para o líder.

A questão é que o jogo acabou e a lagartada parecia aliviada por não terem perdido e esquecem-se que estão a 11 pontos (ou mais) do 1º lugar à entrada para Dezembro. Aplaudiram a equipa e tudo. Óptimo, finalmente perceberam que não passam de uma equipa do meio da tabela.

Da nossa parte missão cumprida, apoio brutal nas bancadas, como tem sido costume desde a estreia em Guimarães, e os cânticos de despedida aos pobres adeptos da equipa que somou o seu 5º empate seguido na Liga não deixou margem para dúvidas: joguem à bola , palhaços joguem à bola e vão para a segunda...
É sempre um dia bem passado estes dias de derby no batatal do Lumiar. Mas já tivemos deslocações mais difíceis como em Braga, por exemplo.
Seguimos na frente, e como diz o Jesus, estes já estão arrumados no que diz respeito a título nacional. Como quase sempre.

sábado, 28 de novembro de 2009

8º classificado - BENFICA


Invasão ao WC: Vitórias no Lumiar - 03/04

Se o derby de despedida do antigo Alvalade acabou com uma vitória do Benfica, a estreia do novo lar dos vizinhos não teve desfecho diferente. O novo Alvalade XiXi, vulgo WC, assistiu ao primeiro derby lisboeta em 2004 num jogo de contornos parecidos com aquele famoso dos Cabeçudos em que Sabry marcou no fim. Desta vez era uma presença da Champions que estava em causa, e o Sporting tinha tudo para garantir o lugar que mais gosta de festejar, o 2º.
Ficou célebre a ponta final do jogo quando Fernando Santos mexeu na equipa e o nosso Geovani decidiu tudo com um belo pontapé fora da área na baliza do lado dos Sempre Presentes. Ricardo viu mais uma derrota da sua equipa e estourou a festa vermelha nas bancadas. Desta vez as cabeças verdes incharam tanto, mas tanto, que tiveram de invadir o relvado a seguir ao golo dando um espectáculo digno da raça dos Viscondes. Inesquecível estreia no WC.

É Hoje

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Convocados Para o Confronto com o 8º Classificado

Guarda-redes: Quim e Júlio César;

Defesas: Maxi Pereira, Sidnei, David Luiz, Miguel Vítor e César Peixoto;

Médios: Javi Garcia, Ramires, Ruben Amorim, Pablo Aimar, Fábio Coentrão, Di María e Felipe Menezes;

Avançados: Saviola, Cardozo, Nuno Gomes, Weldon e Keirrison.

Falta Pouco Para a Habitual Invasão aos Viscondes


Para o jogo no Estádio de Alvalade são esperados 40 a 45.000 espectadores, a maioria afectos ao Sporting, mas as claques do Benfica terão um acompanhamento especial numa "caixa de segurança" que sairá do Estádio da Luz.

O acompanhamento de cerca de 1200 adeptos "encarnados" será feito de forma controlada pela PSP ao longo do percurso até ao Estádio de Alvalade, naquele que é sempre um dos momentos mais delicados em questões de segurança.

"Todo o trajecto estará 'saturado' de polícias. Vamos ter os considerados necessários e suficientes para fazer o serviço (controlo da caixa de segurança)", disse o subintendente, não especificando o número de efectivos adstritos às claques.

Costa Ramos explicou que provavelmente haverá alguns condicionamentos ao trânsito na saída das claques da Luz e algum reforço policial na sua aproximação ao estádio dos "leões", onde entrarão pela porta 1.

Nessa fase, de acordo com o subintendente, os adeptos do Sporting "serão desviados para as portas 3 e 4".

Até Quando Temos Que Aturar Este Palhaço?! 2


Invasão ao WC: Vitórias no Lumiar - 02/03

No último derby que o antigo Estádio de Alvalade recebeu uma vitória simbólica do Benfica a fechar um ciclo de muitos anos.
Duas batatinhas sem resposta no adeus aquele recinto feio em Dezembro de 2002 com golos de Tiago e Zahovic.

Só uma vez nos últimos 20 anos Benfica e Sporting estiveram mais distantes antes do "derby"

Só por uma vez nos últimos 20 anos é que a diferença pontual entre Sporting e Benfica foi maior em dia de confronto entre os dois rivais de Lisboa. Na presente época, com um terço da Liga disputado, o Benfica leva 25 pontos, mais 11 que o Sporting (14), mas em 1990/91, a distância era de 12 no dia do derby. A diferença entre as duas épocas é que enquanto amanhã o Sporting-Benfica vai ser um dos jogos da 11.ª jornada (ainda na primeira volta), há 18 anos a liga estava quase no fim.

A 5 de Maio de 1991, o Benfica de Sven-Goran Eriksson recebeu o Sporting no Estádio da Luz em jogo a contar para a ronda 35 com a maior vantagem das últimas duas décadas. Numa época em que a vitória ainda valia dois pontos (passou a valer três pontos a partir de 1995/96) e o campeonato tinha 20 equipas (agora tem 16), os "encarnados" sagraram-se campeões, enquanto o Sporting se ficou pelo terceiro lugar, a 13 pontos do primeiro.

Passados 18 anos, o cenário volta a ser muito vantajoso para os benfiquistas, que estão no topo da classificação, em igualdade pontual com o Sp. Braga, tendo apenas perdido cinco pontos (empate com o Marítimo e derrota em Braga), enquanto os "leões" conquistaram menos de metade (14) dos pontos possíveis (30) neste primeiro terço de época.

A diferença de 11 pontos que se regista agora antes de um derby só se verificou por mais duas vezes nos últimos 20 anos: em 1999/00, antes da 33.ª jornada (Sporting 74 pontos, Benfica 63), sendo que o Sporting viria a ser campeão (treinado primeiro por Materazzi, depois por Augusto Inácio) e acabando com o jejum de 18 anos; em 2001/2002, antes da 32.ª jornada, (Sporting 70, Benfica 59), de novo com os "leões", agora orientados por Laszlo Bölöni e alimentados pelos golos de Jardel, a conquistarem o título.

A situação mais comum é Sporting e Benfica estarem relativamente perto um do outro quando se defrontam, ou mesmo em igualdade pontual. Esta situação aconteceu por seis vezes, com um exemplo que se destaca dos outros. Em 2004/05, os dois estavam empatados à 33.ª jornada (61 pontos), com o Sporting de José Peseiro a jogar com o Benfica de Trapattoni. O Sporting era líder no desempate e tinha dali a poucos dias a final da Taça UEFA, no seu estádio, com o CSKA de Moscovo. Num lance que seria muito discutido, Luisão salta juntamente com o guarda-redes Ricardo, após livre de Petit e a bola entra na baliza dando a vitória aos "encarnados" e o impulso final para a conquista do título nesse ano.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Invasão ao WC: Vitórias no Lumiar - 99/00 (dedicado ao Palhaço Proença)

Ainda há pouco tempo recordei este jogo a propósita da tragédia de Enke. O alemão defendeu tudo:
No campeonato o jogo memorável aconteceu em Alvalade (obviamente). Enke defendeu tudo o que havia para defender. Recorde-se que este era o tal jogo que os nossos rivais apelidaram de jogo dos cabeçudos já que se preparavam para serem , finalmente, campeões à nossa conta.
Enke não gostou da imagem de cabeçudo e recusou-lhes o golo. Sabry, entrou e devolveu-lhes o rótulo que perdurará no tempo. Cabeçudos! Muito à conta de Enke!

Como particularidade recorde-se que o árbitro Lucílio Baptista marcou uma dezenas de livres frontais a ver se André Cruz lá metia a batata dos Cabeçudos. Mas nem assim!
Sabry inchou aquelas cabeçorras todas como nunca:

Vais ter que te esforçar bem, Proença. Como só tu sabes.

Até Quando Temos Que Aturar Este Palhaço?!

Vómito verde!

Proença no Wc!

Invasão ao WC: Vitórias no Lumiar - 06/07



Recordar o jogo com a crónica publicada no Encarnado e Branco.

Palavra de CarDeuzo!


COMO foi estar de fora nos últimos dois jogos do Benfica, frente a Naval, para a Liga, e V. Guimarães, para a Taça?

— Sofri muito. Custa muito estar de fora. Ainda por cima perdemos o segundo jogo, com o V. Guimarães... É duro não poder ajudar os meus companheiros.

— A equipa só conseguiu marcar um golo à Naval, nos últimos minutos, e ficou em branco com o V. Guimarães, sendo eliminada da Taça. É a prova de que você é imprescindível?

— Não, não... A equipa jogou muito bem nos dois jogos. Contra a Naval, o Benfica fez mesmo um jogaço e só não ganhou por maior vantagem porque não aproveitou as várias oportunidades criadas. E contra o V. Guimarães foi a mesma coisa: várias ocasiões para marcar, mas por algum motivo a bola não entrou e perdemos.

— Faz sábado 23 dias que não joga nem marca pelo Benfica. A última vez foi em Goodison Park, com o Everton. Está muito ansioso pelo regresso aos relvados e aos golos?

— Quero jogar sempre. Como já disse, sofri muito nos últimos dois jogos, mas esta semana, felizmente, já posso jogar novamente e oxalá tenha a oportunidade de retomar o que estava a fazer antes da suspensão.

— Está com fé que vai marcar ao Sporting?

— Não sei, darei o meu melhor. Primeiro tenho de pensar no Benfica e só depois em mim. Acima de tudo queremos ganhar como equipa e tudo faremos nesse sentido.

— Mas está com saudades dos golos?

— Sim, é normal. Quero marcar sempre que jogo pelo Benfica. Se as oportunidades surgirem, vou tentar aproveitá-las ao máximo.

— Nos dois últimos jogos para a Liga em Alvalade você marcou mas o Benfica não ganhou. Desta vez a história será diferente?

— Deus queira que sim porque estamos necessitados dos três pontos e vamos entrar para ganhar, como em todos os jogos. Vai ser um jogo muito duro porque o Sporting tem jogadores muito bons e também precisa muito dos três pontos. Vai ser bonito.

«Não há favorito

é vida ou morte»

— O Sporting tem o orgulho ferido e tenta iniciar uma nova etapa, com um novo treinador; o Benfica tem 11 pontos de avanço e tenta chegar ao primeiro lugar. Quem é favorito, quem tem mais responsabilidade e pressão?

— Não há favorito, estes jogos são de vida ou morte. Os clássicos são encontros muito diferentes dos outros. Só pensamos em fazer o melhor, tal como o adversário, e será difícil para ambas as equipas. Ganhará quem souber fazer melhor as coisas.

— Vencer em Alvalade pode ser fundamental na corrida para o título?

— Sem dúvida. Para nós seria um grande passo. Oxalá que consigamos conquistar os três pontos e continuar na frente.

— O Sporting ainda pode ser considerado candidato ao título ou a luta está resumida a Benfica, Sp. Braga e FC Porto?

— O Sporting ainda tem possibilidades porque falta muito para terminar o campeonato. O Sp. Braga tem sido a grande surpresa porque quase não tem perdido pontos. Da nossa parte vamos tentar ganhar todos os jogos que temos pela frente.

— Acredita que este pode ser o ano do Benfica?

— Não sei. Estamos a fazer bem as coisas e estamos no bom caminho.

«Troco bola de prata pelo título nacional»

— Haverá um duelo particular de goleadores com Liedson, dentro do próprio derby?

— Não, nada disso. Quero é vencer, não importa quem marca. Pode ser o Saviola, o David Luiz ou o guarda-redes.

— Claro que o colectivo é sempre o mais importante, mas tem também aspirações a troféus pessoais como a Bola de Prata ou a Bota de Ouro?

— Penso um pouco nisso, mas não em demasia. Estou mais concentrado no colectivo, como é óbvio. Trocava a Bola de Prata pelo título de campeão.

— Já se sente um goleador de eleição ou acha que ainda não atingiu todo o seu potencial?

— Ainda tenho muito a melhorar e é isso que procuro fazer em cada jogo, cada treino, para chegar onde quero.

— O que tem contribuído para a sua elevada veia goleadora? É só o bom momento da equipa ou você também está mais adaptado e com o faro mais apurado?

— As duas coisas. A equipa está a jogar muito bem e eu tenho tido o mérito de estar bem também. Se continuarmos assim vamos chegar longe este ano.

— Traçou alguma meta de golos para esta temporada?

— Não, mas quero fazer muitos golos e ser campeão pelo Benfica.

— Saviola tem sido um bom parceiro de ataque?

— Temos jogado muito bem, com um entendimento muito bom, e isso é importante para a equipa.

«Não podemos

agradar a todos»

— Acha que já convenceu definitivamente toda a gente, mesmo os mais cépticos em relação às suas características?

— Não. Haverá sempre gente a criticar-me, mas o futebol é assim, não podemos agradar a todos. Da minha parte procuro melhorar algumas coisas, por forma a continuar a ajudar o Benfica.

— Mas o que sente um avançado que marca tantos golos e às vezes é criticado por não ter um bom pé direito ou ser lento?

— Nada, sinceramente. Em todos os clubes de qualquer parte do mundo os jogadores estão sujeitos às críticas e lidam com elas como bem entendem.

— Como tem sido trabalhar com Jorge Jesus?

— Muito bom. É um grande profissional que chegou ao Benfica e está a mudar tudo. Isso é muito importante para o clube porque há muito tempo que o Benfica não ganhava torneios tão importantes, mesmo que não oficiais. É um grande treinador e uma grande pessoa, tal como todas as pessoas que tem junto de si.

— Os seus golos têm despertado a cobiça de vários clubes. Com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros, como encara o futuro?

— Não penso muito nisso, sinceramente, porque se o fizer não vou render no Benfica, e se não render no Benfica não haverá clube que me queira. Portanto, tenho é de pensar no presente, jogar bem e fazer muitos golos. Só assim poderei ter muitas equipas interessadas.

Cardozo mostra pouca disponibilidade e vontade para abordar o delicado tema da sua suspensão por dois jogos, na sequência da ordem de expulsão recebida ao intervalo do jogo com o Sp. Braga, para a Liga, no dia 31 de Outubro de 2009, por alegada agressão a André Leone. Ainda assim, faz questão de vincar a sua inocência e contar, em breves palavras, a sua versão dos acontecimentos.

«Apenas digo que a informação colocada pelo árbitro no relatório não foi verdadeira, pois no túnel nada se passou. Fui directamente do relvado para o balneário. O árbitro terá escrito que me peguei com um jogador do Sp. Braga, perto da zona do nosso balneário, mas isso não corresponde à realidade. Tudo o que aconteceu foi o que se viu nas imagens televisivas, ainda no relvado, junto ao túnel. Fui agredido mas não agredi ninguém», conta.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Jornal O Benfica

O Gloriosasfera informa:
Após contacto com o jornal O Benfica obtivemos a informação de que o
site oficial cobra comissões pelas subscrições feitas online, tornando
o jornal mais caro do que é.

A subscrição d’O Benfica pode ser feita directamente através de
correio e com os seguintes preços:
Continente - 35 €
Ilhas - 40 €
Europa - 80 €
Resto do Mundo - 100 €

Outro ponto importante é que na subscrição directa basta indicar o
nome, contacto e pagar, não sendo exigido o n° de contribuinte, mais
vocacionado a bases de dados.

A Gloriosasfera lançou um blogue em gloriosabiblia.blogspot.com
destinado exclusivamente a promover a subscrição directa do jornal O
Benfica com os referidos preços e a informação sobre como proceder e
os contactos do jornal.

Saudações Gloriosas

A História Que Pode Dar Esperança ao 8º Classificado

Quatro golos de Peyroteo, no "derby" da época 1947/48, chegaram para criar o "mito": nos confrontos entre Sporting e Benfica ganha "sempre" o que está pior.

Com a vitória por 4-1, no terreno dos "encarnados" que, a cinco jornadas do final do campeonato, lideravam com dois pontos de avanço, os "leões", comandados por Cândido de Oliveira, chegaram ao primeiro lugar e à posterior conquista do título.

Antes do jogo do Campo Grande da 22.ª jornada, já na nona ronda, se tinha registado uma "surpresa", quando o Benfica, então a um ponto do Sporting, venceu no Estádio do Lumiar por 3-1. Desde o início dos campeonatos (1934/35), esta foi a primeira época em que o "grande" que estava pior venceu o "derby".

Como todas as regras, esta também tem uma excepção. O "mito" recém-criado foi quebrado dois meses depois, na meia-final da Taça de Portugal, novamente no Lumiar, onde o Sporting, já com o título de campeão, voltou a bater o Benfica por 3-0 com dois golos de Peyroteo e um de Albano.

"Desde os primórdios que há esse mito de que quem estava pior, normalmente, não perdia o 'derby', mas é um mito, pronto. Sabemos que aconteceu algumas vezes e isso foi consolidando esta ideia, mas não as suficientes para assumirmos que acontece sempre", disse à Agência Lusa o "encarnado" José Augusto que, só à sua conta, assinou sete golos, em "mais de 20 jogos", frente ao Sporting.

Uma opinião idêntica tem o "leão" Morais, para quem "a rivalidade é que manda": "O jogo e o moral melhoram quando se olha para a camisola do adversário, do rival".

"Às vezes acontecia (quem estava pior ganhar) mas, na altura, nós raramente estávamos melhor que o Benfica. Eu fiz vários "derbies" e, que me lembre, fazíamos melhores resultados na Luz, onde me lembro de ter ganho duas ou três vezes", frisou o autor do "cantinho", que valeu a única Taça das Taças conquistada por clubes portugueses.

Este "mito" só se repetiu em pleno mais três vezes, uma das quais em 1973/74, quando as "águias", sempre abaixo dos "leões" antes dos "derbies", venceram os dois encontros, primeiro na Luz (2-0) e depois em Alvalade (3-5), assegurando assim o "campeonato da segunda circular", sem "roubar" ao Sporting o título nacional.

Em 1996/97, o arranque de campeonato do Benfica, orientado pelo brasileiro Paulo Autuori, foi travado no Estádio José de Alvalade com um golo do defesa Beto, levando os "leões" à igualdade pontual com os "rivais". Na segunda volta, já sob o comando de Manuel José, as "águias", com uma desvantagem de quatro pontos, surpreenderam o Sporting com o mesmo resultado (1-0), concretizado por João Pinto.

Na última época o Benfica, do espanhol Quique Flores, somou cinco pontos em três jogos, menos quatro que os "leões", mas bateu o Sporting na Luz, à quarta jornada por 2-0, com golos do espanhol Reyes e do brasileiro Sidnei.

A desforra dos "leões" foi servida em Alvalade à 19.ª jornada, quando o Sporting estava a três pontos do Benfica, com dois golos de Liedson e um de Derlei, assegurando um triunfo (3-2) sobre os "rivais", que marcaram por Reyes e pelo paraguaio Cardozo.

Nos 150 confrontos para o campeonato, apenas em 27,3 por cento dos "derbies" - 41 jogos - a equipa pior classificada bateu o "rival", protagonizada 19 vezes pelo Sporting (11 delas como visitado) e 22 pelo Benfica (10 como visitante).

Na Taça de Portugal, o "mito" ganha um pouco mais de força, com as 16 "surpresas" concretizadas em 33 confrontos.

Sporting, oitavo classificado com 14 pontos, e Benfica, que soma 25 como o líder Sporting de Braga, disputam sábado o 151.º "derby" para o campeonato português, no Estádio José de Alvalade, em Lisboa, num encontro marcado para as 21h15.

fonte: Lusa

Yebda Prevê Vitória

"Para o derby, em Alvalade? Acredito que ganhem! O meu prognóstico vai para uma vitória do Benfica, por 3-1" disse a A Bola.

Invasão ao WC: Vitórias no Lumiar - 97/98



Época 1997-1998 21/02/1998
22ª Jornada
Golos: 0-1 (Poborsky) 40 min 0-2 (Sousa) 64 min 1-2 (Leandro) 66 min 1-3 (Brian Deane) 69 min 1-4 (João Vieira Pinto) 83 min

Estrelas da nossa Formação: Rui Silva



NOME Rui Pedro Oliveira da Silva

NACIONALIDADE Portuguesa

NASCIMENTO 1993-01-11 (16 anos)

POSIÇÃO Médio Ofensivo e Extremo

Há jogadores que se notam pelo seu trabalho em campo, cobrindo os espaços vazios, dando consistência e segurança á equipa; outros, que pelas suas aprimoradas qualidades individuais, decidem jogos em campo. Rui Silva é mais um dos grandes talentos que mora no Seixal e um exemplo perfeito de jogadores com grande capacidade técnica, velocidade e fantasia. Talvez a sua capacidade de drible em progressão, em diagonais em direcção á baliza contrária, seja a sua maior característica. Natural de Vila Nova de Cerveira, chegou ao Benfica com 11 anos, e logo se conseguiu impor de camisola encarnada: na sua primeira época, foi campeão de Infantis no Benfica e venceu inúmeros torneios, entre os quais, o Torneio José Mourinho e o Torneio de Inter-Associaçoes Lopes da Silva, sendo praticamente sempre titular, com muitos golos e assistências.

Para trás ficou o interesse de Sporting, Porto e outros clubes, pois queria assinar pelo seu clube do coração. Mas o que fazia um jovem de 11 anos na altura, para ter assim tantos clubes atrás dele?! Além dos 64 golos que marcou numa época, rezam as crónicas, que o seu treinador no CD Cerveira lhe pedia que fosse receber a bola no pontapé de baliza, fintasse toda a equipa adversária e marcasse golo! Além dos golos de canto directo que marcava inúmeras vezes… Mas é esta mesma a imagem de marca de Rui Silva: um jovem irreverente dentro de campo, que de um momento para o outro inventa um lance e decide um jogo. Falta-lhe maior consistência de jogo, pois por vezes parece estar á margem do que está a acontecer dentro do campo, e talvez uma maior participação no jogo defensivo da equipa. Mas tem evoluído bastante nos últimos anos.



Internacional Português Sub-15, Sub-16 e Sub-17, é fã de Cristiano Ronaldo e gostaria de um dia jogar na Premier League, mais concretamente na equipa do Manchester United. Vai precisar de trabalhar muito, no entanto, para conseguir chegar á equipa principal do Benfica e depois pensar noutros voos, mas as suas qualidades técnicas estão lá. Para já, está nos Juvenis A e é treinado por Bruno Lage. Costuma envergar a camisola 7, tanto no Benfica como na Selecção, e, quer na direita ou na esquerda, o seu nome está sempre no onze inicial. Para saberem mais sobre Rui Silva, convido todos a irem ao Campo dos Pupilos do Exército vê-lo, na companhia de Diego Lopes e Sancidino Silva, os outros craques dos nossos Juvenis. Juntos, formam um trio demolidor.

Por: Batista
nunobatista7@iol.pt

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Invasão ao WC: Vitórias no Lumiar - 89/90



Guarda-Redes:

Silvino
Bento
Dias Graça

Defesas:

Veloso
José Carlos (ex-Portimonense)
Paulinho (ex-Estoril)
Paulo Madeira
Aldair (ex-..., Brasil)
Samuel
Ricardo Gomes
Fernando Mendes (ex-Sporting)
Álvaro
Fonseca

Médios:

Elzo
Jonas Thern (ex-..., Suécia)
Hernâni
Vítor Paneira
Abel Campos
Diamantino
Valdo
Ademir Alcântara
Chalana
Pacheco

Avançados:

Gil (ex-júnior)
César Brito
Adesvaldo Lima
Vata
Mats Magnunsson

Treinador:

Sven Goran Eriksson

Um Clube de Porcaria

Tudo começa com o ladrão Olegário a dizer que para ser insultado de chulo, preferia ser amador do que profissional.
Ora aquele que já podemos considerar como o melhor presidente lag desde Sousa Cintra não perdeu tempo e colou-se logo ao árbitro dizendo que o entende muito bem.
Foi mais longe e resolveu confirmar que também ele era pago para limpar porcaria referindo-se aos seus 5 meses fulgurantes como presidente lag!
Ouvi estas palavras de JEB hoje de manhã na "Linha Avançada" do Zé Nunes na Antena3 e fiquei esclarecido.
Que o Sporting é porcaria já nós sabiamos, nunca tinha era ouvido da voz do presidente deles.
Temos que dar um desconto, afinal eles são diferentes com comentadores diferentes que dizem coisas como esta: "preferia que o Sporting estivesse em 9º, era sinal que o Benfica não tinha ganho à Naval..." Dr. Eduardo Barroso

Invasão ao WC: A História é Longa

Que o diga Rui Costa que passou a sua adolescência a ganhar aos lags:

Taça da Liga

Grupo C: Benfica, Nacional, Rio Ave e V. Guimarães

Calendário da terceira fase

1ª jornada (2 e 3 de Janeiro)

Benfica-Nacional
V. Guimarães-Rio Ave

2ª jornada (13 Janeiro)

V. Guimarães-Benfica
Rio Ave-Nacional

3ª e última jornada (23 e 24 Janeiro)

Rio Ave-Benfica
Nacional-V. Guimarães

Argel em entrevista Recorda Alvalade "onde é mais fácil ganhar"

Entrevista do Jornal I


Argel fala pelos cotovelos e repete as palavras "respeito" e "fantástico" a cada resposta sobre Portugal e o Benfica. Diz já não saber se é português ou brasileiro mas assume-se benfiquista a 100 por cento. Confessa que o melhor treinador é Camacho e o melhor futebolista com quem jogou Zahovic. O esloveno, tal como ele, "era um durão". E Argel faz gala da fama que tem e sente-se orgulhoso por ter peitado Jesualdo Ferreira ou mesmo alguns companheiros de equipa. Em semana de dérbi em Alvalade, o antigo central das Antas e da Luz não quer avançar resultados mas lá vai alimentando a esperança dos encarnados: "É mais fácil ganhar lá do que em casa." E é assim, com uma vitória fora, que arranca a conversa.

Qual o dérbi em Alvalade que melhor recordação lhe traz?

Aquele do dia em que o Camacho chegou à Luz pela primeira vez. O Chalana era treinador [interino] e era um Benfica-Sporting de Braga. E depois, na semana seguinte, foi Sporting-Benfica [7 de Dezembro de 2002, Argel jogou 90 minutos] e nós ganhámos por 2-0, um golo do Zahovic e outro do Tiago já com o Camacho no banco. E nessa altura o Sporting tinha um grande time: João Pinto, Paulo Bento, Rui Bento, Jardel, Quaresma, enfim... E nós ganhámos por 2-0! Lembro-me que o príncipe das Astúrias, o Filipe, ligou ao Camacho para lhe dar os parabéns. E depois foi o próprio rei de Espanha, o Juan Carlos, a ligar ao Camacho porque tinha visto o jogo lá. Tenho grandes recordações dos jogos com o Sporting [risos]. Os meus melhores jogos com a camisola do Benfica foram contra o Sporting. Aliás, nessa vitória, fui eleito o melhor em campo!

E como era marcar o Jardel?

Ah! O Jardel era fera mas só fez um golo comigo em campo. Foi lá no Benfica-Sporting, no velhinho Estádio da Luz [15 de Dezembro de 2001, Argel jogou 90 minutos]. Estávamos a ganhar por 2-0 e o jogo acabou empatado. O Jardel atirou-se para o chão aos pés do Caneira. E o árbitro assinalou penálti vergonhosamente e ele lá bateu a falta e marcou. Ainda brinquei com ele: "Quando jogares contra mim, só marcas assim, de penálti!" Sempre foi um duelo muito legal e honesto porque o Jardel era fora de série. Conhecia-o bem, desde o tempo em que fomos campeões do mundo de juniores, à passagem pelo FC Porto, e isso facilitava o meu trabalho.

Isabel Trigo Mira, então vice-presidente do Sporting, disse que Argel insultou a Juve Leo naquele Sporting-Benfica (0-1) em 2004. É verdade?

Isso aí é conversa fiada de Isabel Trigo Mira. Disseram que tinha sido eu e Zahovic a xingar a claque do Sporting e tal, quando estávamos a aquecer [Argel entrou ao minuto 90 e ainda viu um amarelo]. Mas não se passou nada, não houve nada! É completamente falso! Compreendo que eles estavam chateados porque nós estávamos a ganhar o jogo. Aconteceu, pronto. Até me lembro de ir à TV desmentir isso tudo! O Sporting estava a perder e a claque protestou, armou confusão e invadiu o campo. Até respeito o Sporting, porque sempre tive lá amigos, como o Polga, o Rochemback e o Liedson, que tem um corpinho de alfinete mas é fera! Naturalizou-se e ainda bem para Portugal. É como diz o Mourinho: "Quando se vai ao Brasil e se dá um pontapé numa pedra, saem logo 200 jogadores de futebol debaixo dela."

Mas admite que deixou uma imagem de durão?

É, sempre fui assim. Um guerreiro, duro, forte, com uma personalidade também muito forte. Mas tenho orgulho na minha carreira. Joguei ao mais alto nível e o futebol deu-me tudo, fama, dinheiro. Tenho o meu pezinho-de-meia feito e a vida orientada. Foi um período maravilhoso. Agora quero ser treinador. Penso um dia voltar a Portugal, mas já como treinador.

Então e como foi aquela discussão com Jesualdo Ferreira?

É verdade, é verdade. Foi num jogo em que me tirou da equipa e eu lhe disse umas coisas que não devia. Mas no calor do jogo... Fui afastado do Benfica durante dez dias e o Jesualdo acabou por ser afastado da Luz após a derrota com o Gondomar para a Taça de Portugal. Veio o Chalana, que me botou a jogar contra o Sporting de Braga, e o Camacho, que me colocou contra o Sporting na mesma semana. Toda a gente dizia que a equipa do Benfica era fraca, ruim, e nós provámos que éramos bons! Tínhamos um bom cavalo, sim, o que faltava era um jockey! Um bom treinador, está entendendo? Mas depois falei com o Jesualdo e serenámos as coisas até porque a Zulmira [mulher de Jesualdo] é muito amiga da minha esposa. E sabe o que ele veio dizer sobre mim? Que eu e o Zahovic tínhamos sido os únicos jogadores que o tinham peitado! Fiquei orgulhoso por isso!

E o Argel também peitou alguns jogadores, até nos treinos, como Armando Sá, Ricardo Rocha.

Com o Rocha não tive nada não. Mas tive um forte chega para lá com o Everton. Ou será Emerson ou Emerton...

Everson, o tal que veio da Suíça.

Isso! Num treino eu dei uma chegada mais forte, ele deu outra chegada mais forte. Trocámos uns palavrões para a frente e para trás. Mas depois disso, tranquilo. É normal no futebol: quando a bola rola, não se conhece irmão.

E chegou a partir computadores na sede das Antas ou não?

Isso é muito folclore, muito folclore.

Mas não pressionou Pinto da Costa para sair do FC Porto?

Pressionei, pois. Houve de facto uma discussão feia com o Pinto da Costa. O Palmeiras queria comprar-me ao FC Porto, a pedido do Scolari que me tinha telefonado. E a Parmalat [patrocinador do Palmeiras] até queria comprar-me por valores superiores ao que eu tinha custado ao FC Porto. Só que, mesmo assim, o Pinto da Costa não queria deixar-me sair. Não aconteceu bem como contam, isso dos computadores. Exaltei-me e tal, abanei um pouco a sala, é verdade. E, no final de contas, acabou por prevalecer o que eu queria: que era sair.

Ganhou o duelo.

Claro que sim! Saí! Quando quero uma coisa não há hipótese! Vou embora e acabou! E assim foi.

E continua a ter aquele dragão tatuado nas costas?

Continuo, pois. Mas já o tinha antes de ir para o FC Porto. Eu sei que as pessoas diziam que tinha tatuado um dragão só porque tinha ido para lá, mas não! Dragão era a minha alcunha no Santos, por ser um cara duro.

Passou cá muitos anos. É mais português que brasileiro?

Olha, às vezes chego a torcer mais por Portugal do que pelo Brasil. Amo o vosso país. Espero um dia treinar a selecção portuguesa. Tenho passaporte português. Vou sempre aí, pelo menos uma vez por ano. Conversei com a malta, o Nuno [Gomes], o Moreira, o Quim, o Luisão, esses dinossauros que conquistaram o título comigo. E não deixo que falem mal de Portugal! Se vêm para cima de mim com piadas sobre portugueses eu meto à porrada, pô! [gargalhada].

E é mais benfiquista que portista?

Ué, claro que sou mais benfiquista que portista. Passei por muitos clubes mas foi no Benfica onde estive mais tempo. Não sou benfiquista desde pequenino, como se diz aí, mas é como se fosse!

E a partida que pregou ao Mantorras?

Ah!!! Foi uma bela pegadinha! Até agora, quando vou a Angola ou encontro algum angolano, toda a gente me reconhece! O Nuno [Graciano, então na TVI] telefonou-me e nós combinámos a coisa com o aval do presidente Luís Filipe Vieira. Foi o melhor apanhado, passa muito no YouTube. O Mantorras não percebeu mesmo o que se passava, estava completamente perdido com a cena dos gangsters e dos ladrões e dos tiros. Ele chegou a chorar e ficou mal, sem conseguir dormir durante dois ou três dias. O que eu gosto do Mantorras! Lembro-me dele quando chegou do Alverca. Era um monstro de talento, fortíssimo. Tinha tudo para ser dos melhores do mundo mas a lesão no joelho tramou-o.

A história da lesão de Mantorras ficou bem contada?

Não sou médico. Tenho uma grande admiração pelo dr. Bernardo Vasconcelos e pelo departamento médico do Benfica de então. Falou-se muita coisa... O Mantorras lesionou-se e pronto. Todos tentaram ajudá-lo o melhor que puderam mas há lesões no joelho que nem um milagre consegue curar. Mas o Mantorras é um menino de ouro, muito humilde e continua a ser um jogador importante. Ainda me lembro do jogo com o Boavista em que ganhámos por 4-0 e ele marcou dois! E o Benfica sempre se portou muito bem com ele: não o deixou cair, não o deixou desamparado e foi renovando-lhe o contrato. O Mantorras é filho do presidente Vieira [risos]. O Luís Filipe gosta tanto dele como de um filho.

Como reagiu à morte de Enke?

Tenho um poster dele e do Fehér no meu quarto... Foi uma coisa muito triste, cara. Não dá para entender, cara. Como é que um jogador da qualidade dele, um consagrado que jogou no Benfica, no Barcelona, que é titular da selecção alemã, consegue tomar uma atitude destas, de cometer um suicídio. Perdi dois companheiros de profissão e eu, que jogava à frente do Enke, ouvia-o a gritar connosco [silêncio]. Tinha uma grande admiração por ele, pela pessoa boa que era. Lembro-me que tinha dez cães em casa. É só para todos perceberem a pressão enorme que o futebol exerce sobre os jogadores. Alguns acabam por cometer loucuras. Só de falar no Enke começo a sentir saudades dos jogadores daí, como o Hélder, o Simão, o Zahovic, sei lá, tantos. Sou muito amigo deles.

O Hélder e o Simão que se zangaram na história da braçadeira de capitão.

É verdade! [risos] Foi em Espanha, naquele estágio. Até cheguei junto do Hélder e disse-lhe: "Pô, deixa lá o Simão ser capitão! Ele custou 15 milhões de euros ao Benfica! E você custou o quê? 200 mil?" Brincava com o Hélder com isso. Gostava de ambos. Eu, Hélder, Luisão e Ricardo Rocha éramos os quatro brothers. Torcíamos uns pelos outros. E continuo a achar que o Ricardo Rocha é um dos grandes centrais portugueses.

E José Veiga?

O José Veiga foi e continuará a ser o meu pai português. Ele tinha sido um dos maiores empresários de futebol da Europa e deixou tudo para ser director do Benfica. E o que aconteceu? O Benfica foi campeão com o Trapattoni. As pessoas vão falar deles durante muitos anos. E acredito que o Veiga vai ser presidente do Benfica. Sei que o Vieira e o Veiga não se dão bem, mas isso são outras coisas... Bom, só sei que o Veiga vai ser presidente na Luz!

Como foi jogar no Japão [Tóquio Verdy] e na China [Zhejiang Lucheng]?

Ah fantástico! Gosto especialmente do povo chinês, que está sempre em festa. É que nem o povo brasileiro: alegria, felicidade! Até gostam de caipirinha e cerveja! Como é que eu os entendia? Com um intérprete, pô!

Agora, uma pequena provocação. O seu nome, Argélico Fucks, é no mínimo invulgar e dá para fazer várias interpretações.

O quê? [silêncio seguido de gargalhada sonora] Isso tem a ver com a forma como pronunciam o meu nome. Se disser à inglesa, aí "fucks" é "foda-se"! Mas eu tenho ascendência austríaca e então o meu nome lê-se de forma diferente, com o "u" à portuguesa. Vem do alemão "fuchs" que quer dizer raposa! Entendeu? [risos] Senão é palavrão! Mas, olha, é uma coisa que para mim, meu amigo, nunca me incomodou!

Invasão ao WC

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Jogadores do Wigan devolvem dinheiro aos adeptos

Os jogadores do Wigan vão devolver o preço dos bilhetes aos adeptos que marcaram presença no estádio, domingo, e presenciaram à humilhante derrota frente ao Tottenham por 9-1.

Em jogo referente à 13.ª jornada o Wigan deslocou-se ao reduto do Tottenham e sofreu uma derrota histórica por 9-1.

«O grupo sentiu-se mal ao desapontar os adeptos. Devemos-lhe este gesto pela sua lealdade», explicou o capitão da equipa Mario Melchiot.

«Não há nada a dizer. Estamos envergonhados com o nosso desempenho. Não estávamos ao nível e queríamos», acrescentou.

Flamengo: Torcida em Grande

Império Vermelho


A história completa do Benfica, de 1904 a 2009, é de que se trata o novo livro de João Malheiro que será lançado hoje na loja do Benfica, pelas 18h00, no Estádio da Luz.
O livro chama-se "O Império Vermelho" e no evento vão marcar presença Jorge Jesus, alguns jogadores do plantel, o presidente Luís Filipe Vieira, Rui Costa e Eusébio, entre outros.

Objectivo 1

Hoje há que conseguir o bilhete mágico para a grande noite de sábado.

O Fla (também) Falhou!

O Flamengo desperdiçou hoje a oportunidade de saltar para a liderança do campeonato brasileiro, a duas jornadas do fim. O São Paulo está a 180 minutos de celebrar o título...

Numa jornada (36.ª) em que o líder São Paulo foi ao Rio de Janeiro perder 2-3 com o Botafogo, o Flamengo viveu noite de grande desilusão ao empatar, em casa, 0-0, frente ao Goiás. A dois pontos do São Paulo, o Flamengo, que há 17 anos procura o título, tinha de ganhar em casa para assumir a liderança do campeonato.

Num jogo de nervos à flor da pele, no entanto, o Fla tropeçou e conseguiu apenas aproximar-se um ponto do líder, reduzindo a desvantagem de dois para um ponto.

Quando falta disputar duas jornadas do Brasileirão, ao São Paulo basta agora conseguir dois resultados iguais ao do Flamengo, enquanto o «Mengão» precisa de vencer os seus jogos e esperar por um deslize do líder.

Benfica conquista lugar na final four

A equipa de futsal masculino do Benfica assegurou este domingo a sua presença na final four da UEFA Futsal Cup, ao empatar em casa a dois golos com o vice-campeão da prova, o Viz-Sinara Ekaterinburg, no terceiro e último jogo do grupo B da Ronda de Elite.

Benfica 0 - 1 Vitória

Ainda não é desta que voltamos ao Jamor. Paciência.
O Vitória marcou um golo segurou a vantagem e passa em frente repetindo a "graça" de há poucas épocas atrás. Desta vez venceu limpinho e por isso nada há a apontar.
Apesar de me parecer que o Benfica fez tudo para marcar golos, hoje fiquei com a impressão que a equipa não deu tudo o que tinha. Mesmo desfalcados do goleador da época na 1a parte não vi aquela raça que se vê no campeonato.
Sinal que não levaram muito a sério esta competição? Talvez.
Se me perguntarem eu prefiro sair da Taça e ser campeão do que o contrário, por isso esta derrota é chatinha mas não é nenhum drama. Não vai dar para a dobradinha então redobremos a concentração na competição principal. Hoje não tivemos sorte na finalização mas também não senti aquela pressão alta a defender, e não senti o empenho do costume em metade do jogo. Por isso fomos castigados com uma derrota caseira.
Como disse não é drama nenhum, terá sido um acidente de percurso, porque apesar da derrota não senti vontade de puxar de lenços brancos, nem entoar cânticos ofensivos para os jogadores, nem insultar o treinador, e muito menos apedrejar a Direcção.
Hoje perdemos num jogo a eliminar e é como disse: chatinho.
Ainda há poucos dias vi o Real Madrid ser eliminado a duas mãos por uma simpática equipa da 3ª divisão espanhola e o Rei não caiu do trono.
Aos jogadores só digo que por mim estão desculpados se no sábado cumprirem a vossa obrigação.

domingo, 22 de novembro de 2009

Benfica - VItória

Simão Quer Acabar Carreira no BENFICA

Não, não é frase de nenhum jornal nem de nenhuma fonte secreta.
Esta frase foi lida por milhares de fãs dos Massive Attack que esgotaram esta noite a sala do Campo Pequeno para o primeiro concerto da banda este ano em Portugal.
Na canção Inertia Creeps no fundo do palco passava em letras garrafais a frase que dá título a este texto e a reacção do público foi de euforia.
Num grande concerto a evocação a um grande jogador e ao melhor clube do mundo.

sábado, 21 de novembro de 2009

Convocados Para Receber o Vitória

Guarda-redes: Moreira e Júlio César;

Defesas: Maxi Pereira, Miguel Vítor, Sidnei, David Luiz, Shaffer e César Peixoto;

Médios: Javi Garcia, Ruben Amorim, Ramires, Aimar, Felipe Menezes, Di María e Fábio Coentrão;

Avançados: Nuno Gomes, Saviola, Keirrison e Weldon.

Futsal: Benfica dá 8 a Croatas

A equipa de futsal do Benfica está em grande na Ronda de Elite da UEFA futsal cup que está a decorrer na Luz. Depois de ter vencido por 4-0 o Marlène, desta vez foi o Potpican 98 da Croácia que foi goleado por 8-1. Curiosamente, o Benfica até entrou a perder mas conseguiu dar a volta com uma grande exibição e golos de Pedro Costa (2), Joel Queirós (2), Ricardinho, Davi, Arnaldo e Marinho. Um empate no Domingo com os Russos do Ekaterinburg será suficiente para o Benfica se qualificar para a “final-four” a realizar em Abril de 2010.

O Clube das Conferências de Imprensa Inacreditáveis


Que são diferentes já nós sabemos porque os ouvimos dizer isto há anos. Mas eu acrescento que são originais. Nas últimas semanas os selectos vizinhos perderam a compostura e a noção do que andam a fazer.
Depois de uma tomada de posse aberta à imprensa em que se viu os novos dirigentes com cânticos anti benfiquistas das claques lags já de tudo um pouco se viu para aqueles lados.
As históricas conferências de imprensa de despedida de Paulo Bento, e dos outros responsáveis do futebol pareciam ter terminado para aqueles lados. Isto porque o novo treinador não teve direito a apresentação aos jornalistas, foi escondido num vídeo amador interno!
Mas agora aí está mais uma surpresa, mais uma inovação lag. Quando pensava que já tinha visto tudo eis que voltam as conferências de imprensa.
Três das dez ou onze claques que os lags têm resolvem aparecer juntinhas para dizer ao país que apoiam o seu treinador!
Contaram-me e eu não queria acreditar. Vi o vídeo e pensei que o Ricardo Araújo Pereira, o Quintela, e o Góis estavam muito bem disfarçados e que a rábula era fabulosa...
Mas afinal é mesmo verdade! Três representantes de claques tiveram direito a conferência de imprensa para mostrarem apoio ao novo treinador. Coitado do Carvalhal que , como se vê, é menos importante que as claques do clube. Ele grava um vídeo para se apresentar, as claques aparecem em conferência de imprensa!
Fabuloso.
Obrigado Sporting pelo fartote que tem sido este semestre.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Benfica na Rota do Mundial

Benfica goleou na UEFA Cup

O Benfica infligiu uma goleada (4-0) ao FC Màrlene no fecho da primeira jornada do Grupo B da Ronda de Elite da UEFA Cup em futsal, a decorrer até domingo no Pavilhão da Luz.

A resistência da formação holandesa foi quebrada aos 16 minutos, com Pedro Costa e Arnaldo a assinarem dois golos que fizeram mossa num opositor até então seguro a defender e exímio no contra-ataque, chegando a assustar aos 5 minutos, com Molkarai a rematar ao poste.

Ainda a equipa holandesa não estava refeita dos dois golos separados por segundos e César Paulo elevou para 3-0 no minuto 17 e, a um minuto do intervalo, numa altura em que a equipa holandesa já tinha acumulado cinco faltas, José Maria fez o 4-0.

Após o intervalo, o Benfica manteve a pressão em toda a extensão do campo e não diminuiu a intensidade do jogo, presenciado por Rui Costa, director desportivo do futebol, e os jogadores Nuno Gomes e Ruben Amorim, além do seleccionador nacional de futsal, Orlando Duarte.

No entanto, apesar de continuar a rematar mais do que um adversário a aventurar-se pouco no ataque, o Benfica não logrou aumentar a vantagem.

Com o triunfo, a equipa portuguesa reparte a liderança com os russos do MFK Ekaterinburg, mas enquanto os russos, campeões europeus em 2007/08, marcaram somente dois golos no jogo de hoje frente ao MNK Potpican, o colectivo de André Lima regista mais dois.

A segunda jornada do Grupo B da Ronda de Elite da UEFA Cup, que apura apenas uma de quatro equipas para a "final-four", realiza-se esta sexta-feira.

A partir das 20h30 horas, o Benfica defronta os croatas do MNK Potpican, enquanto o MFK Ekaterinburg joga com o FC Màrlene, encontro com início às 16h00.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Bilhetes Para o Derby Esgotados na Luz

O Sport Lisboa e Benfica informa que os bilhetes para o jogo da 11.ª jornada da Liga portuguesa com o Sporting já se encontram esgotados. Recorde-se que o Clube colocou à venda os ingressos no dia de ontem, mas estes rapidamente foram adquiridos pelos sócios.

Mundial 2010: Nova Bandeira Francesa


Mundial 2010: O Dia Zero em Imagens





O Dia Zero do Mundial


Já tinha saudades de dias (noites) assim. Desde que partilho emoções futebolísticas pela net (Terceiro Anel e Encarnado e Branco) que digo que os melhores momentos enquanto adepto de futebol são os vividos no verão dos anos pares.
O Benfica ocupa 100% da concentração futebolística. Mas de 2 em 2 anos há um período que funciona como um bónus na vida de adepto. Esteja o Benfica em alta ou em baixa, nos anos pares durante um mês consigo ver futebol apenas e só pelo prazer do jogo, da competição, e assistir ao evoluir da História deste desporto. Como tenho recordações claras desde o Mundial 1982 facilmente me entusiasmo com todo o tipo de documentários que nos fazem recordar Europeus e Mundiais.
Para mim a maior competição desportiva do mundo não são os Jogos Olímpicos, nem o Superbowl, nem outras que geram maiores receitas. Sem dúvida nenhuma que o campeonato mundial da FIFA é a maior de todas as competições e eu sou completamente fã das suas fases finais.
Costumo gerir os meus dias de férias em ano de Mundial conforme os horários e o calendário da 1ª fase da competição garantindo que assim não perco nenhum jogo. Tem sido sempre assim.
Em 2006 inaugurei o meu primeiro espaço na net para falar do Benfica e de futebol em geral. Ainda hoje há quem me fale do mês do Mundial, altura em acompanhei jogo a jogo todo o campeonato actualizando na hora o Encarnado e Branco.
Para quem quiser recordar o que foi o Mundial da Alemanha visite este arquivo do meu anterior blogue.

Ontem foi o dia zero do Mundial 2010. Jogos decisivos, surpresas à vista, emoção dentro e fora dos campos, e o obrigatório dedo da UEFA/FIFA a seleccionar uma das selecções que já ganhou a competição, tudo isto com Portugal em luta desesperada para não falhar uma presença em fases finais pela primeira vez desde 1998.

Vi o Argélia-Egipto com a equipa de Yebda e Halliche a conseguir o apuramento deixando de fora , outra vez, a equipa que mais domina as competições africanas nos últimos anos. Vi no Eurosport onde o prazer de ver um jogo emotivo se alia aos deliciosos comentários de Olivier Bonamici que com o seu sotaque gaulês desfila informação preciosa sobre futebol a uma velocidade impressionante.

Depois acompanhei a grande surpresa da noite com os gregos a irem à Ucrânia garantir mais uma presença em fases finais. O Otto Rehhagel é mesmo mítico!
Espreitei a reviravolta consumada da Eslovénia sobre a Rússia de Hiddink que finalmente perdeu a sua estrela da sorte a apurar selecções. Fui passando pelo jogo de Portugal na Bósnia que me pareceu o menos interessante de todos já que se percebia que o apuramento não ia falhar a Portugal, o que Meireles acabou por confirmar. Era mau de mais Portugal não se apurar. Foi a ferros mas lá conseguiu.

O destaque da noite vai para o jogo França -Irlanda. Grande jogo, grande ambiente, e enorme coração da Irlanda comandada pelo lendário Trapatoni. A Irlanda fez tudo para corrigir a derrota caseira e esteve grande parte do tempo em vantagem no Stade de France. Chegou mesmo a ter excelentes oportunidades para fazer o 0-2. Mas o que a Irlanda não merecia era sofrer um golo absolutamente escandaloso onde Henry controla a bola com mão à descarada numa joga em que há fora de jogo dos avançados franceses e ainda uma falta sobre o guardião irlandês. Inacreditável a maneira como empurraram a França para a África do Sul. Mas já sabemos que isto também faz parte das regras da FIFA basta pensarmos na Coreia do Sul, ou da maneira com a Itália afastou a Austrália há uns anos.

E a noite acabou com o Uruguai de Maxi Pereira a confirmar a presença no Mundial. Agora é só esperar pelo verão, marcar os dias certos de férias e viver mais um campeonato do mundo. E que Portugal vá lá fazer boa figura fazendo esquecer a horrível fase de qualificação, e acima de tudo, que não se voltem a tempos vergonhosos de fases finais tristes.

Mundial 2010: Finalistas

Ficaram ontem as ser conhecidas as 32 selecções que vão participar no Campeonato do Mundo de 2010, na África do Sul, cujo sorteio da fase de grupos está marcado para dia 4 de Dezembro na Cidade do Cabo.


quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Evandro Brandão no Benfica até 2012


Amigo pessoal de Nani e Cristiano Ronaldo, o avançado chega ao Estádio da Luz a custo zero.
Evandro Brandão, internacional português sub-18, ex-Manchester United, assinou um contrato de dois anos e meio com o Benfica (até Junho de 2012) e será integrado no plantel júnior dos encarnados, comandado por Diamantino Miranda..

Ronda de Elite da UEFA Futsal Cup

O Pavilhão nº 2 da Luz foi o palco escolhido pelo segundo ano consecutivo para receber a Ronda de Elite da UEFA Futsal Cup, que irá decorrer entre 19 e 22 de Novembro. Todos os jogos serão transmitidos em directo pela Benfica TV.

A ronda elite começa no dia 19 de Novembro com o encontro entre os croatas do MNK Potpican e os russos do Viz Sinara. O Benfica entra em acção no mesmo dia frente aos campeões holandeses do Marlène.

Recorde-se que, na época transacta, a equipa de André Lima venceu os dois primeiros encontros da fase de elite, acabando depois por perder com o Interviú. A formação espanhola veio a conquistar o troféu.

Calendário de jogos:

Dia 19 de Novembro
16h00 – MNK Potpican 98 vs Viz-Sinara Ekaterinburg
20h30 – S.L. Benfica vs FC Marlène

Dia 20 de Novembro
16h00 – Viz-Sinara Ekaterinburg vs FC Marlène
20h30 – S.L. Benfica vs MNK Potpican 98

Dia 22 de Novembro
14h30 – FC Marlène vs MNK Potpican 98
17h00 – Viz-Sinara Ekaterinburg vs S.L. Benfica

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Invasão ao WC

O Benfica inicia quarta-feira a venda de bilhetes para o «derby» da 11.ª jornada da Liga com o Sporting, que se realiza no próximo dia 28, no Estádio José Alvalade.

Até sexta-feira, a venda de ingressos será exclusiva aos sócios com lugar cativo/fundador/centenarium e com a quota de Setembro em dia, alargando-se, a partir de sábado, a todos os sócios com a quota de Setembro em dia – o mesmo se aplica aos associados das Casas do Benfica.

Os bilhetes estarão disponíveis ao preço unitário de 22 euros.

Os Putos Mais Valiosos

Saviola em Entrevista à Bola

No seu primeiro dia no Benfica disse que queria voltar a sentir-se goleador. Já tem dez golos em todas as competições. Satisfeito?

— Não. Sou ambicioso e perfeccionista, quero sempre marcar mais. Tenho muito mais para dar, jogar a um nível muito mais alto.

— O melhor golo até agora?

— Contra o Belenenses. Dificilmente corri tanto para fazer um golo, pois jogo sempre mais perto da área.

— Como é que consegue adormecer os seus adversários que o marcam ao segundo poste?

— Duas razões: primeiro, não posso estar perto de Luisão, David Luiz ou Javi García; tenho então de encontrar outra forma de chegar à bola. Raramente nunca me chega limpa. É uma questão de matreirice, de picardias, mais do que o posicionamento. Estou sempre dependente do que pode acontecer dentro da área.

«enorme PRAZER

DE JOGAR COM AIMAR»

— Considera que Aimar voltou ao seu melhor momento de forma?

— Ambos ainda podemos chegar a um nível mais elevado. Às vezes rimo-nos porque sabemos que já não temos 17 e 19 anos, como nos nossos tempos no River Plate. Agora custa-nos mais aguentar todos aqueles jogos de seguida, mas ainda podemos dar mais, chegar um degrauzinho mais acima. Ele é imprevisível, encanta vê-lo pisar um relvado, nunca se sabe o que ele pode fazer. Para mim e para todos, é um prazer ver jogar Aimar.

— Ele é imprevisível mas você adivinha muitas das suas jogadas. Começa a ser imagem de marca as vossas tabelinhas...

— Mas isso é quando nos deixam jogar! A Liga portuguesa é difícil, muito física, os jogadores tratam sempre de destruir o futebol, no bom sentido da palavra: muito defensivo, correr, não deixar jogar. Mas quando podemos, desfrutamos. Isso é o mais importante. Quando se juntam jogadores que sabem jogar futebol chega o momento em que além de ganhar te divertes em campo. Adoro fazer túneis, tabelas, marcar um golo numa jogada ao primeiro toque. Quando podemos, divertimo-nos.

— Compara a qualidade de futebol do Benfica com alguma equipa que já tenha representado?

— Nenhuma equipa é comparável, porque todas têm lacunas e virtudes. A equipa que neste momento tem menos defeitos é o Barcelona. Quando eu estava no Barcelona jogava ao lado de Kluivert e Rivaldo. São diferentes de Cardozo e Aimar.

— Mas este é o tipo de futebol que mais gosta?

— No Benfica jogamos o futebol que mais me beneficia. No Barcelona, por exemplo, joguei muito tempo sozinho na frente, com quatro defesas atrás de mim. Mas este futebol convém-me mais, pois tenho referências como Cardozo, Aimar, Di María... em qualquer momento eles podem decidir um jogo. Esta é uma equipa muito bem formada e se tudo correr bem chegaremos lá acima.

«JESUS LEMBRA-ME

O MELHOR DE BIELSA»

— A qualidade de jogo deve-se mais aos jogadores ou a Jorge Jesus?

— As duas coisas. Um treinador é importante mas se não tiver o apoio dos jogadores a missão torna-se muito difícil. Mas Jesus é um apaixonado pelo futebol, o que nos beneficia muito. Ele está sempre em cima de tudo o que envolve o jogo, os jogadores, não deixa escapar o mínimo detalhe. Para uma equipa é muito motivador saber que se tem esse apoio por parte do treinador. Ele e nós andamos sempre de mão dada. Ele com a motivação que nos dá e os princípios que nos ensina; nós com o nível de compromisso máximo com o que nos é pedido.

— Jesus está ao nível dos melhores treinadores que já teve na sua carreira?

— Já tive de tudo [risos]: é um treinador que me faz lembrar os melhores momentos de Marcelo Bielsa na Argentina: era um técnico que motivava muito os jogadores, estava atento a todos os pormenores tácticos e técnicos, queria os jogadores sempre a 100 por cento. Depois tive outros treinadores que queriam outras coisas... gosto muito da forma como Jesus trabalha, pois tenta fazer tudo para que a equipa seja sempre ofensiva, olhe sempre para a baliza adversária, que em nenhum momento relaxe. Não é bom quando temos um técnico muito defensivo, que empurra a equipa para trás, não demonstra valentia em campo. Com Jorge Jesus mostramos essa valentia, ele fez-nos ter uma identidade ofensiva.

«JAVI GARCIA ESTÁ

EM GRANDE NÍVEL»

— Tem também uma grande relação com Javi Garcia. O que sentiu quando ele marcou o golo da vitória frente à Naval?

— Primeiro, alívio. Estávamos num momento difícil, sem encontrar a chave da vitória. Às vezes temos este tipo de jogos em que a única forma de decidir um jogo é através de um livre, um canto ou uma recarga mais estranha. Fiquei muito feliz por Javi García.

— Está a ser uma grande surpresa. Acha que um dia o Real Madrid poderá arrepender-se de ter vendido o seu passe?

— Quem sai de um grande clube não volta.

— Mas ele voltou: saiu para o Osasuna e foi novamente adquirido...

— Sim, mas isso não vai acontecer duas vezes! Sempre que falamos ele diz-me que está muito feliz no Benfica, sente-se querido, sente-se um grande jogador. Ele encontrou tudo isso aqui. Oxalá que mantenha este nível durante vários anos.

«SINTO-ME MUITO

ÚTIL À EQUIPA»

— Você é o quinto jogador mais utilizado em todas as competições. As pernas já começam a pesar?

— Não. É bom ter uma continuidade. Estar num clube grande implica jogar duas a três vezes por semana. Isso é difícil mas não me sinto cansado. Aguento bem e quando estiver cansado toda a gente irá perceber.

— Disse há dois meses que ainda não tinha atingido o seu tecto no Benfica. E agora?

— Ainda posso melhorar. Já ganhei uma continuidade, sinto-me muito útil à equipa, mas ainda posso dar mais.

— A equipa vai estar preparada fisicamente para o ciclo que aí vem (sete jogos em 28 dias)?

— Só poderemos fazer essa análise depois desse ciclo. No jogo com a Naval, por exemplo, fizemos um esforço terrível: foi ir, ir, chocar, chocar... se esse jogo tivesse sido depois de três semanas difíceis não sei se teríamos forças para o vencer na parte final. Mas estamos bem fisicamente, a equipa tem vontade de ganhar, temos muitos jogadores jovens com vontade de crescer enquanto futebolistas, casos de Fábio Coentrão, David Luiz, Di María, que podem ainda dar muito mais.

«SER CAMPEÃO SERÁ

ALGO GRANDIOSO»

— Desde 2006 que você não ganha um título. É uma sensação difícil para quem se habituou a jogar em grandes clubes?

— É lindo ganhar. Mas há que ter paciência. Ninguém nos vai dar nada, sabemos das dificuldades que vamos ter pela frente, quer na Liga Europa, Liga e Taça de Portugal: é tão difícil vencer a Naval como o FC Porto ou o Sporting. Hoje em dia as equipas estão muito equilibradas, há que lutar sempre. Se queremos ser campeões teremos de sofrer muito.

— Estes meses já serviram para entender a importância de o Benfica ser campeão?

— À medida que o tempo passa noto essa vontade nos adeptos. Cada vez vou imaginando mais a conquista desse objectivo. Ainda falta muito campeonato, mas tenho a perfeita noção de que ser campeão pelo Benfica será algo grandioso.

— Qual foi o episódio que já o marcou no encontro com adeptos na rua?

— Não foi um episódio particular, antes uma coisa mais global: tem-me surpreendido o carinho e a paixão que os benfiquistas têm pelo seu clube. É algo muito específico.

— O que lhe falta para se sentir plenamente realizado enquanto jogador de futebol?

— Hoje em dia é ser campeão. Seria incrível ganhar o título logo no meu primeiro ano no Benfica. É o meu objectivo primordial, mais do que qualquer coisa ligada com a selecção argentina.

Surpreso ao perceber que 'El Pibe' pode convocá-lo a qualquer momento; quer jogar ainda melhor pelo Benfica; as gargalhadas que uma frase provocou Como é que recebeu as declarações de Maradona, ao afirmar que deverá chamá-lo em breve à selecção argentina?

— Fiquei muito surpreendido. Não esperava que ele falasse de mim numa conferência de Imprensa antes de um jogo. Pensei que ele iria apenas falar de jogadores que estivessem convocados, como Di María ou Aimar... deu-me uma motivação extra, sinto agora que posso voltar a ser convocado a qualquer momento.

— Foi ver o jogo com a Espanha, em Madrid?

— Não, vi na televisão, aqui em Lisboa. Infelizmente perdemos. Fiquei logo com aquela tristeza...

«já sabemos

como é diego...»

— Ficará agora mais ansioso?

— Não. Vou continuar a jogar da mesma maneira, sem me sentir pressionado, sem coisas que possam prejudicar o meu jogo. Vou tentar continuar como tenho vindo a fazer agora: pensar primeiro no Benfica e só depois na selecção. Essas declarações deixaram-me algo de muito positivo cá dentro, porque sei que Maradona está a observar-me.

— Acha que já merecia uma oportunidade?

— Agora estou a jogar com assiduidade. No Real Madrid jogava pouco e por isso o seleccionador não podia ver-me. Agora voltei a um bom nível e creio que a melhor maneira é continuar assim.

— Se estivesse no Benfica há mais tempo acredita que já teria sido convocado?

— As carreiras são feitas de altos e baixos. Hoje estás num mau momento, amanhã estás num bom momento. Tens de aproveitar quando estás bem mas também ter a consciência de que nem sempre podes estar no máximo.

— Qual foi a sua reacção quando ouviu Maradona a dizer 'sigan chupando' naquela polémica conferência de Imprensa?

[não evita o riso malandro] A primeira reacção, em conversas com os meus colegas, foi uma enorme gargalhada. As pessoas não estão habituadas que alguém pertencente ao futebol diga uma coisa daquelas, mas há que entender os impulsos de Maradona: ele é uma pessoa muito espontânea, às vezes não mede as consequências do que diz. Diego é assim, sabemos tudo o que ele sofreu e continua a sofrer com tudo o que gira à sua volta. Já sabemos como ele é.

— Às vezes também tem vontade de dizer o mesmo?

— Às vezes [solta uma gargalhada]. Só que há pessoas que se sabem controlar, outras não. Na vida ou dentro de um campo de futebol.

Não vê os leões como candidatos; mas isso será irrelevante no 'derby' marcado para AlvaladeAinda falta mais de uma semana mas aos poucos o jogo vai concentrando as atenções: dia 28 joga-se o derby com o Sporting, no Estádio José Alvalade, o primeiro de Saviola em Portugal. A primeira reacção do argentino ao projectar o jogo é uma enorme satisfação.

«Gosto destes jogos», diz, lembrando-se dos escaldantes River Plate-Boca Juniors ou Sevilha-Bétis, «uma coisa de loucos». Lembra que nestes encontros «não interessa para nada a distância que separa as equipas na classificação», admitindo que nem a possibilidade de o Benfica poder afastar definitivamente os leões do título em caso de vitória garante o favoritismo aos encarnados. «É cedo para dizer o que quer que seja», admitindo que o factor Carvalhal pode ser «motivador». Ainda assim, garante: «Vamos jogar em Alvalade da mesma forma: para ganhar

A conquista do título é a prioridade, numa luta que não incluiu, por enquanto, o Sporting:

— Os nossos concorrentes directos são o Sp. Braga e o FC Porto. Se estão lá em cima na classificação connosco não é por obra do acaso. Já jogámos com o Sp. Braga e percebemos que se trata de uma equipa bem organizada. O jogo teve mais picardias do que eu esperava, mais parecia um jogo disputado na Argentina, mas o futebol é assim... Estamos colados ao Sp. Braga no primeiro lugar com justiça, porque o Benfica é uma equipa que tenta jogar sempre bem, respeita o futebol e não entra por caminhos especulativos. Sabemos que para sermos campeões teremos de sofrer muito, como se viu com a Naval.


Ramires e a Confusão de Braga

Hoje n'O Jogo

Foi mesmo agredido no túnel no jogo com o Braga?

Sim.

O que aconteceu?

Eu estava a separar os meus companheiros à entrada do túnel, virado de costas, e veio um segurança por trás e fez-me uma gravata. Eu tentava libertar-me mas ele sufocava-me cada vez mais. Até que me largou, empurrou-me e agrediu-me. Não entendi, pois eu estava a tentar separar os colegas.

E não sabe quem foi?

Ainda fui atrás dele para lhe perguntar porque tinha feito aquilo, mas ele fugiu. Sei que foi um segurança mas, no meio de tanta confusão, não gravei o rosto dele.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Alegria Lag

Peço desculpa pelas imagens chocantes mas esta alegria pela chegada do ex-motorista do autocarro do Marítimo ao wc tem que ser divulgada.
A imagem do presidente lag de maracas nas mãos ameaça ser imortal:

domingo, 15 de novembro de 2009

Sete jogos em 28 dias

O jogo de domingo, com o V. Guimarães, (Taça de Portugal) inicia um ciclo infernal para o Benfica, que só terminará com a pausa de Natal e ano novo: de 21 de Dezembro a 10 de Janeiro, não há competições. Mas a agenda manda os pupilos de Jorge Jesus aproveitarem bem os dois dias de folga (até terça-feira). Os que podem, pois os que estão nas selecções continuam em actividade, assim como os atletas em recuperação. No sábado seguinte (dia 28) segue-se a visita a Alvalade, para o ansiado derby, com o Sporting (11.ª ronda da Liga), e logo após a deslocação à Bielorrússia, para defrontar o BATE Borisov, a 2 de Dezembro. A Briosa vem à Luz quatro dias depois (6 de Dezembro) e os comandados de Jesus vão a Olhão dia 12 (13.ª jornada da Liga). A 17, quinta-feira, o AEK Atenas em Lisboa encerra a fase de grupos da Liga Europa... e 72 horas depois (20 de Dezembro), os dragões vêm à Luz, na 20.ª jornada.

sábado, 14 de novembro de 2009

Então e a Selecção?

A Selecção que hoje vai estar a ocupar as nossas instalações está lá por engano. O génio Carlos Queirós preferia jogar no Dragão, mas Madaíl não deixou. É pena, porque faziam um grande favor a todos nós. Não nos gastavam a relva e iam lá para longe jogar.
Queirós não se cansa de pensar no seu futuro e esta colagem ao Porto até me dá pena. Oh Carlos, antes de ti há um Paulo Bento para repetir o ciclo de Robson, ou mesmo o Villas boas. Já para não falar no Costa, ou no Paciência...
Continuo a dizer que me é completamente indiferente se a Selecção vai ao Mundial ou não.

Triste Lagartada

Uma semana depois os lagartos continuam sem treinador. E uma semana depois do triste espectáculo que foi a conferência de imprensa de saída de Paulo Bento tivemos direito a nova comédia.
Mas que grande porrada levou o Bettencourt dos seus amigos aliados! Não fosse o Villas atinar mesmo ao leme do Sporting forças maiores bloquearam a saída do jovem de Coimbra.
E o Zé acarta com uma humilhação complicada de gerir... Não conseguiram convencer um rapaz de 32 anos com menos de meia dúzia de jogos feitos como treinador, e actual último classificado na tabela a ir treinar o "grande" Sporting.
Vendo bem o Villas até foi esperto e não arriscou sair para um clube que só tem mais duas vitórias que a sua actual equipa.

Troféu Pauleta: O Resumo



Para ver o grande golo de K11.

highlights - MyVideo

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Santa Clara 1 - 1 Benfica ( vitória do Benfica nos penaltis 3-5 )

Começo pelo fim. A SIC compra o jogo e transmite a disputa de um troféu. O jogo vai a penaltis, o Benfica vence e a SIC fecha a emissão a correr e não transmite em directo o momento simbólico em que o nosso capitão ergue a 6ª Taça (oficiosa) desta época! Que respeito pelo nosso clube, que respeito pelo Pedro Pauleta!

Gostei de ver o Danilo, o Urreta, do golão do Keirrison e da entrada do Jean que também marcou o último penalti que decidiu o vencedor.

Foi esta a equipa:

BENFICA – Moreira; Luís Filipe, Roderick, Sidnei e Shaffer; Danilo, Urreta, Felipe Menezes e Nuno Gomes; Weldon e Keirrison

Douglas, Jean, Balboa, Jorge Ribeiro, Ruben Pinto, Tiago Ribeiro

Treinador: Jorge Jesus

Golo: Leandro Tatu (51); Keirrison (35)

Troféu Pedro Pauleta

C.D. SANTA CLARA - S.L. BENFICA
Estádio de São Miguel, 21H15 - Benfica TV

Benfica recebe V. Guimarães no dia 22

O Sport Lisboa e Benfica informa que o jogo da 4.ª eliminatória da Taça de Portugal com o Vitória de Guimarães vai ter lugar no próximo dia 22 de Novembro, pelas 19h45, no Estádio da Luz.

O preço dos bilhetes para sócios é 10 euros, enquanto para o público é de 15 euros. Os ingressos serão colocados à venda amanhã à tarde.

Recorde-se que este será o segundo confronto entre os dois clubes em jogos oficiais na presente temporada. Para a Liga portuguesa, o Benfica triunfou (0-1) em Guimarães com um golo de cabeça de Ramires.

Antes do jogo do campeonato nacional, a equipa “encarnada” defrontou o adversário no Torneio Cidade de Guimarães, ganhando por 2-0. Weldon e Ruben Amorim marcaram os tentos.

Litos - 1 Special Two - 0


Sapateiro, o jovem guardião (19 anos) do Portimonense, esteve apenas dois minutos em campo, tendo entrado aos 90+1 para o lugar do veterano Pedro Silva (35 anos), tempo suficiente para garantir a passagem da equipa treinada por Litos para a terceira fase da Taça da Liga por desempate feito através da menor média de idades dos jogadores utilizados no jogo frente à Académica.

No Grupo A da segunda fase da competição Beira-Mar, Portimonense e Académica dividem o primeiro lugar, pois empataram todos os jogos a zero, forçando a Liga Portuguesa de Futebol Profissional a decidir a equipa que passaria à segunda fase através da média de idades.

Feitas as contas, o organismo determinou que a turma de Portimão fica no topo da classificação por ter uma média etária de 24,556 entre os jogadores que foram utilizados na segunda fase da prova. A Briosa fica pelo segundo posto com 24,682 e os aveirenses em último (25,474).

Só se conheceu o vencedor do grupo um dia após a data marcada para o jogo, porque perto dos 51 minutos ocorreu um corte de energia no Estádio Municipal de Portimão, forçando o árbitro a suspender a partida. Por volta das 15 horas desta quinta-feira o jogo foi retomado, mas terminou empatado a zero.

Moreira e Rui Gomes representam Benfica no funeral de Enke

O guarda-redes Moreira e o vice-presidente Rui Gomes da Silva foram os seleccionados para representar o Benfica, no domingo, no funeral do guarda-redes alemão Enke, segundo revelou o «site» do clube.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Robert Enke no Benfica - 2001/2002 (parte 3 e última)


Depois de duas épocas negras, Enke manteve-se na Luz determinado a ajudar a inverter a situação. Agora já com o problema da presidência resolvido, com Toni desde início, e com forte apostas em reforços como Sokota, Simão, Zahovic, Drulovic, Mantorras, Argel, e Caneira, renascia a esperança na Luz. O arranque de campeonato foi irregular mas sem derrotas, 7 vitórias, 6 empates.

Esta foi a época em que Robert Enke chega a capitão do Benfica, embora Fernando Meira fosse a primeira escolha.
Enke já era um dos indiscutíveis na equipa, e já havia um enorme carinho no Terceiro Anel pelo miúdo. Nunca mais me esqueci do ritual da sua chegada a cada baliza no início da partida e no começo da segunda parte. Corrida em direcção ao poste direito e uns pontapés na base para tirar a terra das chuteiras, um passo para o lado e com aquele seu ar comprometido, direito, e com classe batias palmas virado para aquele lado do Topo. Repetia depois o gesto no outro poste. Sempre. É uma imagem que fica.

Nesta época não houve Europa por isso estava tudo concentrado no campeonato. Mas a estreia não correu bem. Um empate na Póvoa de Varzim consentido já nos descontos com um auto golo de Cabral deixava logo a nação benfiquista em estado de nervos. Chegámos à vantagem de 0-2, Zahovic e Meira, e depois aos 83' Fumo reduz, para no final do jogo sofrermos o empate.
Seguiram-se dois jogos na Luz e duas vitórias, 2-0 ao Salgueiros, e 3-2 ao Vitória sadino com hat trick de Mantorras.
Na saída a Aveiro repetiu-se a história da primeira jornada e o SLB depois de chegar ao 0-2 permitiu a reviravolta do Beira Mar com Fary a bisar. Sokota aos 58' empatou, e terminou assim.
Seguiu-se o Porto na Luz e empate a zero, com Enke em bom plano. Saída ao Restelo e empate 1-1, com Marcão a voltar a marcar para os azuis, depois de Mantorras nos ter dado vantagem. Enke assistiu à explosão de Mantorras. Literalmente.
A 20 de Outubro de 2001 no jogo com o Gil Vicente na Luz Enke sentiu, e viu, todo o enorme carinho, e respeito, que os rapazes sempre presentes e sem nome tinham por ele como se pode recordar nesta foto:



Mais uma série de bons resultados apesar do empate caseiro com o Leiria, e um nulo cedido ao Vitória minhoto, até que chega o famoso derby da ventania que derrubou Jardel.
Depois de estarmos a ganhar por 2-0, Simão e Zahovic, o Sporting com a ajuda de Duarte Gomes inventou um empate que marcou a parte final da 1a volta.


Pedro Proença na jornada a seguir ajudou o Boavista a vencer 1-0 a 23 de Dezembro de 2001 num jogo que Pedro Emanuel massacrou Mantorras e só foi amarelado aos 90'. Foi neste jogo que Robert Enke se estreou com a braçadeira de capitão que envergou com orgulho notável.
Este jogo no Bessa fica marcado também por ter sido o último com Toni a treinador.

A 5 de Janeiro de 2002 na recepção ao Marítimo novo treinador no Benfica. Jesualdo Ferreira começava com um empate 1-1, mais um de Mantorras, e também ele confiava totalmente em Enke que se manteve como titular e capitão do Benfica.
Foi assim até 2 de Março de 2002, dia em que Enke defendeu pela última vez a nossa baliza. Foi na Luz contra a União de Leiria que venceu por 0-2 com golos de Maciel e Derlei.
Pelo meio , em Fevereiro, tinha ficado um clássico nas Antas já com Mourinho no banco do Porto, que acabou expulsou, e com derrota nossa por 3-2. Ao golo de Simão responderam Deco, Alenichev, e Capucho. Mantorras ainda reduziu.

Até final da temporada a baliza ficou entregue a Moreira que viveu o seu primeiro derby em Alvalade em mais um empate bem inventado pelos vizinhos que nessa altura resolviam tudo com penaltis nos últimos minutos. Empate 1-1 depois de Jankauskas ter dado vantagem ao Benfica.

Na Taça uma viagem tranquila a Infesta, vitória por 0-3 e depois caímos no desempate com o Marítimo no Funchal após 1-1 no prolongamento na Luz num jogo horrível que Zahovic empatou aos 117'. Nos Barreiros o golo foi de ... Van der Gaag.

A 5 de Maio de 2002 jogou-se a última jornada dessa época. O Benfica recebeu o Marítimo e desta vez ganhámos por 3-2. Mantorras bisou e Gaúcho marcou na própria.
Foi a última época de Enke no Benfica, fez 32 jogos e teve como companheiros gente ilustre como:
Toni, Porfírio, Pesaresi, Andrade, Fernando Aguiar, Armando, Cabral, Júlio César, Ednilson, Andersson, e João Manuel Pinto.

Como recordação guarda a imagem da última corrida dele no relvado da Luz. Discreto ficou sozinho em campo no fim do jogo e fez questão de dar uma volta ao campo aplaudindo os adeptos e agradecendo o carinho de 3 épocas no Benfica.

Nessa altura especulava-se muito que o seu futuro seria no FC Porto o que criou algum mau ambiente na Luz, e nas Antas.
Vítor Baía não gostou de saber do real interesse dos seus dirigentes no alemão e fez questão de o mostrar. Enke, por seu lado, sempre sossegou dirigentes e adeptos encarnados dizendo que era senhor do seu passe e que em Portugal só jogaria pelo Benfica. O seu sonho era outro, queria experimentar o Barcelona. Quem não quereria?
Chegado o verão confirma-se a transferência de Enke a custo zero para o Barça. Mais tarde soube-se que o interesse portista era verdadeiro e que o nosso alemão os desprezou. Ao contrário de outros tristes que correm para norte cegos pelo dinheiro.
Enke foi enorme na sua saída.

Segui a sua carreira com atenção e fiquei muito feliz quando o vi ser chamado à mannschaft! O seu trajecto sempre foi manchado pela falta de sorte. Não foi feliz em Barça, nem na Turquia onde esteve emprestado, e quando regressou à Alemanha e estava no auge lesionou-se. Nos últimos tempos andou afastado dos relvados por uma virose intestinal, e quando regressou em boa forma à baliza do Hannover segurou um empate 2-2 com o "meu" Hamburgo.
Era sabido que gostava de terminar a sua carreira no Benfica. Nos últimos tempos sempre que se falou em reforço da nossa baliza, mesmo para Janeiro, era inevitável não pensar em Robert Enke.
Terminou a sua vida, a nós resta-nos perpetuar o seu valioso contributo ao Benfica.