origem

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Agradeço a prenda

Em dia de aniversário os que estão a 20 pontos do Glorioso negaram favores aos seus aliados do costume.
Uns a 9 e outros a 20. Bela temporada.

Leixões 0 - 4 Benfica


O MAR ESTAVA FLAT

Isto ontem tinha tudo para correr mal. Para mim era o grande teste à entrada da recta final do Campeonato. Quantas vezes nas últimas épocas se perderam pontos em cenários destes?
A diferença é que este ano confio (ainda mais) na minha equipa e acho que devo fazer um pequeno esforço e ir atrás dela para a apoiar mesmo quando tenho tudo contra.
Valha-me o apoio de uma mulher que entende o que é ser do Benfica até debaixo de água, e uma santa mãe que há muito que se habituou a preocupar-se mas a compreender esta necessidade de estar lá, seja onde for, a apoiar o Benfica.

Um sábado cinzento com a Protecção civíl possuída a largar alertar vermelhos para todos os 300 km que queríamos percorrer de Lisboa a Matosinhos. O vendaval que acordou Lisboa, a chuva que teimava em cair, a hora incrivelmente tardia a que jogo estava marcado, a proximidade do estádio do Mar ao território inimigo dos super idiotas que ameaçavam (mais uma vez) espalhar violência nas imediações do campo, e uma tradição de ainda não termos vencido o Leixões fora da Luz desde que subiram de divisão. A isto juntavam-se comentários de benfiquistas pessimistas que não arriscavam a viagem por estarem à espera do pior.
É nestas alturas que percebemos se acreditamos , ou não, no que andamos a fazer desde Julho. É nestas horas que sentimos o impulso de avançar, ou não, para uma aventura com um cenário não muito brilhante.
Eu não tive dúvidas em comprar o bilhete para Matosinhos a meio da semana. Sentia que era a minha obrigação depois de tudo o que tenho visto esta época. Isto é, tenho visto o Benfica a jogar muito à bola, a fazer exibições e a marcar como há muito não via, e o resto do país a espumar desesperado falando de árbitros, de túneis, a arranjar manifestações, e sei lá mais o quê.
Vejo meio país histérico porque o Benfica empatou em Berlim (com golos) e a acreditar que o fôlego acabou. Meio país que anda desde Agosto a dizer que só batemos a fracos, que quando o inverno chegar o Benfica não ganha nenhum jogo fora de casa porque não tem físico para se aguentar. Já levamos meses de chuvas e temporais e numa semana o Benfica despacha na Luz o Hertha por 4-0, e vai a Matosinhos repetir o resultado!

Claramente ajudados, vergonhosamente levados ao colo, dar 4 a um representante da Bundesliga na Europa assim como dar 4 num campo complicado onde não costumamos ganhar são resultados estúpidos e que só se justificam pela falta de qualidade dos adversários que por acaso recentemente tinham batido o pé a rivais nossos.

A viagem para o norte foi a normal de um dia de inverno. Algum vento forte, alguns km's com chuva mas nada que justificasse tanto receio. Já fiz viagens na A1 bem piores que a da última noite. Paragem estratégica em Gaia perto da praia para a obrigatória degustação de uma francesinha na companhia do grande amigo Varela que nunca falha (abraço para ele e desta vez com desejo que seja feliz mais logo). Os cinco benfiquistas que rumaram a norte estavam satisfeitos com o repasto, alguns estrearam-se nestas viagens com a turma do FuNNil outros já são habituais. Moral em alta para os últimos minutos de carro até ao Estádio do Mar.

Chegada com o cenário do costume. Benfica por todo o lado. Bancada completamente cheia. Apoio total. Confiança ilimitada. O conforto de sentirmos que somos tantas centenas a acreditar nesta equipa. Entra a equipa e olho para David Luiz e Luisão. Recordo-me que duas noites antes convivi com eles, mostrei o meu bilhete para aquele jogo e depois olho para Jesus que esteve na mesma noite largos minutos à conversa connosco e lembro da confiança que o homem tem no seu trabalho e fico mais calmo para começar o jogo.

Quando festejo o primeiro golo da noite lembro-me porque é que se fala tanto em túneis e colos... Temos sido verdadeiramente ajudados pela arbitragem e por isso é que o golo do Di Maria foi logo invalidado. É o campeonato ganho fora de campo.
Fora de campo na bancada. Mais um roubo contra o Benfica que faz com que o apoio da bancada se torne infernal e que a equipa seja literalmente empurrada para a baliza adversária até marcarmos um golo que ninguém já pode anular. O adversário desmoraliza, o ambiente, sempre quente em Matosinhos, arrefece, e o Benfica passa a jogar ainda mais e melhor. Jesus mexe na equipa como quer e lhe apetece. Dá para tudo. Lança Airton em estreia absolutamente surpreendente, e dá titularidade a Eder Luís deixando Aimar na bancada. E tudo funciona bem!

Na 2ª parte um puto argentino com a camisola 20 que um dia veio para a Luz para fazer esquecer Simão entrou revoltado com todo o favorecimento que o Benfica beneficia e resolveu tentar fazer golos que não pudessem ser anulados. Tarefa complicada mas que Di Maria cumpriu com nota artística elevada. Em 45' Di Maria atingiu o auge como jogador do Benfica e roçou a perfeição só ao alcance de algumas lendas que marcaram os nossos 106 anos de vida.
Tri Maria, um cântico que se transformou de madrugada em capa dos 3 jornais diários desportivos que não primam pela originalidade, ou então que se renderam ao jogador e à bancada que tanto odeiam.

Foi um jogo à campeão. Mais uma goleada que não vai contar para nada porque, como todos sabemos, o Benfica só ganha por ajuda de árbitros e com jogadas de bastidores. Uma vergonha!
Até se devia investigar o gesto de todos os jogadores que correram no fim do jogo loucos de alegria para junto daqueles que os levam ao colo jogo a jogo. Se pensarmos que cada camisola custa perto de 100 euros vejam bem quanto dinheiro foi atirado para aquela bancada de bandidos e de gente mal comportada. Investigue-se mais esta vergonha.

O Benfica hoje faz anos e a sua alma está tão grande, forte e iluminada como nas melhores décadas da sua gloriosa existência!
O Benfica somos todos nós, o Benfica é maior que Portugal e VIVA O BENFICA!

Parabéns Sport Lisboa e Benfica


106 anos

sábado, 27 de fevereiro de 2010

O Benfica Precisa de Nós

Por isso vou almoçar e enfrentar o temporal até Matosinhos para apoiar a equipa neste jogo bem complicado.
Conta comigo, Benfica!

Leixões - Benfica

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Convocados Para Matosinhos

Guarda-redes: Quim e Júlio César;

Defesas: Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, Miguel Vítor, Sidnei e César Peixoto;

Médios: Ramires, Ruben Amorim, Airton, Fábio Coentrão, Carlos Martins, Aimar e Di María;

Avançados: Saviola, Cardozo, Nuno Gomes, Alan Kardec e Éder Luís.

Organizar a Nossa Vida

r

Gala do 106.º aniversário do Benfica: Premiados

A Gala da Família

Grande noite benfiquista no Casino do Estoril.
O jantar de Gala do Benfica organizado anualmente por alturas do aniversário do nosso clube é um grande momento de convívio e união do que deve ser chamado de família benfiquista. O nosso clube volta a estar fortemente unido e na mesma sala convivem craques de outros tempos com os de agora, directores e Presidente com sócios anónimos, elementos de várias modalidades com figuras públicas de outras áreas, tudo tendo como denominador comum o Benfica.

É uma noite mágica em que se torna possível conversar calmamente com Rui Costa, ou conviver com a malta amiga da Tertúlia Benfiquista, ou incentivar jogadores, brincar com Ruben Amorim e o gozão David Luiz, cumprimentar o nosso capitão Luisão, mostrar a nossa preocupação quanto à próxima viagem ao Funchal aos nossos dirigentes explicando que temos viagem marcada, e até conversar de forma muito animada com o nosso treinador Jorge Jesus, acabando a tirar fotos para mais tarde recordar e juntando os companheiros de sempre para entoar cânticos que romperam numa sala demasiado cerimoniosa.

Foi tudo transmitido pela nossa televisão e divulgado pela imprensa presente em grande número. Também deu para trocar uns dedos de conversa com o companheiro de outros tempos Nuno Travassos.

O que vou guardar desta grande noite será o ambiente fantástico que se viveu e alguns episódios que partilho agora.

Como estava na mesa seguinte à mesa dos jogadores fiquem bem perto de Ruben Amorim e David Luiz. O brasileiro confirma-se como um puto muito bem humorado. Às tantas passei para a mão do Ruben o bilhete para o jogo de amanhã em Matosinhos enquanto o motivava. Ele olhou para mim e diz para ter cuidado e que não vai ser nada fácil. Respondi para não se preocupar e tratar de vencer o jogo. Nisto David Luiz pede para ver o bilhete. Lê, olha para mim e agradece: "É para mim?! Obrigado, valeu!"

Fora da sala na zona de fumadores assisti ao encontro entre Jorge Jesus e Carlão "Pacman" dos Da Weasel patrocinado por Rui Costa. O nosso treinador dirigiu-se ao vocalista fazendo o gesto de "pacman" com a mão.

Depois ficaram por ali e naturalmente meti conversa com o "Mister".
Mostrei-lhe no iphone a foto da nossa nova faixa que diz "Funil". Gostou mas estranhou o núcleo. Expliquei-lhe que somos da turma do Funil porque andamos sempre atrás do Benfica de copo na mão. JJ aprovou a ideia com uma gargalhada.

A seguir pedi para que ele inovasse no discurso europeu. Fiz-lhe ver que a meta de Hamburgo para nós é já certa. Nós estamos na final de Hamburgo e vamos ganhar. Ele pediu calma. Eu continuei pedindo para que pensasse no Mónaco. Aí o nosso treinador vacilou: "Mónaco?! Mas o Mónaco está na Liga Europa?". Não está. Nós é que já só pensamos em estar no Mónaco em Agosto. JJ não estava a acompanhar o pensamento e já estranhava a conversa. Até que se lembrou da Supertaça europeia e deu uma gargalhada. Pediu calma, para pensarmos com mais calma. Mas eu não desisti e expliquei que já nos estamos a ver a passear pelo Mónaco de camisolas de Benfica e até já tínhamos o adversário escolhido: Real Madrid. Aproveitei para lhe pedir para deixar o Javi marcar um penalti aos merengues nesse jogo.
Aqui JJ já só abanava a cabeça a rir dizendo que não ia ser fácil esse cenário. Claro que não vai ser fácil porque o Real está em desvantagem na eliminatória com o Lyon mas acredito que se apurem em casa. Sim porque nós já estamos certos no Mónaco, o Real é que está tremido.
Jorge Jesus depois de muito ter hesitado acabou rendido à teoria e desfez-se em elogios dizendo que gosta de adeptos assim que pensam mais à frente que confiam no futuro e que motivam os grandes feitos. Saiu do Estoril claramente a pensar nesta teoria de sorriso largo.

E nós acabámos a noite a conviver com adeptos do Everton que não queriam acreditar que o "10" Rui Costa estava ali na frente deles. Deprimidos com a sua noite europeia prometeram que iam torcer pelo Benfica até à final.
Uma noite à Benfica. Um bom tónico para viagem de amanhã.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Um Documentário Obrigatório: Vídeo!

É sobre este texto:

Estrelas da nossa Formação: Alexandre e Ruben Alfaiate



NOME
Alexandre Correia Alfaiate
Ruben Correia Alfaiate

NACIONALIDADE Portuguesa

NASCIMENTO 1995-08-17 (14 anos)

POSIÇÃO Defesa-Central e Guarda-Redes


Na Historia do futebol, temos assistido como alguma frequência a casos, em que as equipas possuem nos seus planteis futebolistas que são irmãos gémeos, nascendo ambos com a mesma apetência e jeito para jogar á bola, independentemente da posição que ocupem dentro do campo. Lembramo-nos dos irmãos Frank e Ronald De Boer, no Ajax e no Barcelona, e mais recentemente Rafael e Fábio da Silva, no Fluminense e no Manchester United. Mas na equipa de Iniciados A do Benfica também jogam dois irmãos gémeos, com grande valor, o Alexandre e o Ruben. O Alexandre joga a Defesa-Central e o seu irmão a Guarda-Redes. São provenientes da cidade de Peniche, onde começaram as suas caminhadas no mundo do futebol, e têm estado em grande destaque.



Com 6 anos, ambos começaram a jogar no Grupo Desportivo de Peniche: Ruben como Guarda-Redes e Alexandre, curiosamente como avançado, devido á sua estampa física. Mas a vida mudou muito cedo para um dos irmãos, o Alexandre. E com 12 anos, chegou ao Benfica, deixando o irmão ainda em Peniche, enfrentando, para já, o seu maior desafio. Alexandre acabou por ser testado e adaptado á posição de Defesa-Central, com grande sucesso, alteração que teve um grande impacto no futebol deste jovem jogador, pois é considerado como o mais promissor jogador da Formação do Benfica na sua posição. Na época seguinte estabeleceu-se nessa posição, conquistando o título de Campeão de Iniciados C e o estatuto de melhor jogador da equipa.

O seu irmão, Ruben Alfaiate, chegou somente ao Benfica esta época, depois de ter feito grandes prestações no clube da sua terra e na Selecção Distrital de Leiria, e está aos poucos a conquistar o seu espaço no Benfica. Ele é o Guarda-Redes mais utilizado nesta equipa de Iniciados A, e foi inclusivamente chamado, juntamente com o irmão e mais alguns seus colegas de equipa, á Selecção Distrital Sub-15 de Lisboa. São sem duvida dois grandes valores para o futuro do Benfica e o resultado mais flagrante, de que a Formação e a Prospecção do Benfica trabalham bem e estão no bom caminho, restando agora criar condições para que estes jovens talentos, a pouco e pouco, vão entrando na equipa principal do Sport Lisboa e Benfica.



Por: Batista
nunobatista7@iol.pt

Presente na Gala


Vai ser a minha estreia na Gala de aniversário do Sport Lisboa e Benfica.
Logo à noite.

Gala do 106.º aniversário esta noite no Casino do Estoril

Quem sucederá ao internacional grego Katsouranis como futebolista do ano?
Luisão, Pablo Aimar e Óscar Cardozo são os candidatos a jogador do ano 2009

Luisão, Pablo Aimar e Óscar Cardozo, três sul-americanos que podem marcar presença no próximo Mundial da África do Sul, foram, na opinião dos responsáveis do clube da Luz, os que mais se destacaram no último ano e são, por isso, os candidatos ao prémio de futebolista de 2009.

A escolha dos sócios e adeptos (a votação realizou-se, até ao passado dia 20, através do site oficial do clube) será conhecida, hoje, no decorrer da Gala do 106.º aniversário do Benfica. Mais uma vez no salão Preto e Prata, do Casino do Estoril, a partir das 20 horas.

Paralelamente, Fábio Coentrão e Roderick Miranda também podem deixar o Casino do Estoril com um prémio.

Os dois jovens futebolistas integram a lista das revelações do último ano, em conjunto com João Pais, internacional Sub-21 da equipa de andebol. André Lima (futsal), Bruno Lage (futebol formação) e Henrique Vieira (basquetebol) são os nomeados para treinador do ano, enquanto na categoria de formação a escolha contemplou as escolas de atletismo, hóquei em patins e basquetebol.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Olha, Sobralinho

Eu do Benfica nunca me envergonhei, nunca deixei de pagar quotas nem quando tive que aturar autêntico estrume dentro do Departamento de Comunicação e Jornal do clube.
Pior é quando o estrume tenta disfarçar o cheiro noutro poiso. Não consegue.
Sobralinho, és um pobre ressabiado.

Desculpem Lá, Corruptos

Interromper o vosso CIRCO mas agora entendam-se lá com os vossos amigos da PJ:
PJ faz buscas em escritórios do F.C. Porto

Bilhetes à Venda Para a Final de Hamburgo


A venda de bilhetes para a final da UEFA Europa League de 2010, para o público geral internacional, tem início às 11h00 (de Portugal Continental) desta quarta-feira, dia 24 de Fevereiro, em exclusivo no UEFA.com.

A venda de ingressos para a final desta época da UEFA Europa League, no Hamburg Arena, tem início esta quarta-feira, para candidatos a residir fora da Alemanha – com o processo de candidatura a decorrer em exclusivo no UEFA.com. A venda para o mercado alemão, que foi tratada através do "site" da Federação Alemã de Futebol (dfb.de), terminou no passado dia 15 de Janeiro.

O público internacional pode candidatar-se a dois bilhetes por pessoa para a final da edição inaugural da UEFA Europa League, no dia 12 de Maio (às 19h45 de Portugal Continental) na cidade do Norte da Alemanha. O período de venda tem início às 11h00 desta quarta-feira, dia 24 de Fevereiro, e encerra na sexta-feira, dia 19 de Março, às 17h00.

O processo decorre em exclusivo no UEFA.com, com cada candidato a ter que preencher um formulário on-line. Está disponível um total de 5,100 bilhetes para o público internacional e, caso a procura exceda a oferta, cada pedido válido será submetido a sorteio.

Estes bilhetes destinam-se a adeptos neutrais que queiram assistir à final da nova competição europeia de clubes, que pretende dar seguimento ao rico e orgulhoso legado da Taça UEFA.

Cada candidatura válida pode ser sorteada, desde que tenha dado entrada durante o período de candidatura estabelecido. Cada candidato que preencha os requisitos tem direito a um máximo de dois bilhetes. Ao submeter o pedido através do UEFA.com, o candidato aceita os termos e condições do processo de venda. Os preços para público internacional são os seguintes: Categoria 1: 150 euros; Categoria 2: 115 euros; Categoria 3: 85 euros; Categoria 4: 55 euros; e Deficientes: 45 euros.

A taxa administrativa é de 30 euros (incluindo despesas de porte) para candidaturas válidas na Europa, ou 40 euros para adeptos neutrais do resto do Mundo. O pagamento é feito unicamente através de cartão de crédito (MasterCard e Visa).

Os candidatos serão informados através de e-mail até ao dia 30 de Março se o seu pedido foi aceite ou não, com os bilhetes a serem enviados a partir de 19 de Abril, por correio expresso. Para mais informações sobre ingressos, envie um e-mail para o endereço uelfinal2010@hsv.de, ou ligue para o número + 49 1805 – 258291.

Os candidatos poderão saber o estado do seu pedido através do UEFA.com, bastando para isso fazer "log-in".

Benfica no Top10 das 150 Vitórias Europeias

Benfica é o 10.º clube da história do futebol Europeu a chegar às 150 vitórias estando à frente de clubes como o Manchester United.

1 - Real Madrid
2 - Barcelona
3 - Juventus
4- Bayern Munique
5 - AC Milan
6 - Liverpool
7 - Inter de Milão
8 - Ajax
9 - Anderlecht
10 - BENFICA

Este é o quarto Benfica mais goleador de sempre na Europa

O Benfica garantiu terça-feira a sua quarta época mais realizadora de sempre nas taças europeias em futebol, ao somar o 23.º golo na goleada sobre o Hertha de Berlim (4-0), para a Liga Europa.

No 10.º encontro na mais jovem prova da UEFA, o "onze" de Jorge Jesus colocou-se a escassos quatro golos do seu recorde, estabelecido em 1964/65, época em que marcou 27 golos em nove jogos, na Taça dos Campeões Europeus.

Além dessa época, em que perdeu a final (0-1 com o Inter, em Milão), o Benfica só conseguiu mais dos que os actuais 23 golos em 1965/66 e 60/61, temporadas em que somou 26, na primeira em apenas seis encontros.

Desta forma, o conjunto "encarnado" tem - pelo menos ainda com dois jogos por disputar, uma vez que se qualificou para os oitavos-de-final - o melhor registo goleador em mais de quatro décadas.

Nas últimas 10 temporadas, o Benfica só tinha alancado por uma vez as duas dezenas: 20 golos em 2006/2007, em 14 encontros disputados - oito para a Liga dos Campeões e seis para a Taça UEFA.

O paraguaio Óscar Cardozo, que bisou fremte ao Hertha, passou a ser o melhor marcador do conjunto da Luz na prova, com sete golos, contra seis do argentino Javier Saviola e quatro de outro internacional "albi celeste", o extremo Angel Di María.

Os outros golos dos "encarnados" foram apontados pelos brasileiros Weldon e Luisão, os internacionais lusos Nuno Gomes e Fábio Coentrão, o espanhol Javi García e o argentino Pablo Aimar.

Com os quatro golos ao último classificado da Liga alemã, o Benfica passou a totalizar 89 golos oficiais em 2009/2010, superando, desde já, os 86 de 2003/2004, que era o melhor registo dos últimos seis anos... e ainda faltam, pelo menos, 13 encontros.

Os melhores registos goleadores do Benfica nas taças europeias

1. 1964/65 27 golos (9 jogos)
2. 1965/66 26 (6)
3. 1960/61 26 (9)
4. 2009/10 23 (10)
5. 1961/62 22 (7)
6. 1991/92 22 (10)
7. 1989/90 21 (9)
8. 1992/93 20 (8)
9. 2006/07 20 (14)
10. 1982/83 18 (12)

Javi Suspenso

Javi García viu confirmada hoje a suspensão de dois jogos que havia sido proposta aquando da instauração de um processo sumaríssimo.

A Comissão Disciplinar da Liga apreciou o recurso do Benfica e acabou por decidir-se pela manutenção do castigo ao jogador, pelo pontapé no defesa Valdomiro, agressão que passou despercebida ao árbitro Elmano Santos no jogo da 17.ª jornada, entre Benfica e V. Guimarães.

Javi García vai ficar de fora nos jogos com o Leixões (fora) e P. Ferreira (na Luz), jogos da 21.ª e 22.ª jornadas, respectivamente.

O Orgulho de Termos Eusébio



Eusébio recebeu hoje das mãos de Michel Platini, Presidente da UEFA, o troféu UEFA President´s Award durante o intervalo do jogo referente aos 16 avos-de-final da Liga Europa, entre Benfica e Hertha Berlim.

Durante a conferência de imprensa que antecedeu a entrega do troféu, Eusébio mostrou-se comovido com esta homenagem: “É uma grande honra receber está prémio. O primeiro jogador a receber esta homenagem foi o meu ídolo Di Stéfano, por isso representa muito para mim.”

Michel Platini recordou que “Eusébio é um nome gigante do futebol mundial e um exemplo para as gerações mais novas”.

Este troféu foi instituído em 1998 como forma de homenagear jogadores que se destacaram não só pelos seus feitos desportivos, mas também pelas qualidades humanas.

Benfica 4 - 0 Hertha: Resumo (com comentários em inglês)


Highlights

Freekicker | Vídeo do MySpace

Benfica 4 - 0 Hertha



Então e assim já está bem?

Andava por aí um nervoso miudinho por causa do empate da última quinta feira em Berlim. Escrevi aqui que o resultado tinha sido muito positivo e que era preciso sermos objectivos. Pouca gente deu importância ao "pormenor" de sairmos da alemanha com um golo marcado fora e trazermos para Lisboa uma vantagem na eliminatória.
Não. O que preocupava a nação é que o Benfica está a esvaziar o seu fôlego, a equipa está cansada, ai que o Porto goleou o Braga e o que vai ser de nós.

Amigos benfiquistas, o nosso treinador já tinha respondido quanto ao estarmos cansados: só se for de ganharmos muito. Mas hoje mostrou que nem disso estamos cansados.
Uma bonita exibição ( nota artística alta, não?) e mais uma chapa 4 para a Europa olhar para o Benfica com respeito.

Esta eliminatória nunca esteve em risco, estivemos sempre na frente desde cedo em Berlim, hoje confirmámos a excelente época que estamos a fazer. Viram o Aimar cansado? Eu vi o Aimar fazer um grande golo. Acham que o Cardozo já está cansado de facturar? O bis de hoje diz que não. O Javi está nas lonas? Até deu para fazer golo antes do descanso forçado.

Não vamos estar até Maio a golear todas as equipas que nos vão aparecer, mas também não estou a ver onde vamos perder e seguramente que voltaremos a aplicar uma chapa alta nos jogos que nos faltam. Isto porque o Benfica 2009/10 tem uma equipa a sério. Tem jogadores a renderem, tem fio de jogo, ataca muito bem, defende com segurança, e até dá para fazer uma das melhores campanhas do clube na Europa das últimas décadas com um Júlio César na baliza!

Todos os que fizeram um esforço para ver qualquer coisa do jogo de hoje no Estádio da Luz ( mais de 30 mil pessoas) sentiram-se recompensadas e vão voltar ao nosso recinto para ver mais, apoiar e festejar mais.

Ah e tal o Hertha é o último da bundesliga e mais não sei o quê. Pois é. E nós cumprimos a nossa obrigação, ou não? 5-1 na eliminatória chega?
Por mim chega e sobra.
Estamos nos 1/8 de final da Liga Europa que para nós começou bem cedo. A campanha começou numa pré eliminatória e já nos levou para o mês de Março. Isto é o Benfica como o conheci a cumprir o seu papel de grande e respeitada equipa europeia. A partir daqui aconteça o que acontecer já ninguém nos tira uma carreira muito bonita cheia de golos e exibições convincentes.
A Europa volta a olhar para os muitos golos do Benfica com prazer. E nós também.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Platini homenageia hoje Eusébio

O Presidente da UEFA considera o 'pantera negra' «um exemplo para futuras gerações»
Michel Platini, presidente da UEFA, entrega esta noite a Eusébio o troféu 'UEFA President's Award', distinção que foi criada em 1998 para premiar um grupo de elite de personalidades do futebol europeu que se destacou não só pelas qualidades técnicas como também nos aspectos profissional e pessoal. A ocasião ocorre 10 minutos antes do Benfica-Hertha de Berlim em pleno relvado do Estádio da Luz.

Em declarações ao site da UEFA, o francês justificou o porquê da escolha do king.

«É simplesmente um dos melhores goleadores de sempre e um embaixador do futebol. Um nome gigante na modalidade e que congrega os valores de abnegação, fair play e respeito, combinando com uma carreira de sucessos. É um exemplo para futuras gerações», afirmou Michel Platini.

E Eusébio respondeu:

«É uma grande honra receber esse prémio no meu estádio, diante de todos os adeptos do Benfica. Todas as vitórias ao longo da minha carreira e o contacto com os fãs fizeram-me perceber da responsabilidade deste acto e de ser um exemplo no mundo do futebol. Estou orgulhoso.»

fonte A Bola

Benfica - Hertha

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Convocados Para Eliminar o Hertha

Guarda-redes: Quim e Júlio César.

Defesas: Maxi Pereira, Sidnei, Luisão, David Luiz e César Peixoto.

Médios: Javi Garcia, Carlos Martins, Ruben Amorim, Di María, Pablo Aimar e Fábio Coentrão e Felipe Menezes.

Avançados: Saviola, Cardozo, Éder Luís, Alan Kardec e Nuno Gomes.

Pieter Vink na Luz

O árbitro holandês Pieter Vink foi designado pela UEFA para o jogo de terça feira entre Benfica e Hertha Berlim, da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa, a disputar no estádio da Luz (17:00).

Vink, que esta época apenas apitou jogos da Liga dos Campeões, foi o mesmo árbitro que invalidou um golo que daria o apuramento para a Liga dos Campeões ao Vitória de Guimarães na pré-eliminatória disputada na época passada com os suíços do Basileia.

Este árbitro holandês, de 42 anos e que é polícia, chegou à lista de árbitros de elite da UEFA em 2007, mas é um dos que não estará presente no Mundial 2010 da África do Sul.

Orgulho de 25 Anos de Sócio do Sport Lisboa e Benfica

O Caminho Para o Título

Leixões (F)
Paços de Ferreira (C)
Nacional da Madeira (F)
Sp. Braga (C)
Naval (F)
scp (C)
Académica (F)
Olhanense (C)
fcp (F)
Rio Ave (C)

Somos o 1º

Ao fim de 20 jornadas o Benfica lidera isolado com a melhor defesa, o melhor ataque, menos derrotas, e o melhor marcador do campeonato.
É só manter o lugar mais 10 semanas.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

O Gozo Total



Acho que o Record devia pagar direitos de autor pelo título que nasceu na blogosfera encarnada.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

O Grupo Falou

Vamos contar mentiras

Por
ricardo araújo pereira

HÁ duas alturas em que uma equipa consegue fazer uma época mítica. Uma é quando os seus jogadores praticam bom futebol, despacham os adversários com goleadas, enchem os estádios. Outra é quando os seus adeptos se entretêm a inventar mitos. Na impossibilidade de verem a sua equipa cumprir os requisitos da primeira, há colunistas que se vêem forçados a optar pela segunda. É o caso de Miguel Sousa Tavares. A sua última crónica era um soberbo monumento de mistificação. Dizia ele sobre o Benfica: «[n]o último campeonato ganho, o do Trapattoni, (…) nos últimos dez jogos todos os golos dos encarnados aconteceram de penalty e livres inventados ou duvidosos à entrada da área». Ou seja: no ano em que o Porto teve três treinadores, e na mesma época em que obteve o recorde de maior derrota caseira da liga (os célebres 0-4 frente ao Nacional), como conseguiu o Benfica ganhar o campeonato? Como é óbvio, com o auxílio da arbitragem. De outro modo, não se concebe como teria podido superiorizar-se ao fortíssimo Porto de Del Neri, Fernandez e Couceiro. Não houve presidentes do Benfica a receber árbitros em casa, nem vice-presidentes apanhados a oferecer quinhentinhos, nem viagens pagas ao Brasil — mas foi demasiado evidente que os árbitros beneficiaram o Benfica naqueles «últimos dez jogos», em que «todos os golos dos encarnados aconteceram de penalty e livres inventados ou duvidosos à entrada da área». Só há um pequeníssimo problema. É que isto é mentira (lamento, mas não há outra palavra). Nos últimos dez jogos desse campeonato, o Benfica jogou, por exemplo, com o Gil Vicente. Ganhou por 2-0, com um golo de Mantorras de bola corrida, a passe de Manuel Fernandes, e outro de Miguel, também de bola corrida, a passe de João Pereira. Depois, jogou com o Setúbal. Voltou a ganhar por 2-0, com um golo de Manuel Fernandes de bola corrida (belo remate de fora da área) e outro de Geovanni, também de bola corrida, na sequência de jogada pela direita. A seguir, jogou com o Marítimo. Ganhou por 4-3, com dois belos golos de Nuno Gomes, ambos de bola corrida (um a passe de Miguel e outro após centro de Geovanni), outro de Mantorras, em lance de (talvez o leitor já tenha adivinhado) bola corrida, e ainda um de Miguel, em remate de fora da área, na sequência de livre de Simão. E ainda jogou com o Estoril. Ganhou por 2-1, com um golo de Mantorras, após um canto (não um penalty), e outro de Luisão, depois de um livre junto à bandeirola (não à entrada da área). Claro que houve jogos que o Benfica venceu com um golo de penalty, como o Benfica-Belenenses, curiosamente na mesma jornada em que o Porto ganhou por 1-0 ao Marítimo com um golo de McCarthy em fora-de-jogo. Mas, a menos que dez jogos tenham deixado de ser dez jogos, ou que a expressão «todos os golos dos encarnados» tenha deixado de significar «todos os golos dos encarnados», Sousa Tavares inventou um mito.

No entanto, o atraso de uma equipa no campeonato é directamente proporcional à capacidade de efabulação dos seus adeptos. Não se estranha, portanto, que Sousa Tavares tenha prosseguido: «lembro-me bem do penalty decisivo, no último jogo no Bessa, que foi dos mais anedóticos que já vi assinalado». Mais uma vez, é mentira (peço desculpa, mas não há mesmo melhor palavra) que o penalty tenha sido decisivo. O Benfica terminou o campeonato três pontos à frente do Porto. Sem o ponto que aquele penalty garantiu, teria sido campeão na mesma. Resumindo: como o Porto (ainda) não consegue vencer campeonatos estando dois pontos atrás do primeiro classificado, aquele penalty não foi, de todo, decisivo.

Finalmente, a propósito do golo do Braga, diz Sousa Tavares que «entre a saída da bola e o golo decorreram uns trinta ou quarenta segundos em que a bola passou por uns seis jogadores e poderia ter sido umas três vezes definitivamente afastada pelos jogadores do Marítimo antes do belíssimo pontapé fatal de Luís Aguiar.» Permitam-me que atalhe para informar que isto é, como dizer?, mentira. Entre a saída da bola e o golo decorreram, não quarenta, não trinta, nem mesmo vinte, mas dez segundos. E a bola passou por dois jogadores do Marítimo que, no meio de sucessivos ressaltos, não conseguiram sequer tirá-la da grande área. A título de exemplo, compare-se com o golo do Benfica ao Porto. Entre o fora-de-jogo de Urreta e o belíssimo pontapé fatal de Saviola decorreram 13 segundos. E a bola é tocada por quatro jogadores do Porto que conseguem afastá-la para bem longe da área. A diferença é que o lance do Braga é uma minudência, mas o do Benfica é uma mancha que ficará para todo o sempre.

Éo que costuma acontecer aos moralistas: tanto tempo a acusar o Benfica de querer ganhar fora do campo, e afinal é o Braga que faz jogadas fora das quatro linhas. Domingos Paciência, que tem historial de estar a olhar para o chão e não conseguir ver lances polémicos, compreendeu o fiscal de linha. Disse que, provavelmente, o árbitro auxiliar não viu a bola fora porque «estava muito perto». Trata-se de uma hipótese brilhante. Pessoalmente, sempre achei que isto de colocarem os fiscais de linha junto da linha era uma estupidez. Em todo o caso, quando o Braga visitar o Benfica, talvez seja bom que Jorge Jesus jogue com dois laterais de cada lado. Um do lado de dentro da linha, outro do lado de fora.

Segundo a opinião insuspeita e prestigiada de Cruz dos Santos, apesar do que por aí se berrou e dos cabelos que se arrancaram, não é certo que tenha havido penalty sobre Ruben Micael no jogo contra o Leixões. Ruben Micael protestou, mas a verdade é que Ruben Micael protesta contra todas as decisões de todos os árbitros. Aparentemente, alguém deve dinheiro a Ruben Micael, ao menos tendo em conta a superioridade chorona que ele exibe em todas as ocasiões. É muito divertida, aquela indolência sobranceira própria de quem parece estar convencido de que é o melhor jogador português. O drama de Ruben Micael é que nem sequer é o melhor jogador madeirense.

Na Luz, embora o futebol tenha sido menos bom do que é costume, o teatro foi de alto coturno. Comovente, o modo como Bruno Vale, depois de cortar a bola com a mão, tentou enganar o árbitro fingindo ter levado com ela na cara. Foi um bom momento, mas é uma estratégia que não resulta em qualquer estádio. No Dragão, por exemplo, os guarda-redes são expulsos mesmo quando levam com a bola na cara.

Hulk incorreu numa infracção punível com uma pena de seis meses a três anos. Em princípio, se houvesse circunstâncias atenuantes, seria punido com um castigo mais próximo dos seis meses. Se houvesse circunstâncias agravantes, seria punido com uma pena mais próxima dos três anos. Apanhou quatro meses. Recordo que a lei previa um mínimo de seis. A Comissão de Disciplina alega a existência de uma forte atenuante: Hulk foi provocado. Ficou provado que os stewards não insultaram nem agrediram (enfim, o equivalente ao Guarda Abel, como muito perspicazmente têm assinalado vários adeptos do quarto classificado). Mas, ainda assim, conseguiram provocar. As piores provocações são, como sabemos, as que não consistem em insultos nem em agressões. Daí constituírem as melhores atenuantes, e contribuírem para uma punição inferior ao que a lei estipula. Vamos supor que, em vez de uma atenuante, a Comissão tinha identificado uma agravante. Alguém acredita que Hulk tivesse sido punido com um castigo superior ao limite máximo previsto na lei?

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Castigos de Hulk e Sapunaru

O futebolista do FC Porto Hulk foi suspenso por quatro meses pela Comissão Disciplinar da Liga, na sequência dos incidentes no túnel do Estádio da Luz, no final do jogo com o Benfica, informou fonte ligada ao processo.

O também portista Sapunaru, entretanto emprestado ao Rapid Bucarest, da Roménia, foi suspenso por seis meses.

Os dois jogadores encontram-se suspensos preventivamente desde 22 de dezembro de 2009, dois dias após o jogo que o Benfica venceu por 1-0.

A Comissão Disciplinar da Liga irá anunciar oficialmente os castigos hoje à tarde.

Hertha 1 - 1 Benfica



Meio caminho andado para os 1/8 de final da Liga Europa.
Um empate com golo marcado fora nas competições da UEFA é sempre positivo.
Repetimos o resultado da temporada passada mas desta vez não estamos na fase de grupos, estamos a 90' de resolver a eliminatória na Luz e nem precisamos de ganhar para afastar um dos representantes alemães na prova.

É certo que este Hertha está mais fraco que aquele que encontrámos na época passada, está no último lugar a caminho da Bundesliga 2. e o Benfica é favorito no duelo. Por isso havia esperanças de vencer em solo germânico, o que seria a primeira vez na nossa história, e trazer um resultado mais confortável.

A verdade é que eu já conhecia este filme. Não há muito tempo por esta altura do ano foi a mesma conversa. Sai o Nuremberga no sorteio que também ia no seu calvário interno a caminho da segunda divisão. Tudo a a apontar para um duelo fácil e depois foi o que se viu. Estivemos eliminados da Taça UEFA a escassos minutos do fim do jogo que os alemães venciam com justiça por 2-0 após o 0-1 da Luz com golo de Makukula.
Foi Di Maria que salvou o Benfica em cima do minuto 90, e depois veio um 2-2 milagroso já fora de contexto.
O mesmo Di Maria que na época passada fez o nosso golo em Berlim e hoje repetiu a proeza e marcou na outra baliza do mesmo estádio.

O golo madrugador de Di Maria teve o mesmo efeito na equipa que o golo de Saviola no Bonfim. Os jogadores acomodaram-se, sentiram que o adversário estava controlado e que mais golos iriam aparecer.
Tal como em Setúbal um auto golo nosso dá o empate a um adversário que nada fez para lá chegar.
Depois controlámos o jogo e tentámos com equilíbrio chegar a mais golos.
Como do outro lado não estavam propriamente tijolos do muro de Berlim tivemos que sofrer e aguentar o entusiasmo germânico que vê nesta eliminatória a salvação da época. Foi um jogo normal em que o Benfica podia ter resolvido cedo mas complicou tudo com o auto golo e alguma hesitação na hora de atacar.
Foi muito mais tranquilo do que a época passada mas ainda houve alguns calafrios que podiam ter sido bem suavizados se o árbitro marcasse o penalti sobre Ramires que toda a gente viu.
Não houve penalti, não houve mais golos, houve realismo. Aquilo não era um jogo para a Bundesliga, era para a Liga Europa e aí o que conta é marcar mais golos que o adversário. Se for fora de casa melhor ainda.
Jogo positivo do Benfica que já está em vantagem na eliminatória.
A vitória em solo alemão está marcada para uma noite muito mais épica e emocionante. Lá para os lados de Hamburgo.

Para finalizar uma questão tipo Buzz: De 28 de Agosto do ano passado até hoje quantas equipas perderam um jogo oficial com o Hertha de Berlim neste estádio?
Uma.
Qual?
Quem haveria de ser?

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Prémio Coluna d'Águias Gloriosas para post da semana

Obrigado ao Coluna d'Águias Gloriosas por ter escolhido o meu post sobre o documentário do Benfica para melhor da semana no Jornal da Gloriosasfera.

8 Repetentes em Berlim

Foi no primeiro jogo da fase de grupos da Taça UEFA 2008/09 que o Benfica empatou (1-1) no mesmo cenário e perante o mesmo adversário do jogo desta noite. Diante do Hertha, alinharam então oito jogadores que podem repetir a presença no relvado do Estádio Olímpico esta noite. São eles Quim, Maxi Pereira, Luisão, Carlos Martins, Cardozo, Miguel Vítor, Di María e Nuno Gomes. David Luiz, Rúben Amorim e Aimar faziam parte do plantel mas não viajaram até Berlim por se encontrarem lesionados.

Hertha de Berlim - Benfica

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Estrelas da nossa Formação: Filipe Guterres Nascimento


NOME Filipe Guterres Nascimento

NACIONALIDADE Portuguesa

NASCIMENTO 1995-01-07 (15 anos)

POSIÇÃO Médio-Centro Ofensivo

Filipe Nascimento é, aos 15 anos, mais um jovem em destaque na equipa de Iniciados do Benfica. Apesar de ainda ser muito novo, Filipe está desde os 7 anos no Benfica e conta já com alguns títulos conquistados no seu currículo, o que leva a que seja uma das maiores referencias na Formação encarnada. Joga habitualmente como Médio-Centro, envergando a camisola 8 ou 10. Está a atravessar um ano decisivo (último ano como Iniciado), ano esse em que os miúdos normalmente deixam de ser praticantes da modalidade, para passarem a ser futebolistas na sua essência, afirmando-se e moldando-se como jogadores. E a sua ainda curta carreira tem sido em ascendente.

Apesar de ser um jogador que pode actuar em várias posições dentro das 4 linhas, como Lateral-Esquerdo, Médio-Centro ou Extremo, é na posição de Médio-Centro ofensivo, ao jeito do nosso Rui Costa, que mais brilha e demonstra as suas qualidades: excelente técnica, visão de jogo apurada e um remate fortíssimo. O registo desta época tem sido bastante apreciável: em 17 jogos efectuados, Filipe Nascimento leva já 8 golos marcados e varias assistências conseguidas. Precisa de ser, no entanto, mais veloz e dinâmico em campo, mas tenho acompanhado de perto a evolução deste jovem jogador nos últimos anos, e penso que vai no bom caminho. Bastos Lopes, Renato Paiva, Bruno Lage e Luís Araújo, seus treinadores, têm feito um trabalho formidável.


Dono de um pé esquerdo fabuloso, Filipe Nascimento é um jogador de equipa, inteligente. Daqueles que faz sempre tudo bem feito. É o Sub-Capitão da equipa de Iniciados e um dos mais carismáticos jogadores da equipa. Ainda no último jogo frente ao Grupo Desportivo de Samora Correia, a contar para o Campeonato Nacional, esteve em destaque, marcando um golo e efectuando duas assistências, na vitória encarnada por 5-0. Como não podia deixar de ser, o nome de Filipe Nascimento está sempre presente nas convocatórias para a Selecção Sub-15, também por tudo o que atrás foi dito deste jovem talento. Vai ter de trabalhar muito, mas tem qualidades para vir a ser um excelente jogador. O tempo o dirá!

Por: Batista
nunobatista7@iol.pt

Erasmo Carlos é Feliz Sem Ser o Rei. Porquê?

É o grande colaborador do Rei Roberto Carlos e mostra nesta entrevista da Globo que não precisa de ser Rei para ser feliz.
Basta vestir um manto sagrado:

Norueguês em Berlim

Terje Hauge, da Noruega, foi o árbitro designado pela UEFA para dirigir, amanhã, o Hertha de Berlim-Benfica, da primeira mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa.

Di Maria Contra a Alemanha

O extremo benfiquista Dí Maria foi chamado pelo seleccionador argentino de futebol para o particular com a Alemanha, a 3 de Março, em Munique.

Pequenos

O 2º clube da capital portuguesa foi marcar um golo ao 2º clube de Liverpool. Mas perdeu. Esteve a perder por 2-0 até perto do fim. E os jornais enchem-se de verde esperança para ver se conseguem eliminar a equipa que levou 7 secos em dois jogos recentes com o Benfica.
Dimensões.

Quite Interesting About S.L. Benfica

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Convocados para Berlim

Guarda-redes: Quim, Júlio César e Moreira;

Defesas: Maxi Pereira, Luisão, Miguel Vítor, David Luiz e César Peixoto;

Médios: Javi García, Ramires, Airton, Ruben Amorim, Carlos Martins, Di María, Pablo Aimar e Felipe Menezes;

Avançados: Saviola, Cardozo, Nuno Gomes, Alan Kardec, Éder Luís e Weldon

Paços na Luz

Os preços dos ingressos para o jogo de 7 de Março (20.15 horas), da 22.ª jornada, no Estádio da Luz, variam entre os 10 e os 35 euros. Também já estão disponíveis os bilhetes para o Benfica-Hertha, no dia 23 de Fevereiro (17 horas), também na Luz.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Mais Benfica

Grande vitória do andebol na Alemanha
A equipa de José António Silva obteve este sábado um triunfo de grande nível (27-30) no recinto do TBV Lemgo, em encontro da 1.ª mão dos oitavos-de-final da Taça EHF.
A partida da segunda volta está agendada para o dia 20 de Fevereiro, na Luz. O jogo tem início marcado para as 18 horas.

Grande vitória também em voleibol no pavilhão do Vitória de Guimarães.
No basquetebol vitória tranquila contra a Académica na Luz.
No futsal mais uma vitória.
Só o hóquei destoou com uma derrota em Viana do Castelo.

Sempre Bento!

Recupero aqui o texto que publiquei no Encarnado e Branco sobre o melhor guarda redes que vi jogar no Benfica:

O Número 1 , Manuel Galrinho Bento!



De A Bola: Nem o frio intenso obstou a que a bancada do Estádio Municipal Manuel Galrinho Bento, na Golegã, se enchesse para homenagear o antigo guarda-redes do Benfica e da selecção nacional. A viúva, D. Gertrudes, os filhos Rogério e Miguel e o neto Tiago viram bem a importância e o carinho que o povo goleganense e os muitos amigos de Bento lhe atribuem... agora com saudade. O presidente da C. M. Golegã, José Veiga Maltês, recordou: «continuamos a honrar a memória do filho ilustre da terra, 'capital do cavalo'. Não são muitos os que podem vangloriar-se de ter o nome num estádio. Mas ele mereceu-o porque levou o nome do país aos quatro cantos do mundo. Fica aqui perpetuado para gerações vindouras». António Camilo, presidente do FC Goleganense (primeiro clube de Bento), outorgou-lhe a medalha de ouro do clube.

O Benfica fez-se representar ao mais alto nível: Luís Filipe Vieira, Rui Gomes Silva, Domingos Lima e Alcino António e as antigas glórias: Artur Santos, José Bastos, Palmeiro, Cruz, José Augusto, Adolfo, Libório, Veloso, Chiquinho, Jorge Silva, etc. Carlos Humberto, presidente da C. M. Barreiro, também marcou presença, tal como Camacho Vieira, antigo médico da selecção. Por fim a partida entre veteranos, Benfica-Goleganense (4-3), arbitrada por Jorge Coroado.

Rumo ao Título



Coitado do Braguinha...



Que são tão roubadinhos!

O Melhor Cardozo

domingo, 14 de fevereiro de 2010

O Mito Calabote

ACABA de ser publicado um livro que promete animar a época dos portistas (uma vez que a luta pelo segundo lugar não parece constituir animação suficiente). O autor é uma pessoa idónea, sobretudo na medida em que nunca foi levado por Pinto da Costa a conhecer o Papa. Por paradoxal que pareça, os autores de livros mais credíveis são aqueles que o presidente do Porto não apresenta a líderes religiosos. Isto da credibilidade literária tem subtilezas que só estão ao alcance dos críticos mais argutos.
A obra em causa relata acontecimentos passados há mais de 50 anos — que são, em geral, os mais úteis para se compreender o presente. Trata-se de uma investigação sobre Inocêncio Calabote, o árbitro que foi recebido pelo presidente do Benfica em sua casa na véspera de um jogo. Não, desculpem. Enganei-me. É o árbitro a quem o Benfica pagou uma viagem ao Brasil, assim é que é. Peço desculpa, voltei a equivocar-me. O livro é sobre um árbitro que terá recebido quinhentinhos de um vice-presidente do Benfica. Perdão, ainda não é isto. É um árbitro ao qual o presidente do Benfica mandou oferecer fruta para dormir, conforme comprovado por uma escuta. Apre! Não acerto. Bom, parece que se trata de um árbitro ao qual o Benfica não ofereceu nada e que, em troca, terá beneficiado o clube a ponto de fazer com que o Porto ganhasse o campeonato. Enfim, um daqueles escândalos que nem 50 anos de silêncio conseguem apagar. Mas, reconheça-se, um escândalo que se mantém actual: um árbitro que acabou castigado pela justiça desportiva num ano em que o campeonato foi ganho pelo Porto. Realmente, soa-me a familiar.


Por Ricardo Araújo Pereira n'A Bola

Finalmente Percebi o Nome do WC!



Benfica 49 pontos
sporting - 21

Benfica 1 - 0 Belenenses


Nem O Belenenses pareceu o último classificado deste campeonato, nem o Benfica mostrou a frescura da 1ª volta no Restelo quando goleou por 0-4.
Foi uma vitória à Trapattoni, digamos assim, e assumida por Jesus que no fim disse que isto começa a apertar e é verdade. No ciclo de Janeiro/Fevereiro só tropeçámos no Bonfim de resto tem sido tudo limpinho.

Ontem no regresso do futebol de campeonato com luz do dia ao nosso estádio houve mais uma vitória, mais 3 pontos, e casa cheia.
Não foi um jogo brilhante do Benfica mas jogou-se o suficiente para cumprir o objectivo.
O golo de Cardozo foi muito importante porque apareceu cedo e tirou a possibilidade do Belenenses se ir encostar à sua área para defender e acalmou equipa e adeptos que ficaram à espera de mais golos que desta vez não apareceram.
Ninguém fica chateado por ter sido só 1-0 porque a meio da semana houve aqueles 4 aos nossos vizinhos e o Cardozo desde o penalti falhado já facturou 2 vezes. Portanto está tudo bem, tudo confiante para a recta final que aí vem.

Basta lembrar o documentário de que falei há dias sobre o campeonato de 59/60 para sabermos que o Belenenses é historicamente incómodo na Luz por isso este 1-0 aceita-se com agrado e faz mesmo lembrar aquele jogo com Trapattoni que acabou de igual resultado em que o italiano veio explicar que é assim que se fazem campeões. E é, todos nós sabemos.
A vitória ficou mais bonita depois de vermos umas horas depois o Porto perder 2 pontos em Matosinhos.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Convocados Para Receber o Belém

Guarda-redes: Quim e Júlio César.

Defesas: Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, César Peixoto e Miguel Vítor.

Médios: Javi Garcia, Ramires, Fábio Coentrão, Pablo Aimar, Carlos Martins e Ruben Amorim.

Avançados: Saviola, Óscar Cardozo, Kardec, Nuno Gomes, Éder Luís e Weldon.

Um Documentário Obrigatório!

Nos dias em que o futebol é toda uma polémica em volta de frutas, túneis, apitos dourados, petições de verdade desportiva, com curtos intervalos para jogos que se resumem a casos de arbitragem é bom que se tente lutar para voltarmos à essência da modalidade.

Ontem informei que a Cinemateca ia passar um documentário, ou melhor, vários curtos documentários sobre futebol em Portugal. Um deles tem o apelativo nome de Benfica é Campeão.
Ao saber deste evento apressei-me a divulgar e quando ontem me juntei a outros companheiros de bancada na Cinemateca estava à espera de ver muitos benfiquistas curiosos com tão invulgar projecção. Comprei logo os bilhetes, ainda vi uma câmara e uma repórter da Benfica TV e pensei que ia conviver com figuras de relevo do universo benfiquista.
Na chegada a sala estranhei os lugares vazios, poucos é certo, e só reconhecer o grande S.L.B. do Não se Mencione o Excremento. Que eu saiba além deste, do Red Pass, e do Arcádia não vi mais nenhum blog presente.
Estranho o desprezo.

O que eu vi naquela hora passada na sala da Cinemateca mexeu comigo e deixa marcas profundas no meu benfiquismo.
Eu aprendi o que é o Benfica com o meu avô, o padrinho da minha irmã, e o meu pai. Aprendi com as inúmeras e deliciosas histórias que o o pai da minha mãe foi partilhando comigo ao longo da vida até ao dia do seu falecimento em 1999. Lembro-me de todas e sei que contribuíram para a minha cultura benfiquista de forma decisiva. As viagens pelo país para ir ver o Benfica, o ambiente festivo em volta dos jogos do Benfica, a construção do Estádio da Luz com o suor, dinheiro, e ofertas dos associados do Benfica, a mística dos jogadores, o bom futebol, as rivalidades internas com o Sporting e o Belenenses (ele não dava importância nenhuma ao Porto) as externas com os espanhóis, a mobilidade absolutamente impressionante dos adeptos em dia de jogo, o apoio que vinha das bancadas que criaram o famoso ambiente de Inferno da Luz, tudo isto contado por quem viveu aqueles tempos.

O facto de sempre ter vivido bem perto da Luz cedo me levou a frequentar aquele maravilhoso monumento e a aprender mais histórias. Eu só entrei na vida do Sport Lisboa e Benfica no fim dos anos 70. Já tinha tanto para aprender! O padrinho da minha irmã um dia resolveu levar-me a ver um jogo a sério. Aqueles 90' mudaram a minha vida. Foi em 1979 tinha eu 6 anos. Nunca mais quis outro ambiente que não aquele. Fiquei completamente maravilhado com tudo. Sentia-se o cheiro da tal mística. Fiquei de tal maneira absorvido pelo Benfica que passei a acompanhar o meu pai, sportinguista de nascença, aos grandes jogos europeus para os quais ele era convidado para a bancada central. Vi noites europeias fantásticas. Vi a meia final da Taça das Taças contra o Carl Zeiss Jena que ganhámos 1-0 mas não chegou para anular o 0-2 trazido da RDA. E a partir daí raramente falhei uma noite europeia na Luz. A mais marcante foi aquela em que o meu avô entrou na Luz pela última vez e me levou pela mão. Empate a 1 na final da UEFA com o Anderlecht. Um dos momentos mais queridos de toda a minha vida, o abraço que ele me deu no golo do Shéu.

Ontem tive oportunidade de me lembrar disto tudo. No fundo foi o regresso às raízes. Finalmente pude associar as imagens que a minha imaginação fabricou com os dados das histórias do meu avô às imagens reais do Benfica em 1959/60.
E o que posso dizer é que afinal o meu avô era um homem comedido. Todo aquele entusiasmo com que me falava do apoio ao Benfica pecava por ... escasso.
As imagens que eu vi ontem pulverizaram todas as minhas expectativas.
Como é que o meu avô podia entender o movimento das claques a que pertenci no anos 80 e 90?! Eu bem tentei dizer que nós é que tínhamos o espírito de apoiar, ele sempre foi contra e torcia o nariz.
Só ontem percebi porquê. Realmente as nossas intenções eram óptimas, mas o que os nossos antepassados fizeram pelo Benfica foi muito mais impressionante. Não era uma claque nem duas... Eram dezenas de milhares de pessoas com bandeiras do Benfica e num apoio esmagador à equipa!

Na época 1959/60 o Campeonato de Portugal de futebol conheceu a vigésima sexta edição. Participavam 14 equipas e o Benfica procurava o seu 10º título.
A duas jornadas do fim fomos jogar a Matosinhos com o Leixões (acabou em 8º lugar) e a vitória dava o título.
O documentário mostra imagens da véspera do jogo. Testemunha a loucura e a ansiedade com que os adeptos esperavam o importante desafio. Uma original iniciativa do clube fez com que os benfiquistas de Lisboa fossem apoiar o Glorioso não de carro, nem de autocarro, nem de comboio...
No dia 4/06/1960 milhares de adeptos do Benfica foram no navio "Timor" de Lisboa para Matosinhos! As imagens do documentário são deslumbrantes. O porto de Lisboa invadido por milhares de adeptos a embarcarem numa animação e confiança contagiante. A imagem do navio a sair do cais é impressionante. Estamos a falar deste monstro:


Chegados no dia seguinte (!) ao porto de Leixões tiveram uma recepção apoteótica dos benfiquistas do norte que invadiram o cais em euforia total. O Porto era encarnado. O modesto estádio do Leixões rebentava pelas costuras com adeptos mesmo em cima das 4 linhas. Tudo do Benfica. Imagens deslumbrantes de um jogo que nos valeu o Título porque ganhámos, obviamente.
Esta sequência de imagens do navio até ao estádio fazem mais pela História do Benfica do que um ano de emissões da Benfica TV.

Depois há a cobertura do dia de jogo com o Belenenses na última jornada. Era um jogo importante porque ia consagrar o Benfica como campeão invicto! Em 25 jogos tínhamos 20 vitórias e 5 empates.
Imagens lindíssimas do estádio da Luz já com o seu Terceiro Anel imponente completamente cheio, a rumaria nos arredores do estádio, tudo campo saloio, os adeptos com bandeiras, e a loucura no relvado com centenas de pessoas de volta dos nossos jogadores que recebiam flores, abraços e beijinhos. Um cenário de festa total. Lindo o momento em que se filma a entrada da equipa do Belenenses que passa despercebida no meio de tanta azáfama no centro do relvado. Só visto!
Claro que na altura, como agora, tanta euforia deu mau resultado e acabámos por perder o jogo por 1-2 e a invencibilidade no campeonato.

A sessão foi ainda mais abrilhantada pela presença de um ilustre sócio, pai do Pedro do Arcádia, que estava ali apenas a recordar momentos que presenciou! Esteve nas inaugurações da Luz e do Jamor, e esteve neste jogo com o Belém. Confessava-nos no fim da sessão que apesar de se ver no documentário uma animada invasão de campo no fim do jogo a malta não estava nada satisfeita com a derrota. Antes pelo contrário. Ele foi um dos que não achou piada nenhuma. No fundo está no nosso sangue facilitar em alturas decisivas como se tem visto na história recente.

Há muitos mais pormenores deliciosos no documentários, tais como uns momentos de publicidade descarada a iogurtes, ao sumol e aos cigarros Benfica! Sim, os jogadores fumavam, mas só cigarros da marca Benfica!!
São imagens com uma carga emocional tão forte para quem está a associar o que os olhos vêm com aquilo que a sua memória guarda de conversas com 30 anos de distância que não consegui evitar umas lágrimas de emoção.

Estes 11 minutos de documentário são ouro puro. São imagens que têm de ser rapidamente vistas por responsáveis do Benfica, têm que ser adquiridas pelo nosso clube para serem divulgadas pelo universo de benfiquistas espalhados pelo mundo.
Tanto que se preocupam com imagens da treta de túneis e sobre um tesouro destes não há interesse nenhum?!

Prometo que vou fazer tudo o que puder para chegar ao contacto com responsáveis do Benfica. O meu primeiro contributo é este modesto texto que quero que seja lido pelos nossos directores. Os leitores podem ajudar divulgando a necessidade de termos acesso a este filme. Isto é a história do Benfica como nunca a vimos!

Sinto-me hoje mais benfiquista que ontem. Não sei como é possível mas sinto.
Como é, vamos de barco para Matosinho no fim deste mês?

Viva o SPORT LISBOA E BENFICA!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Nada como Golear os Lags

Ao fim de 218 dias de vida o Red Pass registou o maior número de visitas únicas quando?
Ontem, após a goleada do WC:
Highest Day 2234 / 10 Feb, Wed, 2010

Carlos Xistra (Castelo Branco)

No Benfica - Belenenses.

O Panda e a Águia

Panda Bear, dos Animal Collective (que assinaram o melhor disco de 2009 para a maioria da imprensa musical) , é lisboeta e benfiquista adoptivo. Na Luz, Gonçalo F. Santos fotografou-o. Rodrigo Nogueira falou. Tudo para ler na a revista Timeout. Fica aqui o destaque:



Sei que és do Benfica. Qual é a tua relação com o clube?

Já gostava de futebol antes de me mudar para cá. Depois, quando cheguei, vi a final da Taça entre o Benfica e o Porto do Mourinho. O Benfica ganhou e eu estava com alguém que era do Norte e adepta do Porto e ela ficou muito chateada por terem perdido. Foi aí que disse “acho que vou ser fã do Benfica”. Mas não sabia a história nem o que significava para as pessoas de cá. Como o meu vizinho de baixo, no Bairro Alto, era um grande adepto, comecei a ir a casa dele ver os jogos. E ele é sócio, por isso leva-me duas vezes por ano ao estádio. Fiquei obcecado, vejo todos os jogos.


Panda Bear apresenta Tomboy, o seu próximo álbum, na sexta-feira e no sábado no Lux.

O Benfica é Campeão na Cinemateca

Fica aqui uma grande sugestão para o fim de tarde de hoje na Cinemateca.

ABRIR OS COFRES
Seguindo a lógica de programação ensaiada em Janeiro no sétimo ano desta rubrica regular da programação, voltamos a “abrir os cofres”
com dois programas desportivamente aproximados pelo tema do futebol em sessões comentadas pelo sociólogo António Domingos e pelo
realizador Ricardo Costa. Desafiámos o primeiro a descobrir cinco pouco conhecidos títulos de curta-metragem da colecção e convidámos
o segundo a apresentar o seu filme de 1983 O NOSSO FUTEBOL, em Primeira exibição na Cinemateca.

Qui. [11] 19:30 | Sala Luís de Pina
A INFORMAÇÃO DO DIÁRIO DE NOTICIAS NOS GRANDES DESAFIOS DE FOOT-BALL: O
IV PORTUGAL-ITÁLIA
Portugal, 1929 - 9 min / mudo

O IV DESAFIO INTERNACIONAL ENTRE PORTUGAL E A FRANÇA
Portugal, 1929 - 10 min / mudo

INAUGURAÇÃO DO ESTÁDIO NACIONAL
de António Lopes Ribeiro
Portugal, 1944 - 19 min

NOVOS ESTÁDIOS
Portugal, 1958 - 9 min

O BENFICA É CAMPEÃO
de Silva Brandão
Portugal, 1960 - 11 min

Um retrato da produção documental portuguesa tematicamente centrada no futebol em cinco títulos de curta-metragem produzidos e
realizados entre 1929 e 1960, os dois primeiros dos quais mudos. A Informação do Diário de Notícias… mostra a experiência de adeptos,
reunidos em multidão, em Lisboa, na Praça do Comércio e no Rossio, para seguir um Portugal-Itália (perdido por seis golos) através das
informações do placard eléctrico disponibilizado pelo Diário de Notícias. O IV Desafi o Internacional entre Portugal e a França (perdido
por dois golos, realizado em Paris) tem imagens do jogo, dirigido pelo seleccionador Cândido Oliveira. INAUGURAÇÃO DO ESTÁDIO
NACIONAL é um dos títulos “clássicos” documentais de Lopes Ribeiro para a SPAC-Sociedade Portuguesa de Actualidades Cinematográficas,
registando a cerimónia ofi cial da inauguração do estádio do Jamor em 10 de Junho de 1944. Produzido pelo SNI-Secretariado Nacional da
Informação como episódio da série “Quatro Anos da Vida da Nação” e, como o anterior, um título ao serviço da propaganda do regime
salazarista, NOVOS ESTÁDIOS documenta os primeiros jogos realizados nos então recém-estreados estádios da Luz, Alvalade e Restelo.
BENFICA É CAMPEÃO dá a ver os preparativos, treinos, preparação física, dieta dos jogadores, num interessante fl ashback ao mundo do
futebol dos anos 1960. O fi lme regista ainda o jogo entre o Benfi ca e o Leixões, realizado no Norte, até onde o Benfi ca viajou de barco e que
venceu por um golo marcado por José Augusto, bem como o último desafi o desse campeonato, entre o Benfi ca e o Belenenses, no estádio
da Luz.

João Pedro da Silva Pereira

Diz o Wikipédia sobre o João "3 Milhões" Pereira:
No mercado de Inverno de 2009 foi contratado pelo Sporting CP e no primeiro jogo contra o clube que o formou, demonstrou todo o seu Benfiquismo ao ser expulso aos 7 minutos.

- Benfiquista do ano 2010

in wikipédia

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

O Treinador do Clube Diferente



O Shrek é Alexandre Pais , Director do jornal Record, que reagiu assim via twitter (@AlexandrePais):
Parece que o homem se refere a colunistas do Record. Claro, não ousaria dizer mal dos patrões. Então, sou o Shrek? Gosto, ó burro falante.

O barbas é o Luís Avelãs (@lavelas no Twitter) do jornal Record.

O Gordo é o Bernardo Ribeiro sub-director do jornal Record.

Numa palavra: CLASSE!

Uma Cabeça Assim


Já sabes como é, Di Maria!

oNNda Vermelha Vista Pela Imprensa


Onda vermelha invadiu Alvalade
Mais de nove mil adeptos do Benfica em impressionante e incondicional apoio à equipa
A onda vermelha chegou ontem à noite a Alvalade, com mais de nove mil adeptos do Benfica a deslocarem-se ao reduto do rival para apoiar a equipa no derby que decidia a presença na final da Taça da Liga. A invasão encarnada foi de tal forma que, não raras vezes, ficou a sensação de que era os da Luz que jogavam em casa.

O clima de festa entre os apoiantes das águias foi intenso e constante, até porque o jogo desde cedo correu de feição às suas cores. Até deu para muitos olés, tal a diferença gritante ao nível da posse de bola, sobretudo na primeira meia hora da parte inicial: aos 12 minutos, por exemplo, era de 28 por cento do Sporting contra 72 do Benfica. E nem o golo de Liedson, que reduziu o marcador (1-2), silenciou a onda vermelha.

No segundo tempo, com os minutos a passarem e a vantagem mínima a manter-se e, mais tarde, a ser dilatada, não faltaram as habituais provocações aos leões, nomeadamente a Rui Patrício, que viu os benfiquistas gritarem o seu nome após bater para fora um pontapé de baliza.

Os adeptos chegaram a pedir «só mais um» ainda antes do golo de Cardozo e terminaram a gritar em coro pelo... Sporting.


in A Bola

Pedro NN Ribeiro

Otários

Além de pagarem mais pelo bilhete do que nós resolveram mostrar uma coreografia de acordo com o seu clube: tudo ao contrário como mostra o Zé Bitaite.

sporting LOL de Portugal 1 - 4 Benfica


Há pouco mais de dois anos os calimeros choravam porque perdiam a Taça da Liga para o Setúbal.
Há pouco mais de um ano os calimeros choravam porque o Lucílio arranjou um penalti que o Benfica aproveitou para empatar uma final nos 90´. Chegados aos penaltis perderam tal como tinham perdido para o Setúbal.
Hoje os lagartos choram já nem sei bem do quê... Se dos 19 pontos que levam de atraso para o líder Benfica ou se da 3ª Taça da Liga que lhes foge. Será por terem levado mais um goleada de um rival com uma derrota caseira com a Briosa pelo meio? Ou será porque já perderam a conta ao número de vezes que são goleados só nas últimas duas época? Ou choram pela humilhação gigantesca que assistiram hoje na sua casa ao ver a 2ª curva benfiquista maior de sempre a cantar: "4ever a perder...", "chama o pinto ale ale", "vão pra segunda", "palhaços joguem à bola", ou mesmo "sporting sporting"?
Ou será que choram porque a sua equipa é vulgaríssima e passou uns 25' após o começo do jogo toda no seu meio campo a defender como se fosse a Naval?!

Ah! Já sei! Choram porque o melhor lateral português, João 3Milhões Pereira, foi mal expulso. Recordo aqui a minha experiência nas bancadas do WC.
Já o Benfica ganhava tranquilo e naturalmente e recebo um sms verde a explicar:
"um vermelho que não existe!"

Li e calei-me. Felizmente, mais tarde recebi outro sms verde de outro amigo que já se deixou de sportinguices há uns tempos que me confirmou o que eu já desconfiava:
"Bem, o J.Pereira é mesmo atrasado mental não matou o Ramires por pouco!"

Já aconselhei o 1º autor a tirar umas férias sem bola.

Depois li o grande Salema. Ok, podia ter avançado logo para esta parte. É claro que os cabeçudos hoje choram porque são calimeros e é evidente que só levaram 1-4 em casa porque foram muito prejudicados pelo árbitro! Mas claro, poderia lá ser por causa de outra coisa? Façam um luto. É uma vergonha os árbitros deste país roubam descaradamente a fabulosa equipa do Sporting que num ano levou 5 do Porto, 12 do Bayern, 4 em casa do Benfica, etc...

A lagartada à medida que foi descendo na classificação intensificava o discurso de estar em todas as frentes. Sim porque nós cedo saímos da Taça de Portugal, e o Pedro Mendes quando chegou disse logo que acreditava no título de campeão.
E agora ao 10º dia do mês de Fevereiro onde estão as frentes todas? Calma que ainda há a Liga Europa e o Everton deve estar mortinho para se vingar dos 7-0 que levou em 2 jogos do Benfica.

O Benfica reagiu assim desta maneira ao tropeção do Bonfim.
Um triunfo dedicado a todos os benfiquistas cépticos que nos últimos dias já agoiravam um desastre em cadeia. Como viram o Benfica continua goleador e agora o WC já conhece a veia de rolo compressor.

Pessoalmente não exultei com este resultado. Acho que 1-4 a este Sporting é o mínimo. Queria mais, esperava mais. Mas temos que ser realistas. Ir para o WC fazer rodagem de jogadores, mudar meia equipa titular para defrontar um rival que estava a jogar a sua última grande cartada da época e jogava na máxima força não podia dar muito mais que isto.
Foi engraçado ver o ambiente de jogo treino que a partida conhecia quando Jesus tentava corrigir e ensinar os novatos Kardec,e Eder Luís, enquanto Carvalhal desesperava a ver se a sua equipa da dinâmica de vitória passava , ao menos, o meio campo.
Muito divertido.

Mais divertido foi ver cabeçudos a abandonar as bancadas aos 32 minutos de jogo!! Mas então se não queriam os bilhetes porque é que fizeram aquelas figuras tristes a negar mais bilhetes aos benfiquistas que gostam de se divertir no WC?!
E porque raio os lagartos querem um estádio para mais de 20 mil pessoas se não levam lá ninguém?! A Câmara Municipal de Lisboa que proponha à lagartada dividirem o estádio do Restelo e tirem aquele WC dali. Não faz sentido.

Soube-me a pouco. Desde 1986 que vou ver derbys em Alvalade e este 1-4 para mim já nem é novidade. Goleadas repetidas tornam a rivalidade sem graça.

Obrigado ao Hermínio por ter criado esta Taça da Liga que veio contribuir ainda mais para perpetuar a fama de cabeçudos e calimeros dos viscondes.

Afinal é Carvalhal, ninguém leva a mal...

O Som dos 1-4

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Luisão e Ramires

Convocados para a selecção brasileira.

PSP desmente leões sobre a polémica dos bilhetes

É o que dá ter um clube sem dirigentes:

A PSP clarificou esta segunda-feira que "via com bons olhos" que os adeptos do Benfica ocupassem 30 por cento da lotação de Alvalade no encontro de terça feira com o Sporting, da meia final da Taça da Liga.

O subintendente Costa Ramos confirmou que "foi contactado" no sentido de se pronunciar sobre a "cedência de 30 por cento da lotação ao Benfica", e a hipótese foi acolhida com agrado: "Eu respondi que, para nós, PSP, até seria melhor!"

"Nesse caso, todo o topo norte ficaria para os adeptos do Benfica, o que permitiria deslocar das bancadas A-13, A-17 e A-23 as claques Brigada, Directivo Ultras-XXI e Torcida Verde para a bancada oposta, para junto da
Juventude Leonina", explicou Costa Ramos, na conferência de imprensa sobre o dispositivo de segurança do jogo.

Na reação à posição oficial do Benfica, que acusou o presidente José Eduardo Bettencourt de ter "faltado à palavra", o Sporting fez saber que consultara "as autoridades sobre a segurança do evento e que a hipótese de ceder os 30 por cento da lotação ao clube rival tinha ficado desde logo vedada".

Confrontado com o facto de a posição do clube de Alvalade não coincidir com a da PSP, Costa Ramos alvitrou uma explicação, apesar de ter confessado "não querer envolver-se em guerras entre os dois clubes".

"Se calhar, o presidente teria alguma dificuldade em responder perante as claques do Sporting sobre essa situação", referiu.

O responsável pela segurança do Sporting-Benfica disse ainda que no cenário hipotético do clube da Luz ter direito a metade da lotação: "Não seria problema algum, pelo contrário, os adeptos do Benfica seriam todos
colocados no topo norte. Haveria mais segurança do que haverá neste jogo".

Questionado sobre se a polémica que estalou entre os presidentes do Sporting e do Benfica a propósito dos bilhetes poder influenciar o comportamento dos adeptos dos dois clubes antes e após o jogo, Costa Ramos observou: "Espero que não tenha qualquer influência negativa, embora possa acirrar os ânimos dos adeptos, que procuração defender a posição assumida por cada um dos seus presidentes".

Este clima de crispação que se criou antes do jogo vai levar a PSP a reforçar a segurança: "O esquema, globalmente, não vai ser alterado, mas sim reforçado, por essa razão e porque nos cabe, também, o acompanhamento dos adeptos no exterior e no interior do estádio. Se o Benfica levar 6.000 adeptos em vez de 2.000 teremos de os monitorizar de forma dissimulada", explicou Costa Ramos.

Este não quis, no entanto, revelar o número de efetivos das forças policiais que estarão em serviço no "derby", limitando-se a dizer que "serão os necessários" e que "não andarão longe do que tem sido utilizado em dérbis' recentes".

A PSP defende, segundo o subintendente, uma filosofia de policiamento desportivo que tem a ver com a ocupação dos espaços no interior do estádio, com base na qual "os adeptos do mesmo clube devem ser colocados sempre em faixas do ponto mais alto da bancada ao ponto mais baixo".

"Colocar adeptos do Benfica na bancada B, por cima dos adeptos do Sporting, seria um fator de instabilidade e insegurança", exemplifica Costa Ramos, razão pela qual as claques do Benfica vão ficar todas nos setores A-7 e A-9 e B-7 e B-9, ocupando a tal "fatia de alto a baixo".

A PSP foi informada de que o Sporting cedeu ao Benfica 6.120 bilhetes e aponta para um cálculo de uma lotação entre 30.000 e 35.000 espectadores.

"Esse cálculo baseia-se na recolha de informação junto do Sporting sobre o ritmo de venda de bilhetes e tem em conta os cerca de 6000 que foram cedidos ao Benfica", rematou Costa Ramos.