origem

quarta-feira, 31 de março de 2010

És Tão Mentiroso, Mafioso!

Hermínio Loureiro desmente versão de Pinto da Costa

O ex-presidente Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Hermínio Loureiro, desmentiu as declarações de Pinto da Costa e negou que tivesse sugerido a Ricardo Costa que apresentasse a demissão da presidência da Comissão Disciplinar (CD) da LPFP.

"Apresentei o pedido de renúncia aos meus colegas da Liga e solicitei a todos os órgãos da Liga que se mantivessem em funções, tendo em conta a preocupação de manter o normal funcionamento competitivo das instituições", afirmou em declarações à SIC.

Sem alongar-se em mais comentários, Hermínio Loureiro assumiu "vontade de falar", mas, pelo menos até final da temporada, de forma a não criar "instabilidade", prefere remeter-se ao silêncio. "Estarei disponível para, logo que terminarem as competições, poder dar todos os esclarecimentos necessários."

Em entrevista à RTP1, Pinto da Costa tinha afirmado que Hermínio Loureiro decidiu abandonar a presidência da Liga de Clubes depois de ter sugerido a Ricardo Costa que se demitisse da CD.

Ricardo Costa também já desmentira a versão do presidente do FC Porto ontem à noite, em entrevista à SIC Notícias.

Michael Manniche em Entrevista ao I

Manniche foi um dos jogadores que eu mais idolatrei na minha infância. Chegou ao Benfica na altura em que me tornei sócio para poder ver todos os jogos no estádio da Luz. Ele e Stromberg foram os responsáveis por eu desejar ser louro aos 10 anos para deixar crescer o cabelo e jogar como eles. Estive na Luz no famoso jogo com o Liverpool na 2a mão da Taça dos Campeões. Depois de perdermos em Inglaterra por 3-1 (3 golos do terrível Rush) começámos o jogo na Luz a vencer com um penalti marcado por Manniche. Estivemos muito perto de fazer o 2o golo mas o resultado ficou em 1-0. Tive que esperar 20 anos por uma vingança. Desses tempos ficaram a simpatia pela equipa do Liverpool e a eterna admiração pelo dinamarquês que não dava 5 toques seguidos na bola e cabeceava de olhos fechados.


Michael Manniche fala três línguas mas só se expressa correctamente em dinamarquês, numa sonoridade que se assemelha à de uma máquina de flippers. O seu inglês tem altos e baixos e o português só aparece em palavras soltas, como "sócios", "Benfica", "Cascais", "restaurante Pimentão" e "canina". Alto e louro, Manniche foi o quinto estrangeiro de sempre a jogar no Benfica, depois dos brasileiros Jorge Gomes e César (1979-80), do jugoslavo Filipovic (82-83) e do sueco Stromberg (83-84).

O avançado dinamarquês chegou à Luz no Verão de 1984, na era Fernando Martins. Veio do Hvidovre, onde foi campeão dinamarquês, em 1981, e somou 23 golos em 77 jogos. Ainda antes de tocar na bola, Manniche já causara impressão no aeroporto. Media 1,96 metros de altura e tinha um arcaboiço pouco comum para um jogador de futebol. Ainda por cima, em Portugal, onde a selecção nacional acabara de brilhar no Euro-84 com seis jogadores do onze da meia-final com a França abaixo do 1,75. Está a ver o impacto, não é verdade? Mas pronto, Manniche vinha da Dinamarca, um país futebolisticamente sem expressão, e falou-se numa aposta falhada de Fernando Martins. Puro engano. Em quatro épocas na Luz, duas deles (a primeira e a última) em que não foi titular assumido, Manniche não só ganhou seis títulos (dois campeonatos, três Taças de Portugal e uma Supertaça nacional), como ainda marcou 75 golos em 132 jogos. Um desses golos foi ao Liverpool e valeu uma vitória (1-0) sobre a equipa que o Benfica defronta esta quinta-feira para os quartos-de-final da Liga Europa. Mote mais que suficiente para uma viagem ao passado. Em dinamarquês (ou flipperês, whatever), inglês e português. Mas sempre a rir, porque o homem é alto, louro e divertido. E aí está uma característica pouco conhecida dos dinamarqueses.

Boa tarde, é o Manniche?

Plim, plam, plim (deve ter sido "sim" em dinamarquês).

Daqui Rui Miguel Tovar, de Portugal. Tudo bem?

Ahhh, claro, claro. De que jornal és?

Do i, que nasceu em Maio do ano passado. Somos um jornal generalista. Política, economia, cultura, desporto...

Ahhh, boa, boa. E o que queres?

Quero falar contigo sobre o Benfica-Liverpool. Há uns anos marcaste um golo e o Benfica ganhou.

E era tão bom que isso se repetisse, mas com happy end. Porque nesse dia em que marquei, nunca mais me esqueço, fomos eliminados. Tínhamos perdido 3-1 [hat trick de Ian Rush a responder à "ousadia" de Diamantino] em Anfield e precisávamos de 2-0 para passar. O penálti foi muito cedo, aos cinco minutos, julgo eu, numa falta do Grobbelaar sobre o Jorge Silva. Portanto tivemos 85 minutos para marcar o 2-0 mas ele nunca chegou e lembro--me como se fosse agora (o "agora" dito em português) que os adeptos do Benfica nos aplaudiram no final do jogo, que acabou dez para dez, com as expulsões de Pietra e Dalglish, ao mesmo tempo, no final da primeira parte. Nessa altura o Benfica era bom e o Liverpool era fortíssimo. Aliás, era o campeão europeu e também chegou à final da Taça dos Campeões desse ano. Agora há um maior equilíbrio de forças e é até o Benfica quem está por cima do Liverpool em confiança, ritmo e jogo.

É verdade que "Tosco" era a sua alcunha na Luz?

Toscooo [pergunta com sotaque inglês]? Sim, lembro-me disso. Mas não é uma coisa muito boa, pois não?

É como se fosse desajeitado.

Ah ah ah [grandes gargalhadas, seguidas de uma explicação em dinamarquês a pessoas ao seu lado e aí explosão de gargalhadas em conjunto]. Tosco, ok! Sim, as pessoas começaram a chamar-me isso no início, porque havia Filipovic e Nené, porque eu não era titular e porque não conseguia dar cinco toques seguidos na bola, mas depois melhoraram e cheguei a ser chamado "canina", por graça. Não há um internacional português que tem o meu nome?

Sim, o Maniche.

Pois, mas só com um "ene". Que isso dos dois "enes" é um exclusivo meu. Nada de confusões entre ele e eu [e mais gargalhadas]. E ele não me parece nada toscooo. Pela forma como jogou no Euro-2004 e no Mundial-2006... Para acabar isso do toscooo, nunca ninguém me chamou isso directamente, mas às vezes ouvia, na rua, num restaurante.

Onde é que vivia?

Cascais [e o tom de voz sobe alegremente]. Fora de Lisboa mas tão perto e tão bonito... Foi o Benfica que escolheu a minha casa, porque lá eu ficava ao lado de Stromberg e Eriksson.

Mas então como é que um dinamarquês se entendia com dois suecos?

Sou uma desgraça para a nação. Admito. Eh eh. Repara no meu dia-a-dia. Ia para os treinos e vinha para casa com o Stromberg, a percorrer aquela linda marginal, e depois jantava com suecos, que nada tinham a ver com futebol. Eram vizinhos e depois tornaram-se amigos.

E havia algum restaurante de eleição?

Sim, o Pimentao [é Pimentão, claro]. Os peixes, as sobremesas. Ui ui, fantastic!

Mais alguma coisa?

Sim, os almoços e jantares com os jogadores do Benfica. Grandes tempos. Pietra, Álvaro, Bastos Lopes, Humberto Coelho, Oliveira, Diamantino, Carlos Manuel [ver caixa]. E as festas do Stromberg?

Então?

Eram do caraças [diz em português, outra vez com o tom de voz alegre]. Ele era um óptimo anfitrião.

E dentro de campo?

O maestro a comandar aquele Benfica sensacional. Jogávamos de olhos fechados.

E lá na frente, como é que era?

Levava porrada de meia-noite [novamente em português].

De quem?

Bolas, Lima Pereira [FC Porto] e Venâncio [Sporting, ver caixa ao lado]. Eram bons centrais, mas sofri entradas por trás completamente loucas. Eram outros tempos, em que não havia lei.

E mais?

Ganhava muitas bolas de cabeça. Era o canina, não era?

É verdade que um dia marcou um golo de cabeça de fora da área?

Ah sim, sim. Ao Sporting do Damas, mas nem me fales dessa tarde em que perdemos em casa [2-1, com Morato e Manuel Fernandes a surpreender Bento, a 13 de Abril de 1986, na primeira vitória do Sporting na Luz desde 1965] e deixámo-nos ultrapassar pelo FC Porto do Artur Jorge, na penúltima jornada. Eles foram campeões nacionais uma semana depois e campeões europeus na época seguinte.

Mas nessa época, 1985-86, o Benfica acabou a época a ganhar a Taça de Portugal. Nem tudo foi mau.

Sim, de acordo, mas o campeonato estava quase, quase. Foi uma pena. A Taça de Portugal foi um consolo. Ganhámos 2-0 ao Belenenses no Jamor.

Perto de casa, então?

Ahh, pois é. Mas não cheguei lá de carro, porque o Stromberg já estava na Atalanta e porque houve estágio num hotel. Cheguei de autocarro. Mas nessa tarde não marquei, apesar de ser titular.

Sim, mas já tinha brilhado no Jamor, na época anterior.

Pois, é verdade, foi no tal ano em que bati o Grobbelaar, do Liverpool, de penálti. Nessa final marquei dois ao FC Porto [3-1]. Tenho óptimas recordações da Taça. Em quatro épocas joguei três finais. Só falhei a de 1984, na época de estreia, porque fomos eliminados pelo Sporting, em Alvalade [1-2 nos oitavos, com golos de Carlos Manuel 8', Jordão 58' e Manuel Fernandes 78']. Duas épocas depois vingámo-nos [5-0 ao Sporting na Luz, nos quartos de final, com golos de Rui Águas 11', Wando 40', Álvaro 84', Manniche 86' gp e novamente Wando 90'], depois de eliminar o FC Porto [2-1 na Luz]. A Taça era óptima para mim porque marcava muitos golos [18 jogos e 22 golos, quatro deles ao Ponte da Barca, três ao União de Santarém, outros três ao FC Porto, este em eliminatórias diferentes, e mais três ao Vialonga].

E qual foi o melhor golo?

Difícil. Gostei de um ao V. Guimarães, em que fiz um chapéu com a parte... Como se diz aí?... Trivela. Promete que não diz nada ao guarda-redes?

Sim, prometo.

Era o Silvino. Na minha última época na Luz [86-87] ele jogou comigo, mas nesse 8-0 ele não teve a mínima hipótese. Estava adiantado e aproveitei.

Agora é que é para a despedida. O que diz ao seu anúncio da Robbialac?

Então, se o Eriksson fez um Macieira, com aquele chapéu, porque é que eu não podia? É como o chapéu ao Silvino. Tentei a minha sorte mas já nem sei o que dizia no anúncio. Na altura arranhava o português.

Pois... Abraço

Até já [português com sotaque de Cascais].


Maniche no Vedeta ou Marreta

250 mil!


Em menos de 8 meses de vida o contador do Red Pass regista mais de 250 mil visitantes!
Numa altura da época em que todas as emoções estão ao rubro, literalmente ao rubro, quero agradecer o carinho e a fidelidade a todos que por aqui passam regularmente para ler e comentar a actualidade do nosso Benfica.
Somos muitos mais perto do céu.

Resumo da Entrevista de Luís Filipe Vieira

Para quem não teve oportunidade de ver partilho aqui o resumo que o jornal A Bola faz da entrevista do Presidente ontem na SIC a Miguel Sousa Tavares.

«Alargar contrato de Jorge Jesus é assunto para tratar em breve»
Se não o contratasse estaria no FC Porto Desistiu de Falcao porque não quis duplicar salário Diz que Moniz será um dia candidato Quer receber mais do dobro em direitos televisivos
Por

nuno reis

ONTEM à noite, no programa da SIC, Entrevista especial, conduzido por Miguel Sousa Tavares, o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, elogiou Jesus e prometeu segurar o técnico além de 2010/11. «Tem sido fundamental. Esteve para ser treinador do Benfica há dois anos, mas conversei com Rui Costa e entendemos não apostar num português. Se calhar, se eu não aparecesse, seria agora treinador do FC Porto, tive acesso a determinadas mensagens. Vai ficar muitos anos no Benfica. É um assunto para ser tratado rapidamente e em breve vamos falar sobre isso», explicou, sem esquecer a elaboração do plantel: «Todos os jogadores têm o seu conhecimento, não entrou um sem que Jesus soubesse, é ele que os indica. Mas quem tem a decisão final e termina situações sou eu.»

Vieira garante ter uma relação especial com o técnico. «Todos os dias falo com ele, nem que sejam duas da manhã. Com Quique e Camacho não, é uma questão de proximidade. É habitual ligar-me a dizer que este ou aquele jogador tem de ser contratado», revela, antes de dizer que «o Benfica joga bom futebol e dá espectáculo».

Diplomático, o dirigente afirma que «o melhor jogador do Benfica é o conjunto», mas admite «uma preferência por Luisão», dado tratar-se de «um líder».

Mais à frente, Vieira explicou que os encarnados não estão a arriscar demasiado quando investiram, conforme apontou Sousa Tavares, 26 a 27 milhões de euros em jogadores. «Com a Liga dos Campeões e outros valores em direitos televisivos não precisamos de vender e podemos ter um Benfica ganhador em Portugal e na Europa, conquistador», fundamentou, antes de alargar a explicação: «Temos um passivo consolidado de 320 milhões de euros, com 200 milhões em passivo bancário. Se liquidássemos a sociedade o passivo bancário desaparecia. Os passes valem mais que isso. Há condições para ir embora e deixar tudo pago.»

moniz e os direitos televisivosJosé Eduardo Moniz, que esteve quase a ir às urnas com Vieira nas últimas eleições, também foi tema. «Estava mal acompanhado, mas não tenho dúvidas de que um dia será candidato à presidência», disse Vieira, que vai começar a trabalhar nos direitos televisivos. «A partir de amanhã [hoje] vamos falar disso e o nosso parceiro [Olivedesportos] será o primeiro a ser ouvido. Mas o dobro do que recebemos agora é pouco», explicou, antes de sublinhar que «o fundo de jogadores do Benfica é diferente» daquele que o FC Porto criou: «É transparente e está debaixo da alçada da CMVM.»

Pinto da costa e falcao«Nunca traí um amigo, perguntem-lhe a ele», eis a resposta ao facto de já não haver amizade entre os presidentes de Benfica e FC Porto. Depois, um desabafo: «As pessoas nada podem dizer de alguns campeonatos ganhos pelo FC Porto, mas de outros... No campeonato perdido com Fernando Santos temos coisas a apontar...»

Por fim, Falcao: «Não podia às duas da manhã duplicar-lhe o ordenado. Não me perturba [ter ido para o FC Porto]. Falcao é passado, senão tinha também de falar do Prediger e por aí fora...»

terça-feira, 30 de março de 2010

Sueco na Luz

Para o jogo contra o Liverpool foi escolhido Jonas Eriksson (Suécia).

Diz o Jornal Espanhol As: Cardozo e o Sevilha

El Sevilla negocia con el Benfica por Cardozo

El Sevilla, según ha podido saber AS, tiene muy avanzadas las negociaciones con el Benfica para fichar la próxima temporada al internacional paraguayo Óscar René Cardozo (20-5-1983). Sería el primer crack de un nuevo proyecto de renovación que el Sevilla lleva madurando desde hace un par de temporadas y que está dispuesto a poner en marcha desde ya. Cardozo, actual máximo goleador de la Superliga portuguesa, ha terminado de explotar definitivamente este año. Aunque sus números son excelentes desde que aterrizó en el Benfica en la temporada 2007-08, este año impresionan. Ya ha marcado 19 goles en Liga (dos más en la Europa League) y su influencia en el juego es extraordinaria. Cardozo, 1,93 metros de altura, responde al retrato robot perfecto de posible sustituto de Kanouté o Luis Fabiano. Zurdo cerrado, es un futbolista frío, pero técnicamente muy bien dotado.

Cardozo es capaz de bajar el balón y jugarlo bien a la banda o incluso darse la vuelta y encarar o buscar un buen perfil de disparo. Con Saviola en el Benfica ha hecho buenas migas y ya prepara su participación en el Mundial con Paraguay, selección en la que le ha sido difícil hacerse un sitio por la calidad de Valdez y Cabañas (el futbolista tiroteado en México). Cardozo, que empezó su carrera en Paraguay y optó por Newell's Old Boys como trampolín en Argentina para dar el salto a Europa, le costó unos 10 millones de euros en su día al Benfica, que le considera una de las piedras angulares de su proyecto. Cardozo ha soportado otros fichajes estrella como Di María, Aimar o Saviola y se ha mantenido como referente del equipo. El Sevilla, que ya ha negociado con el jugador y tiene avanzada las conversaciones con el Benfica, podría pagar una cifra similar a la que los portugueses desembolsaron por él.

Al menos esa es la primera idea del presidente del Sevilla, José María del Nido. El Benfica, a pesar de los registros goleadores de Cardozo, no se opondrá al traspaso del paraguayo. Primero, porque ya ha amortizado su fichaje y recuperará el dinero que pagó por su traspaso. Y, segundo, porque el deseo del futbolista es dar un paso más en su carrera y aterrizar en España en busca del reconocimiento de la crítica en Europa.

'Tacuara', un nuevo ídolo para la afición del Benfica

Tacuara, el apodo de Cardozo, se ha convertido en un ídolo para la afición del Benfica, una de las más numerosas del mundo. Le costó por su carácter algo frío (o al menos eso demuestra cuando juega), pero Cardozo ha convencido con sus números y, especialmente, con los resultados del equipo. El Benfica acaricia muchos años después la Liga y su gente agradece que sea gracias a los goles de Cardozo. Además, tiene una gama de recursos bien amplia: marca con las dos piernas, de cabeza, de libre directo, de penalti...

1 Milhão!

Até agora, contabilizando a Eusébio Cup e o jogo de apresentação contra o Atlético de Madrid, a Catedral recebeu um total de 951 058 espectadores.
Os jogos com Braga, Liverpool e Sporting vão gerar uma verba final na ordem dos 2,5 milhões de euros (um milhão pela partida da Liga Europa e do dérbi, e pouco mais de metade no jogo frente aos minhotos).

segunda-feira, 29 de março de 2010

Benfica vai a Coimbra num domingo

A 27.ª jornada do campeonato vai estender-se por quatro dias, entre 16 e 19 de Abril, anunciou a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), com o líder, Benfica, a visitar a Académica de Coimbra no domingo.

Segundo o comunicado da LPFP, o actual segundo classificado, Sporting de Braga, vai receber, sábado, o Leixões. Já o perseguidor dos minhotos, o FC Porto, só domingo é visitado pelo Vitória de Guimarães.

O encontro do Estádio Cidade de Coimbra entre a Académica e os “encarnados” está agendado para as 18h00 de domingo, enquanto a partida do Estádio do Dragão se vai disputar a partir das 20h15, com transmissões televisivas pela SportTV e pela RTP1, respectivamente.

A ronda é inaugurada na sexta-feira, com a recepção do Olhanense ao Marítimo, pelas 20h15, com transmissão televisiva da SportTV, e só termina na segunda-feira, após a visita do Vitória de Setúbal ao Sporting, também pelas 20h15 (SportTV).

Programa da 27.ª jornada
Sexta-feira (16 de Abril)
Olhanense - Marítimo, 20:15 (SportTV)

Sábado (17 de Abril)
Paços de Ferreira - Naval 1º de Maio, 19:15 (SportTV)
Sporting de Braga - Leixões, 21:15 (SportTV)

Domingo (18 de Abril)
Nacional - União de Leiria, 16:00
Académica de Coimbra - Benfica, 18:00 (SportTV)
FC Porto - Vitória de Guimarães, 20:15 (RTP1)

Segunda feira (19 de Abril)
Sporting - Vitória de Setúbal, 20:15 (SportTV)

Benfica Visto pelo Wall Street Journal

Benfica Helped by River Plate Reunion
Argentine Teammates Aimar, Saviola Help Club's Bid to Regain Traditional Place

By GABRIELE MARCOTTI

SL Benfica centerback Luisão is not who immediately comes to mind when you think of Brazilian soccer. Fittingly, for a man whose name literally means "Big Luís", his 6-foot-4 frame is long and muscular and, while his main responsibility is taking opposing center-forwards out of the game, he has a knack for popping up with important goals.

He did just that on Saturday, giving Benfica, at the top of the Portuguese League, the 1-0 win over second-place Sporting Braga which, in all likelihood will seal the club's record 32nd domestic championship. Benfica now boasts a six-point lead with six games to go and it's hard to see it throwing away the title.

You can only imagine what the party will be like when the crown does return to the club's Estadio do Luz for the first time since 2005. Benfica is far and away the country's best-supported club, and has more than 200,000 fans worldwide who pay around $34 a year for the privilege of calling themselves "socios" or club members. According to club officials, no team in the world has more paid-up members. And, for a relatively small nation like Portugal, its fan diaspora stretches all over the world. "Casa do Benfica" ("House of Benfica") fan clubs can be found in places as diverse as Johannesburg, South Africa; San Jose, California; Luanda, Angola; and Sydney, Australia.

And yet, Benfica has become something of a by-word for underachievement. In the past 15 years, the club has won just one league title, watching helpless as Porto—its rival from the north of the country—established itself as a force, not just in Portugal, but in Europe as well (witness the UEFA Cup and Champions League cups won under Jose Mourinho).

Last summer, Benfica rolled the dice and spent heavily to redress the imbalance. Some $45 million was spent, with just $7 million recouped in sales. In came, among others, Ramires—at 23 years old already a regular in midfield for Brazil—and Javi Garcia, a promising defensive midfielder from Real Madrid. One of the more interesting signings however was Argentine striker Javier Saviola, who rejoined playmaker Pablo Aimar a decade after the pair set South American soccer alight.

Back in the fall of 1999, Mr. Aimar and Mr. Saviola, 19 and 17 respectively at the time, formed a devastating partnership for Argentina's River Plate, whom they led to the Apertura and Clausura championships. Their precocious success led to call-ups to the national team and big-money moves to top European sides. Mr. Aimar joined Valencia in January 2001 for a club-record $32 million and, six months later, Mr. Saviola transferred to Barcelona for $20 million.

Both hit the ground running. Mr. Aimar led Valencia to two Spanish titles and a UEFA Cup, while Mr. Saviola scored sixty goals in his first three seasons at Barcelona. But then something unusual happened. Their performances dropped off severely. Mr. Aimar remained at Valencia until 2006, though by the end he was a shadow of former self. This was followed by two lackluster seasons at Zaragoza, the second blighted by relegation. Mr. Saviola was loaned out to Monaco and Seville, both times failing to make his mark. After another year as a bit player at Barcelona, arch-rival Real Madrid picked him up as a free agent, but, again he was a marginal figure, making just six league starts in two seasons.

But in the summer of 2008, Benfica took a gamble on Mr. Aimar and, after an injury-slowed first half of the campaign, he excelled towards the end of 2008-09 season. So much so that the club decided to repeat the exercise with Mr. Saviola, whom Real Madrid was looking to off-load.

The pair have enjoyed a renaissance—Mr. Saviola has scored 17 goals and Mr. Aimar is back to his creative best—and, at 28 and 30 respectively, both have a number of good seasons left in them. Together with countryman Angel Di Maria—arguably Benfica's player of the season and, at 22, a likely target for Europe's top clubs this summer—the Argentine trio have been the driving force behind Benfica's resurgence.

With the league all but wrapped up, Benfica can now focus on European competition. On Thursday it takes on Liverpool in the quarterfinals of the Europa League. Benfica's legion of fans are once again dreaming, harking back to the early 1960s and the days of Eusebio and Mario Coluna, when the club twice won the European Cup.

Parabéns, Rui!

Rui Costa, Director desportivo e administrador da SAD comemora hoje 38 anos, com Benfica mais líder.

Os Momentos do Capitão Luisão

O primeiro momento

Depois da sua primeira época na Luz, Luisão é mais uma vez chamado à selecção do Brasil, para jogar a Copa América, no Peru. Na final, a 25 de Julho de 2004, frente à Argentina, marca o golo do empate, após estar a perder graças a um penalty cometido pelo próprio sobre Lucho González. O empate a 2-2, leva os canarinhos a vencer nos penalties, já com o defesa de fora, devido a uma fractura na cabeça após um choque com Ayala.

O segundo momento

14 de Maio de 2005: Luz a rebentar pelas costuras, joga-se o encontro do título, o Benfica está em segundo lugar, a um ponto do Sporting. Só a vitória interessa, o empate serve aos leões de José Peseiro. O jogo arrasta-se num 0-0 intenso. Até aos 83 minutos: Petit (hoje capitão do Colónia) cobra um livre lateral e Luisão sobe ao último andar para bater Ricardo (hoje na II Liga espanhola, no Bétis), que fica mal na fotografia. O jogo fica aí sentenciado, na última jornada a equipa desloca-se ao Estádio do Bessa e chega-lhe o empate (1-1) para se sagrar campeã.

O terceiro momento

O Benfica está em alta na Liga dos Campeões depois de vencer o Manchester United no último jogo da fase de grupos que afasta os red devils da prova. Nos oitavos-de-final calha à equipa apenas o Liverpool, campeão europeu em título. Ganhar na primeira mão é fundamental, se possível sem golos. Luisão faz tudo para os evitar e marca um, o único do jogo. A 21 de Fevereiro de 2006 o Benfica vence e essa vantagem é suficiente para encarar a partida em Anfield vindo de trás e surpreender pelo contra-ataque. É assim que surgem os golos de Simão e Miccoli. Agora vem aí o Liverpool, perguntem ao gigante como se marca.

O quarto momento

Novamente na selecção brasileira: 5 de Setembro de 2009, jogo escaldante em Rosário, na Argentina, estádio escolhido por Maradona de propósito para criar ambiente infernal ao adversário. De Luisão, El Pibe diz que parece um jogador de basquetebol mas é obrigado a engolir as palavras porque o benfiquista abre a contagem com um belo golo de cabeça, construindo aí um triunfo que terminará num 3-1 que qualifica imediatamente o Brasil para o Campeonato do Mundo da África do Sul.

O quinto momento

Novamente com a Luz como palco, bancadas novamente cheias. Vitória escassa por 1-0 frente ao Sp. Braga, que fica agora a seis pontos do líder Benfica. É legítimo chamar-lhe o jogo do título por colocar frente a frente as duas únicas equipas capazes de o discutir. Luisão marca o golo decisivo, sensação de déjà vu, ou não fosse o brasileiro de 1,92 metros o homem dos golos decisivos.

E falamos de um defesa central...

domingo, 28 de março de 2010

Mais 4 - 1



Em tarde de ressaca de uma grande noite de futebol nada melhor que um regresso à Luz para humilhar mais uma vez os vizinhos cabeçudos.
Jogo de Taça de Portugal, mata - mata, e o Benfica eliminou o Sporting por expressivos 4-1.
Bom jogo para curar a ressaca.
Onde é que já vimos este resultado?

Não Esquecer!



Em Julho: candidatos ao título
Em Janeiro: os reis do mercado de Inverno
Em Abril: -23

De Regresso à Luz

Porque o Benfica joga para a Taça de Portugal em futsal contra o rival do Campo Grande regresso à Luz poucas horas depois da vitória frente ao Braga. No nosso clube quando se joga em casa é mesmo casa nos nossos pavilhões perante o nosso público. De ressaca mas sempre presente para mais uma tarde de Benfica na Luz.

Benfica 1 - 0 Braga

Mais perto do céu!



Há algo de mítico naquele enorme pano que cobre o Topo Sul a relembrar à equipa o que todos nós queremos. Aliás, há qualquer coisa de mítico entre esse lindo pano e o nosso capitão!
No último título contra os cabeçudos do Campo Grande Luisão respondeu ao apelo de cabeça garantindo os 3 pontos. Contra o Liverpool, na altura campeão europeu em título, o pano abriu-se na recepção às duas equipas e perto do fim do jogo lá apareceu o "4" para abrir caminho para uma eliminatória épica.
Ontem num ambiente fabuloso lá estava bem estendida a mensagem de Benfica Campeão e quem fez o golo da vitória? Luisão, o nosso capitão. É bem capaz de ser isto a tal mística que andava arredada da Luz.

Sejamos claros, o Braga vinha a Luz com 3 pontos de desvantagem e esteve de férias 2 semanas para preparar o jogo enquanto nós andámos pela europa e a conquistar mais uma Taça da Liga. Esperava ver a equipa minhota atirada para o ataque em busca da vitória que os deixasse novamente na frente do campeonato. Mas não. Vieram em contenção e pareceu-me que saiam daqui satisfeitos com um empate. Isto a 6 jornadas do fim não é atitude de quem quer ser realmente campeão, é mais atitude de quem espera que lhe caia um título no colo por azares de terceiros, ou neste caso, do primeiro.

Sendo assim só posso dizer que a vitória do Benfica é inteiramente justa já que foi a única equipa que foi declaradamente à procura do golo desde que o jogo começou. Não notei diferenças físicas em campo o que não abona nada em favor da equipa de Domingos que , como já disse, esteve de férias duas semanas até este embate.
Houve mais Benfica, houve um apoio arrepiante vindo das bancadas e sente-se um ambiente especial nos 90' de jogo. Sente-se que estas gloriosas noites começam a ser ganhas por nós nas bancadas e que a equipa embala na onda de conquista. Longe vão os tempos dos cobardes, daqueles que treinavam neste estádio, alguns que até se diziam benfiquistas desde pequenos, mas que vacilavam quando o ambiente era infernal. A equipa encolhia-se com tanto apoio. Aqui está a prova que nunca se poderá dizer tal asneira neste clube. Se nessas alturas a equipa encolhia-se era porque os seus líderes não estavam à altura de tamanha grandiosidade que o nosso Benfica tem. Vejam lá agora o nosso Benfica a jogar,a entrar em campo, a marcar golos, a liderar o campeonato, a ganhar Taças, a desbravar o caminho europeu. Vejam e digam-me se o problema é do ambiente infernal ou da falta de unhas para se orientar um gigante destes?

Mais uma noite maravilhosa, mais um passo rumo ao título tão ambicionado. Mais uma demonstração de superioridade durante 90 minutos para todos aqueles que preferem jogar o campeonato da garganta durante 7 dias por semana com histórias de colo e túneis. Lamento muito interromper as vossas teorias mas o Benfica entra em campo e ganha. Ontem ,para vosso desespero, nem um lance polémico ficou por assinalar, nem um erro a nosso favor houve para se espumarem todos, nada ... foi limpinho novamente. O capitão Luisão foi lá acima e fuzilou a baliza dos Guerreiros do Minho que deviam mudar de nome para os Guerreiros dos Intervalos , altura em que fazem jus ao nome. Dentro de campo foram muito encolhidos.

Faltam 6 jogos, temos 6 pontos de avanço para o 2º classificado. Está tudo mais perto mas também está tudo ainda muito preso por um deslize, por uma noite infeliz. Ainda não está nada garantido. Portanto , olhemos em frente e vamos concentrar-nos no que falta.
São mais meia dúzia de semanas. De preferência a jogar duas vezes por semana que isto de andar a descansar à espera dos adversários é para Guerreiros de papel, os verdadeiros lutam é dentro de campo e querem sempre mais. Como eu. Como todos nós que estamos com a equipa desde o primeiro minuto da época.

Venha o Liverpool!

Benfica 1 - 0 Braga: Resumo


Highlights

Freekicker | MySpace Video

sábado, 27 de março de 2010

sexta-feira, 26 de março de 2010

Aranha?

Vamos ter um Aranha na Luz na próxima época?

Em 15 Dias Três Enchentes

Recepções a Sp. Braga, Liverpool e Sporting com perspectivas de lotação esgotada.
O Benfica-Sporting, da 26.ª jornada da Liga Sagres, será no dia 13, com início às 20.45 h

Anfield Road: bilhetes à venda terça-feira

O Benfica coloca à venda terça-feira (dia 30), nos locais habituais – bilheteiras da Luz (das 10 às 19 h), Casas do Benfica e Benfica Viagens, neste último caso com a viagem a Inglaterra no pacote – os ingressos disponibilizados pelo Liverpool para o jogo da segunda mão dos quartos-de-final da Liga Europa, dia 8, em Anfield. Preço dos bilhetes 44 euros.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Pedro Proença

Na Luz para o Benfica - Braga.

Braga Nunca Ganhou na Luz

Já se realizaram 53 recepções dos encarnados de Lisboa aos agora Guerreiros do Minho (nome adoptado pelo clube), desde a época de 1947/48, contabilizando-se 11 empates e... apenas uma vitória para o Braga. A proeza aconteceu a 31 de Outubro de 1954 — há pouco menos de 56 anos, portanto — e nessa temporada de 1954/55 o Benfica de Otto Glória caiu por 1-0 frente aos bracarenses, com um golo do treinador-jogador argentino Mário Imbelloni. Curiosamente, nesse ano o Estádio da Luz ainda se encontrava em construção e o desafio teve como palco o Jamor, o Estádio Nacional. Assim sendo, o Sp. Braga continua sem vencer para o campeonato no estádio do Benfica.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Viagens na Minha Terra

Estamos a meio da semana. Desde 2005 que não sentia uma ansiedade tão grande pelos dias de jogo como agora.
Aquilo em que muitos viram ser um terrível problema transformou-se numa adrenalina viciante e contagiante que me leva a ressacar quando estou muitos dias sem jogo do Benfica. Falo do ritmo de jogos que temos tido em 2010. Primeiro era o carregado mês de Janeiro onde se teve de despachar a fase de grupos toda da Taça da Liga mais os jogos do Campeonato. A seguir vinha o terrível mês de Fevereiro com jogos da Liga Europa, decisão na Taça da Liga com o jogo do ano para os nossos rivais verdes no WC e deslocações complicadas no Campeonato.
Tudo somado deu que me habituei a jogar duas vezes por semana sempre em grande pressão sempre a um ritmo elevado. Os meses vão passando e o Benfica não treme. Caminhamos para o fim de Março e ultrapassámos o Marselha seguindo na Europa, vencemos no Campeonato com passagem sempre difícil pela Choupana, e já temos o primeiro troféu oficial da época na Luz ganho numa final onde o FC Porto ia tentar ser... Porto.

Estamos a meio da semana. Já está tudo dito sobre a final de domingo e ainda faltam 70 e muitas horas para o jogo com o Braga. Não há jogo a meio da semana e eu ressaco. A ansiedade toma conta de mim. Nunca mais é sábado mas é boa altura para olhar para trás e pensar no que já corri desde Agosto.

Esta temporada não fui a Paços de Ferreira, a Olhão e falhei o jogo nos Barreiros contra o Marítimo. Vinguei-me na Choupana num belo fim de semana.
Ainda na pré época vi em Guimarães a conquista do Troféu da cidade berço, cheguei a ter viagem marcada para Amsterdão mas acabei por não ir.

Há muitos motivos que nos levam a gostar de viajar, isto partindo do principio que toda a gente gosta de o fazer. Eu tenho como motivação em conhecer novos destinos alguns destes aspectos: cultura musical, cultura futebolística, gastronomia, e locais emblemáticos.
Em Portugal posso dizer que conheço muito bem o litoral de norte a sul. No sentido norte muito à conta dos jogos do Benfica, a sul mais por festivais de música como o de Sines e Sudoeste.

Esta época revisitei o minho, Braga e Guimarães, Vila do Conde, Leiria, Setúbal, Matosinhos, conheci o Funchal e fui aos campos vizinhos de Belém e Campo Grande, não esquecendo o dia de grande festa em Torres Novas para jogar contra o Monsanto.
A última viagem foi ao Algarve. Foi diferente por razões sentimentais extra futebol. Conheci Silves e o seu belo Castelo e fui muito bem recebido em Poço Barreto! Dali a Faro é um instante e o fim de semana fica para sempre guardado na memória como aquele em que conheci Silves e o Benfica venceu a Taça da Liga. São viagens felizes, é o Benfica a servir de pano de fundo para conhecer mais de Portugal, tal como em outras ocasiões são os concertos longe de Lisboa.

Todas as temporadas guardo memórias de viagens à conta de jogos. Almoços, jantares, encontros, peripécias, há sempre momentos que ficam, mas na actual tudo leva a crer que as três últimas viagens sejam ainda mais intensas. Figueira da Foz, Coimbra e Porto são as cidades que faltam para um fim que se quer feliz.
Venha rápido o próximo sábado.

Nunca Mais...

... é Sábado!

( contagem decrescente no canto superior direito do Red Pass )

Maioria dos sócios aprova novos estatutos


A maioria dos cerca de 120 sócios do Benfica, reunidos terça-feira em Assembleia Geral, aprovou os novos estatutos do clube na generalidade, que prevêem que um associado só possa ser presidente a partir dos 33 anos.

"Está tudo bem encaminhado. O projecto ficou aprovado na generalidade. Foi uma votação esmagadora", disse o presidente da assembleia geral, Luís Nazaré, esclarecendo terem existido 2302 votos favoráveis, 20 abstenções e 20 votos desfavoráveis relativamente ao projecto.

Os sócios vão ter um período de 20 dias para sugerir alterações à proposta da comissão de revisão dos estatutos, devendo depois Luís Nazaré convocar nova reunião magna para analisar as mudanças e aprovar o novo documento na especialidade. O dirigente estima que estejam reunidas condições para marcar nova assembleia dentro de um mês.

No seu discurso, o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, frisou que "ao contrário do que alguns já insinuaram, esta revisão não tem em vista favorecer nenhuma posição pessoal, mas sim dotar o clube de estatutos modernos".

No futuro regimento do clube destaca-se a exigência de que os candidatos a presidentes dos órgãos sociais (Assembleia Geral, Direcção e Conselho Fiscal) tenham, pelo menos, 15 anos de sócio efectivo - maiores de 18 anos -, os últimos 10 dos quais consecutivamente, assim como a passagem dos mandatos dos actuais três para quatro anos.

Os estatutos aprovados em 1996 estipulam que os associados possam candidatar-se quer aos órgãos sociais quer à presidência destes, desde que perfaçam somente cinco anos de sócio efectivo, ou seja, a partir dos 23 anos.

terça-feira, 23 de março de 2010

A Final Vista por Lédio Carmona (Sportv Brasil)

O Benfica de 2009/10 é o melhor dos últimos 10 anos. Isso é indiscutível. A bola mostrada pelos Encarnados é um exemplo de como taca2um planejamento bem feito dá resultado. O plantel, invejável, é fruto de uma política formada por duas frentes. A primeira, confiar em jogadores que estavam em baixa, mas que já mostraram resultado. Acreditou na capacidade deles. Dela fazem parte Aimar, Saviola, Carlos Martins. A segunda, apostar em jovens sulamericanos que se destacaram em suas ligas. Di María, Cardozo, Alan Kardec, David Luiz (não chegou a se destacar por aqui), Ramires, Aírton. Com isso, criou um plantel completo, pronto para suprir ausências ou descansos, como hoje.

Do outro lado, o rival Porto vem fazendo o caminho inverso. Recheado de problemas políticos e com um planejamento confuso, está perdendo sua hegemonia na Liga. Negociou jogadores importantes como Lucho González, Lisandro López, Cissokho e não contratou à altura. Belluschi não mostrou ao que veio. Só Falcao está justificando seus milhões de euros.

Para ler tudo aqui Lédio Carmona.

Naval-Benfica

É oficial: 5 de abril, segunda feira às 21h com transmissão na RTP


-- Post From My iPhone

Naval-Benfica pode ser segunda-feira

Atendendo ao facto de o Benfica disputar, a 1 de Abril, a primeira-mão dos quartos-de-final da Liga Europa, frente ao Liverpool, a Liga estará a equacionar a possibilidade de alterar a data do jogo Naval-Benfica, da 25.ª jornada da Liga (jogos marcados para sábado, 3 de Abril), para 5 de Abril, uma segunda-feira.
Vamos ver como vai acabar mais esta novela já que o clube da Figueira da Foz já avisou que não vai facilitar mudanças de calendário.

David Luiz, O Nosso Rapaz Sem Nome em Discurso Directo



Entrevista de Paulo Alves, Jornal A Bola

PRIMEIRO Marselha, depois o Algarve, anda alto o astral do Benfica. Foi grande a festa pela conquista da Taça da Liga?

— A Taça da Liga já é passado, tivemos algumas horas para celebrar a vitória, mas a partir de agora já estamos concentrados no próximo jogo, porque para nós o próximo jogo é sempre o mais importante.
— Próximo jogo, ao qual o Benfica chega moralizadíssimo, é com o Sp. Braga e pode decidir muita coisa...

— É evidente que as vitórias moralizam o grupo, mas se queremos retribuir o apoio dos nossos adeptos temos de continuar a trabalhar todos os dias e encarar todos os jogos como se fosse o último, como se desse jogo dependesse o nosso destino. É isso que vai acontecer no próximo sábado, frente ao Sp. Braga.
— Tem-se falado e escrito muito sobre o seu futuro e vários têm sido os grandes clubes europeus interessados na sua contratação. Qual é o ponto da situação?

— Eu estou no maior clube do Mundo, não estou preocupado com o futuro, o Benfica é a minha casa. Quando vim para cá poucos acreditavam em mim, tinha 18 anos, mas o presidente Luís Filipe Vieira foi-me buscar e apostou sempre em mim. Aliás, o presidente tem sido a alma deste clube, tem estado sempre presente junto da equipa com sacrifício da sua vida pessoal e profissional. Portanto, o mínimo que eu posso fazer é retribuir com trabalho e o meu futuro está nas mãos dele. O que Luís Filipe Vieira disser será o meu futuro!

— Mas será normal que o seu momento de forma chame a atenção dos emblemas mais ricos do Mundo...

— Nesta equipa o que conta é o grupo e não as individualidades. Felizmente temos muitos jogadores que podem desequilibrar, mas o grande segredo desta equipa é o espírito de grupo que temos. Somos onze por um e um por onze, sempre! Durante os 90 minutos!

— É essa a fórmula de Jesus, o segredo na base do milagre que está a ser, afinal, colocar o Benfica a jogar mais do que o dobro da época passada?

— Muito deste novo espírito se deve a Jorge Jesus, com ele o grau de exigência subiu muito e isso reflecte-se jogo após jogo...

— Sentem, no balneário, que a conquista do título está cada vez mais perto?

— Temos sete finais a disputar e estou seguro de que com o apoio dos nossos adeptos vamos conseguir ganhar esses jogos rumo ao título que é o nosso grande objectivo.
— E a Liga Europa, onde o Benfica tem passeado classe com sucessivas boas exibições e goleadas?

— Se tivermos oportunidade vamos tentar chegar à final da Liga Europa, mas temos de ter os pés bem assentes na terra. Vamos enfrentar o Liverpool, uma equipa que vai apostar tudo nessa competição, que já não tem outros objectivos e que fará tudo para seguir em frente. Mas vamos entrar em campo para ganhar.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Queremos um Sumaríssimo !


(foto publicada no jornal A Bola, página 15, de 22 de Março de 2010)

E Agora, Algo Completamente Diferente

Artur Soares Dias arbitra o jogo do FC Porto na Taça de Portugal

Rei

Assinei em 5 Minutos


por J.A.

Foi Bonita a Festa, Pá!

Benfica 3 - 0 Porto: Resumo vídeo


Highlights

Freekicker | MySpace Video

Benfica 3 - 0 Porto



4º jogo do Benfica no Estádio do Algarve, 4ª vitória.
Tive a felicidade de ter estado nos 4 jogos que já fizemos no novo estádio do Algarve. O resultado final é: conquista de 3 taças, duas da Liga e uma Supertaça, e uma vitória no campeonato em ano de título. Digam lá que este Estádio não é encantador...

Dos 4 jogos que já vi neste recinto algarvio o de hoje foi o mais fácil, tranquilo e calmo.
Depois de perderem na Luz esperava hoje grande reacção do clube que viveu as últimas duas décadas obcecado com duas coisas: controlar arbitragens e promover o seu anti-benfiquismo.

Mas o que fui ver ao Algarve foi um jogo muito fácil para o Benfica, acabado de vir de Marselha, que jogou como quis e nem precisou de inventar muito para fazer um golo, bastou o Ruben Amorim chutar para o guarda redes Nuno nos explicar porque é são Porto.

A partir do 1-0 só deu Benfica, não me lembro de um remate à baliza de Quim digno desse nome e não me lembro de estar tão tranquilo na bancada a ver um clássico.
A bomba de livre directo do Carlos Martins mandou abaixo devez os portistas que ainda ensaiaram festa para o intervalo mas desta vez foram brincar aos túneis sozinhos porque a nossa malta ficou, e muito bem, no meio do relvado à espera que jogadores da bola e o Bruno Alves regressassem ao seu balneário.
Desta vez não há cá choraminguices.

Com 2-0 numa final de uma competição que o Porto queria vencer pela 1ª vez e porque era contra o Benfica viu-se uma 2a parte igual à 1ª. Dó deu Benfica outra vez. O Porto neste momento é uma equipa muito vulgar.
Quando Jesus começa a mexer na equipa a depressão de Jesualdo deve ter sido ainda mais profunda. É que a malta poupou Saviola, Cardozo, Ramires, Javi... O paraguaio entrou para fechar o resultado e somar mais um golo esta temporada.
A equipa do Benfica esteve novamente em grande. Não vou elogiar individualmente porque a verdade é que somos um conjunto cada vez mais forte, não interessa se o Fábio está cada vez melhor, ou se o Rubén e o Martins cumprem sempre que são chamados, ou se o Kardec já começa a ser mais um jogador muito querido do topo sul. O que interessa é que a equipa funciona jogue quem jogar e domina, marca, e vulgariza adversários. Hoje foi o Porto que em 2 jogos connosco leva um saldo de 0-4.

Já somos o clube com mais taças da Liga e acabamos a semana terrível que nos ia fazer o céu cair sobre a cabeça com 3 pontos na Choupana, 1/4 final da Europa ganhos em Marselha, e 3 secos ao Porto, que teve uma semana para preparar a final, que nos garantiram o primeiro troféu da época.
Acabou-se a conversa de que ainda não ganhámos nada, acabou-se a conversa dos túneis, só não sei como vão fazer para voltar a pôr a conversa em dia com o Pedroto a quem tanto prometeram há meses.

Primeiro troféu da época conquistado com grande classe e mais um belo fim de semana que passei atrás da minha equipa. Grande Benfica, grande vitória.

domingo, 21 de março de 2010

sábado, 20 de março de 2010

Voos baratos de Portugal para Liverpool?


Porto – Liverpool pela Ryanair
Lisboa – Liverpool pela easyJet
Faro – Liverpool pela easyJet e Ryanair

Voos low cost do Porto para Liverpool

A alternativa directa é operada pela Ryanair. A ligação Porto – Liverpool é estreada a 28 de Março e assegura movimentos ao domingo e quinta-feira.

A 8 de Abril há um voo com partida às 12h10 e chegada às 14h30. Se tiver tempo e disponibilidade, pode ficar mais uns dias a cidade e região e regressa no voo de domingo. Ida e volta, o transporte custar-lhe-á mais de 200 euros, a não ser que surja uma promoção bombástica.

Voos low cost Lisboa – Liverpool

Como a easyJet voa de Lisboa ao domingo, segunda, quarta e sexta-feira a melhor opção será ir um dia antes do jogo (voo às 14h50 – 17h30) e regressar no dia 9 de Abril (voo às 12h55 – 15h40). A preços actuais, já não consegue uma tarifa abaixo de 300 euros.

A Bmibaby fará Lisboa – Manchester à terça-feira e sábado a partir de 30 de Março. Liverpool, fica a 53km da cidade destino o que são cerca de 50 minutos de transporte. Se optar por esta alternativa, pode aproveitar para fazer umas mini-férias na região. Os voos estão a 120 euros, ida e volta.

Voos baratos de Faro para Liverpool

A easyJet tem voos ao longo da semana entre os dois aeroportos, alguns dias são operados duas vezes ao dia. Como a 8 de Abril só há voo de manhã e está a perto 200 euros, só num percurso, sugere-se a ida na manhã de quarta-feira e vinda na sexta-feira, 9 de Abril. Ida e volta ficaria menos de 200 euros.

A Ryanair faz Faro – Liverpool ao sábado, segunda, quarta e sexta-feira. Não havendo no voo no próprio dia sugere-se a ida na manhã 7 de Abril e regresso a 9 de Abril. O voo está a 110 euros.

Alternativas indirectas são operadas pela Jet2 que liga Faro a Manchester, que fica a 50 minutos da cidade. Há voo na quinta e sexta-feira durante manhã. Os preços de ida e volta estão na ordem dos 130 euros.

Voos low cost indirectos de Funchal para Liverpool

Não havendo alternativas directas, pode optar pelas ligações easyJet do Funchal para Bristol e Londres (Stansted e Gatwick). Ambas as cidades ficam a mais de 250 km da cidade dos Beatles. São 3 horas de transportes. Poderá também voar para Lisboa (easyJet) e Porto (Transavia) e escolher voos low cost ou regulares directos para Liverpool.

Final Online

A final da Taça da Liga/Carlsberg Cup será transmitida na íntegra e em directo também no site do Benfica. O Benfica-FC Porto começa às 19.15 h mas a reportagem inicia-se às 18 h.

Next Stop: Algarve



Algarve, aqui vou eu.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Ranking UEFA: afinal quem contribuiu mais nos últimos anos?

Total dos últimos cinco anos: 37.962

Contributo total nos últimos cinco anos:

Benfica: 10,870 (28,6%)
F.C. Porto: 10,786 (28,4%)
Sporting: 7,975 (21,0%)
Sp. Braga: 5,000 (13,2%)
V. Guimarães: 1,047 (2,7%)
Nacional: 0,916 (2,4%)
U. Leiria: 0,500 (1,3%)
V. Setúbal: 0,475 (1,3%)
P. Ferreira: 0,393 (1,1%)

Sistema de cálculo da UEFA:
São consideradas as últimas cinco temporadas. Para cada uma, considera-se o total de pontos conseguidos pelas equipas (2 por vitória, 1 por empate, metade destes valores nas pré-eliminatórias), dividido pelo total de equipas desse país que participam nas competições europeias do ano em causa.

A isto há que acrescentar cinco pontos de bónus por cada presença nos oitavos-de-final da Champions (era um ponto até à época passada) e, depois, nas duas provas, um ponto pelos quartos-de-final, meias-finais e outro ainda pela chegada à final. O acesso à ronda de grupos da Liga dos Campeões rende quatro pontos de bónus (eram 3 pontos até à época passada).

O ranking actual determina a distribuição das equipas nas provas europeias em 2011/12. Portugal terá duas equipas na Liga dos Campeões e quatro na Liga Europa. Em 2010/11, serão apenas cinco as presenças: duas na Liga dos Campeões e três na Liga Europa.

É Sempre a Abrir

21 de Março: F.C. Porto (final da Taça da Liga)

27 de Março: Benfica-Sp. Braga (24ª jornada da Liga)

1 de Abril: Benfica-Liverpool (Liga Europa)

4 de Abril: Naval-Benfica (25ª jornada)

8 de Abril: Liverpool-Benfica (Liga Europa)

11 de Abril: Benfica Sporting (26ª jornada)

O Respeito de Rafa pelo Benfica na Liverpoolfc.tv



"We know they are a good team and of course we have played them before in the Champions League.
They are a massive club with a lot of support from their fans and it will be a tough game."

"They are top of the table and playing really well at the moment. I know a number of their players well - Aimar, Saviola, Garcia - so we know they have a lot of quality.

"It's always important that the second leg is at home in front of our fans. We know we have to perform away and then play well at home. We have the confidence to do that and are looking forward to the games.

"Because we have played Benfica before they will know Anfield and so may not be as scared as other teams, but we have to do things properly and try to go through."

The Reds will face either Rafa's former club Valencia or Fernando Torres' former club Atletico Madrid if they progress to the semis - but for now the boss isn't looking that far ahead.

"You know my idea is always to take one game at a time," he added. "We are only thinking about Benfica at the moment. They are on a good run so it will be difficult."

Liverpool e depois Espanha

Liverpool - Benfica

Lá vamos nós para Anfield Road outra vez.

Liga dos Campeões: 1/4 Final




Meias-finais
Bayern/Manchester United-Lyon/Bordéus
Inter/CSKA-Arsenal-Barcelona

Próximo Adversário Europeu

Olhando para os 7 possíveis adversários acho que só o Valência é de evitar. Isto do ponto de vista desportivo. A confiança é tão grande que não receio nenhum dos outros clubes.
Depois vendo o assunto pelo lado turístico até o Valência pode calhar pois deve ser um belo passeio. Mas a minha preferência vai para o Fulham, adorava regressar a Londres para ver o Benfica jogar.
O Standard Liége dava para encarar a eliminatória com quase a certeza que passamos, portanto também era bem vindo.
Hamburgo fica reservado para a final, o Atlético de Madrid é a minha segunda escolha para regressar à bela cidade de Madrid e mostrar como se elimina os amigos Reyes, Simão e Quique.
O Liverpool é sempre bem vindo, é o meu clube estrangeiro preferido e já fui muito feliz em Anfield, o Wolfsbourg não me incomoda nada por me lembrar dos 3-0 que o Jesus lhes deu em Braga.
Venha quem vier é para ganhar.

CEM!

Sorteio Liga Europa: Próximo?



Fulham
Valência
St. Liège
Hamburgo
Liverpool
Atl. Madrid
Wolfsburgo

Marselha 1 - 2 Benfica


(Foto da amiga A.P.)

Então ainda não se tinham esquecido da mão de Vata? Não faz mal, passam a conhecer os pés de Maxi e Kardec!

O tão desejado reencontro dos franceses com o Benfica voltou a dar desfecho favorável ao SLB. Hoje, como há 20 anos, estamos a festejar uma eliminação de uma equipa muito mais cara que o Benfica e com grandes aspirações europeias.

Na Luz o Marselha impressionou pela forma como anulou a maior parte do tempo o ataque do Benfica mostrando-se perigoso no contra ataque acabando por marcar no último minuto fazendo um empate que todos reconhecemos como justo. Foram felizes por terem visto uma bola bater na barra da baliza e depois Ben Arfa colocar a eliminatória do lado francês.

Jesus explicou que o OM estudou muito bem a lição e o surpreendeu com algumas mudanças tácticas mas que no Velódrome o jogo ia ser diferente, com golos e o Benfica a passar.
Não só tinha razão como ainda montou uma equipa que deu um autêntico festival de futebol no tal ambiente muito adverso cheio de franceses sedentos de vigança.

A 1ª parte foram 45 minutos de intenso prazer a ver o Benfica jogar à bola. É que só para nos deliciarmos com este futebol e sentir que só com alguma anormalidade não iamos ser felizes.
A primeira anormalidade foi um esloveno que resolveu tirar a noite para gozar com os benfiquistas. Critério caseiro, normal neste jogos da UEFA, e descaramento total ao não apontar dois penaltis óbvios por empurrão a Ramires e mão na área.
A segunda anormalidade teve a ver com a quantidade de golos que Di Maria, Cardozo, Saviola, Luisão e companhia falharam ao longo de 90'! Podia ter sido uma das goleadas já comuns esta temporada, mas ninguém acertava na baliza.

Nós estamos a fazer uma campanha europeia fantástica e hoje podia ter sentido algum receio de ser eliminado mas a verdade é que a qualidade do nosso futebol afasta qualquer tipo de receio e sinto uma estranha tranquilidade ao pensar que podemos seguir em frente.
Depois de tanto desperdício veio o golo do Marselha. Tirando um remate do Lucho pouco ou nada tinham feito para merecer a vantagem.
Nem aí vacilei porque na prática estava tudo na mesma, continuávamos a ter que marcar um golo para reentrar na discussão.
O que se passou a seguir ao golo do OM foi o mesmo que já tinha testemunhado na Choupana, perante a adversidade a equipa une-se ainda mais e atira-se com mais força para a baliza contrária e foi com naturalidade e alívio que gritei o golo de Maxi Pereira. Que grande golo, que grande jogo, que grande herói é o nosso Maxi que marcou 2 golos aos franceses.

Queriam vingança do Vata, então tomem lá mais um nome só de 4 letras para se entreterem para os próximos anos: Maxi!

Mas ainda ninguém estava satisfeito. Era óbvio que íamos forçar a resolução da eliminatória ainda no tempo regular porque não temos tempo a perder!

Entra Kardec (eu disse que ia facturar tal como o Jesus lhe disse) entra o Aimar e forcing final para acabar com a questão.
Aimar marca o livre a bola sobra para Kardec que mostra como é que se justifica uma contratação num só remate.
O festejo do Kardec é também ele épico! Correr para os nossos adeptos, tirar a camisola e atirá-la continuando a correr e a festejar chegando ao ponto de a perder e ter de sair de campo à espera de outra é simplesmente fantástico! Grande Kardec.

O super Marselha da Luz hoje foi vulgarizado. A milionária equipa francesa que tinha aspirações na Champions sendo depois uma das principais candidatas na Liga Europa foi despachada com uma exibição que arrasou uma arbitragem vergonhosa contra nós, um ambiente quente e sedento de vingança, e uma equipa marselhesa que não teve capacidade para responder a tanta classe encarnada como reconheceu Deschamps no fim do jogo.
Acabarem o jogo com o herói da Luz após 1 minuto em campo a ser expulso de raiva é uma bela imagem que fica deste Marselha

Mais uma noite épica para o nosso glorioso historial europeu, mais um passo rumo ao Mónaco tal como eu tinha dito ao Jesus na Gala do Benfica.
A semana terrível que tantos pensavam que ia ser negra está a ser mais uma das melhores de sempre das nossas vidas!

Tal como tinha dito ontem à tarde:
Que este êxito europeu seja dedicado ao grande Julinho!

A alma benfiquista europeia está de volta:
Júlio César; Maxi Pereira (Miguel Vítor, 90+4 m), Luisão, David Luiz e Fábio Coentrão; Javi García, Ramires, Carlos Martins (Kardec, 86 m) e Di María; Saviola (Aimar, 77 m) e Cardozo.

O Golo 100 da Temporada na Benfica TV

quinta-feira, 18 de março de 2010

KARDEC!

SUPER MAXI

Épico!

(Mais Uma Vez) à Pedrada!


Ora aí está o exemplo perfeito de como transformar o agressor em vítima.
Nesta peça jornalística(?) da SIC tenta-se passar a ideia que os malfeitores de Madrid invadiram Alvalade com o objectivo de espalhar violência.
Obviamente os adeptos do Atlético Madrid também queriam acabar com a eliminatória à pedrada.
E durante uns bons 6 minutos narra-se uma história que ignora um pequeno "pormenor". Aliás, como é hábito nestas reportagens. Sim, os adeptos madrilistas saíram do autocarro a correr e furiosos mas porque estava um pacato rapaz a atirar pedras atrás de pedras aos autocarros parados com os adeptos lá dentro. É ver com alguma atenção logo no início das imagens no canto esquerdo quem começa a arremessar calhaus. Talvez a rapaziada dos calhaus não estivesse à espera de uma investida em força dos espanhóis, mas isso já é outra conversa.
O que há a reter de (mais) um episódio com pedradas é que a reportagem ignora por completo quem começa a festa, que os intervenientes comuns aos episódios de Alcochete, das pedradas em Alvalade a pedir a demissão do Paulo Bento, e das pedradas de hoje no Campo Grande são sempre os mesmos vestem de verde e branco. Todos dignos de um clube que tem um Team Manager com a função de pedir hostilidade a adversários em noites europeias.
E assim se explica mitos como aquele do campeonato de juniores.

Faleceu Julinho


(foto publicada no Vedeta ou Marreta?)

Faleceu Julinho, herói da Taça Latina.
Em 269 jogos oficiais marcou 272 golos.
Tinha 90 anos. 90 anos de Mística.
Que o êxito europeu de logo seja dedicado ao grande Julinho!

Recordem toda a carreira de Julinho no Vedeta ou Marreta?

É para Rir?!

Jorge Sousa em Faro!

O Auge da Época: Todos Contra o Benfica



É a melhor semana de toda a época. Uma daquelas semanas à antiga. Daquelas que dantes eram conhecidas como " a terrível semana de Março".
Quando se chega a Março na luta em 3 competições é sinal que desde Agosto a equipa está a trabalhar bem.
No campeonato na próxima jornada recebemos o Braga instalados no 1º lugar com 3 pontos de vantagem sobre os minhotos e já com a garantia de lotação esgotada na Luz.
Na Taça da Liga jogamos a 2ª final seguido. Depois da vitória contra o Sporting temos uma final contra o Porto no Algarve.
Na Liga Europa jogamos esta noite mais uma etapa de uma excelente carreira que começou em Agosto e que tem encantado adeptos e comentadores europeus com algumas noites inesquecíveis. Hoje vamos a jogo com os franceses do Marselha que vieram aqui parar depois de terem construído uma equipa para jogar a Champions onde foram ultrapassados por Real e Milan.

É muito jogo, muita competição, muitos adversários ao mesmo tempo e nós até nos sentimos pressionados com tanta gente a querer abater o Benfica. Ainda na 2a feira estava no Funchal a saborear a complicada vitória sobre o Nacional e já a minha cabeça estava a mil com a leitura dos jornais. Cada página é dedicada a um novo adversário.
Os Corruptos que nunca ligaram nenhuma à taça da Liga agora anseiam a chegada do domingo como se tratasse do jogo da época. Quer dizer, para eles é mesmo o jogo da época! Quem diria que os batoteiros do penta se iam resignar a salivar por uma taça de cerveja?!
O Braga sorri e todos os dias fala no grande jogo de dia 27. Não têm nada para fazer até lá e já só pensam em nós e em afirmar que a enchente da Luz não os incomoda e que agradecem o apoio dos nossos rivais.
O Marselha fala com respeito do Benfica, o seu treinador afirmou que a nossa equipa é de Liga dos Campeões e que não se fia na vantagem do golo fora para cantar vitória. Estão preocupados e sabem que a luta vai ser dura porque este Benfica marca em qualquer lado como já lembrou Jesus.

É tão bom sentir assim o Benfica. Estamos em grande temos 3 grandes adversários à nossa espera em 3 competições diferentes. Não haverá neste momento muitas equipas com estas expectativas nem respeitadas como nós. Está a ser uma excelente época e o mais importante é que enquanto os adversários só pensam em nós esperando pacificamente, nós estamos numa caminhada de ritmo intenso que não nos permite pensar nem temer ninguém já que não temos tempo nem para olhar para trás e ficar a saborear as vitórias, nem de olhar muito para a frente calculando o que nos espera. Só olhamos para o presente dia a dia e com uma moral vitoriosa que nos enche de confiança. Venha quem vier.
Hoje é no terrível ambiente do Velodrome em Marselha. É para os eliminar. Depois tratamos dos outros. Chegamos para todos. A caminhada continua sólida aconteça o que acontecer porque a mentalidade está sempre mais concentrada no objectivo maior que é ser campeão de Portugal pela 32ª vez. O resto são deliciosos bónus que temos ganho e que queremos aproveitar. Hoje é noite europeia e é para ganhar. Amanhã já pensamos em Faro. Não dá para lamber feridas, nem para festejar passagens.
É sempre em frente rumo ao Marquês.

Marselha - Benfica

quarta-feira, 17 de março de 2010

Convocados para Marselha

Guarda-redes: Júlio César, Moreira e Quim;

Defesas: Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, Miguel Vítor e Sidnei;

Médios: Airton, Ramires, Javi Garcia, Pablo Aimar, Di María, Ruben Amorim, Carlos Martins, Fábio Coentrão e Felipe Menezes;

Avançados: Saviola, Cardozo, Nuno Gomes, Éder Luís, Kardec e Weldon.

Crónica da Viagem à Madeira: Uma Ilha Sem Identidade Futebolística



As expectativas

Nunca tinha ido à Madeira mas já há muito que queria conhecer a ilha. Uma viagem ideal, na minha modesta opinião, tem sempre como objectivo principal ver o Benfica jogar, conhecer a gastronomia local, descobrir cultura musical e passear de copo na mão pelos locais emblemáticos e típicos.
O problema que se tem colocado para acompanhar o Benfica na Madeira tem a ver com a vergonhosa falta de organização que impera no nosso futebol. É um risco marcar uma viagem com muita antecedência, factor determinante para conseguir um viagem económica, porque é perfeitamente possível que um jogo que está marcado para domingo por defeito venha a calhar numa sexta ou numa segunda feira. Teria que marcar uma viagem de quinta a terça para ter a certeza que não perdia o jogo. Por isto nunca arrisquei reservar vôo antes.

Esta época quando o calendário de jogos começou a desenhar-se com mais clareza ficou evidente que o jogo da Choupana ficava no meio da eliminatória com o Marselha jogada à 5a feira. Assim foi fácil obter confirmação junto do Benfica que o jogo com o Nacional seria num domingo. E lá marquei viagem de sábado a segunda feira. Mesmo assim só suspirei de alívio uma semana antes com a confirmação oficial da Liga. Seria bom que as cabeças pensantes do nosso futebol um dia reflectissem sobre este assunto para o bem de todos os adeptos e das finanças dos clubes.

Já depois da reserva feita acontece a tragédia que todos sabemos na Madeira. As expectativas mudaram e a curiosidade em saber ao que ia aumentou. Por outro lado tinha ideia que na Madeira havia grande interesse por futebol com os adeptos divididos pelo amor ao Marítimo e Nacional e unidos pelo ídolo Cristiano Ronaldo.
Pelos amigos ilhéus que tenho aqui em Lisboa também esperava ser muito bem recebido no Funchal.

Uma Ilha Sem Identidade Futebolística

Depois de 3 dias passados na Madeira é com admiração e alguma desilusão que afirmo que não senti na ilha qualquer tipo de ligação ao futebol regional. Será culpa das minhas altas expectativas que apontavam para uma ligação do tipo que conheci no Minho ou em Setúbal, por exemplo.

Se há coisa que gosto de fazer nas minhas viagens é entrar em diálogo com os locais para saber das suas preferências clubisticas, conhecer melhor o futebol da região, e partilhar histórias dos nossos clubes. Tem acontecido assim em Londres, Barcelona, ou Madrid, por exemplo, e por cá um pouco por todos o país.
No Funchal não é nada fácil falar de futebol. Não encontrei um único adepto fiel do Marítimo ou do Nacional durante a nossa estadia em restaurantes, cafés, bares, etc. Ou encontrávamos benfiquistas que nos tratavam muito bem (aqui deixo um grande abraço ao adepto que conheci nas ponchas tradicionais da Venda do André na Quinta Grande que se ofereceu para pagar uns copos e que reencontrei no Estádio) ou ouvíamos como resposta que não eram nem do Nacional nem do Marítimo, torciam pelo Porto!
Isto a juntar a um generalizado mau feitio mostrado quando percebem que somos "continentais" não deixou grande imagem dos habitantes madeirenses. Fiquem a pensar na onda de solidariedade à volta da Madeira depois da tragédia.
Por falar nisso há que dizer que , pelo menos, na Avenida do Mar, a mais emblemática a nível turístico, quase não se nota o que ali aconteceu há semanas. Tudo operacional, tudo limpo, apenas alguns trabalhos finais ainda a decorrer. Quem não souber o que aconteceu nem desconfia.

Voltando ao futebol, nem parece que um dos melhores jogadores do mundo é natural daquela ilha. Nem uma imagem do CR9 pelas ruas...


Gastronomia e Paisagens Aprovadas

Como pontos muito positivos da viagem ficam as provas gastronómicas e as bonitas paisagens naturais da ilha.
A cerveja coral é muito boa e acompanhou-nos, literalmente, desde a chegada à partida. Fica o tributo às espetadas com osso, ou sem ele, em pau de louro com batatas fritas com alhos e orégãos do restaurante As Vides.

Fica no Estreito de Câmara de Lobos perto da igreja (Tel: 291 945322).
Pelos cafés/restaurantes do Funchal os pregos em bolo do caco também se aconselham e fique fã do peixe bodião, lapas, e ovas fritas.
Por último fica a sugestão das excelentes ponchas tradicionais na Venda do André na Quinta Grande. Uma casa no meio de uma estrada com uma vista magnífica.
Pela gastronomia a viagem à Madeira é para repetir.

Um Estádio de Acessos Surreais

Ainda não sei o que dizer do Estádio da Madeira. As instalações são excelentes. Tudo moderno, vista excelente para os adeptos que se sentem quase dentro de campo. Um estádio para 5 mil pessoas muito bem arranjado.
O pior é lá chegar.
O recinto fica lá bem no alto e a estrada não tem capacidade para receber 500 adeptos em dia de jogo quanto mais 5 mil!
A melhor comparação que consigo fazer é levar o leitor a imaginar que no lugar do Palácio da Pena em Sintra estava um estádio com capacidade para 5 mil pessoas. É imaginarem aquelas estradas cheias de curvas completamente paradas com carros.
Houve ali uma altura que desesperei no carro que ia a guiar e pensei que nem no intervalo chegava lá. Acabámos a subir a pé o resto do caminho enquanto uma condutora se ofereceu para ir estacionar o carro.
O pior foi no fim do jogo quando percebemos que o carro ficou a KM's de distância num caminho sem luz no meio do que me parecia ser um bosque. Enfim, uma experiência única. Se algum dia forem à Choupana ver um jogo vão 5 horas antes do jogo e preparem-se para o frio e humidade que sente bem lá no alto da ilha.
Um cenário que podia ter sido imaginado por David Lynch.

Um Final Feliz

Em jeito de resumo foi uma viagem agradável.
Decepcionante porque não esperava tamanho distanciamento por parte dos madeirenses em relação a nós (continentais) e julgava que uma região com dois clubes históricos na 1ª divisão nacional e com presenças regulares nas provas da UEFA teria uma identidade forte com as suas equipas.
Positivo, toda a gastronomia madeirense, ponchas e coral à frente, a beleza natural da ilha, os imensos benfiquistas locais, e a grande vitória do Benfica!
Provavelmente haverá regresso à ilha.


P.S.:um grande bem haja ao "Catenaccio" e sua mulher que forneceram algumas das fotos que ilustram este texto.

terça-feira, 16 de março de 2010

Nacional 0 - 1 Benfica



Crónica de jogo excepcionalmente atrasada mas pelas melhores razões. Cheguei da minha primeira visita ao Funchal há umas horas. Foi uma estreia feliz numa época que, cada vez mais, promete ser inesquecível.
Voltemos então às 18h de domingo. Chegada muito esforçada às bancadas do Estádio da Madeira. Para quem nunca foi ao recinto não faz ideia o esforço e a paciência que são precisos para cumprir o objectivo de entrar na bancada e ver o início do jogo. Falarei mais detalhadamente dos acessos a este estádio que mais parece um castelo no alto da ilha.
Diziam os locais que era a maior enchente que aquele recinto já recebeu depois de erguer a segunda bancada, que já tinha sido inaugurada num jogo contra nós.
Lotação esgotada, 5 mil adeptos a criarem um excelente ambiente e o Benfica (mais uma vez) a jogar em casa sendo o encarnado e branco as cores que dominavam o cenário.

Muito apoio local e significativo o número de adeptos que, como eu, viajaram de Lisboa.
Repito o que já escrevi noutras crónicas, actualmente o que mais me entusiasma neste Benfica é estar no estádio a ver o jogo e sentir que a nossa equipa está sempre por cima. Sempre a pensar no golo, sempre em postura atacante. Sinto que a vitória é sempre possível e isso empolga os adeptos que não poupam apoio vocal à equipa criando um elo de ligação praticamente invencível. Os jogadores mostram a vontade e qualidade, nós mostramos o caminho para a baliza empurrando-os fazendo da casa dos outros a nossa casa.

Mesmo que tarde em aparecer o golo, ir para o intervalo a zero nunca é bom, a intranquilidade nunca se instala porque ninguém deixa de acreditar.

Diga-se que no Estádio da Madeira a experiência de ver um jogo é boa. Excelente visibilidade e lugares bem em cima do relvado o que permite ver com todos os detalhes as incidências da partida.
Por isso digo que me ficou a ideia que Di Maria, Aimar, e especialmente Saviola na segunda parte estavam em grande esforço físico. Mas percebe-se que sabem gerir as suas energias para aparecerem nos momentos certos e não tenho dúvidas que vão aguentar bem os 7 jogos que faltam.
A maneira como Jorge Jesus vai acertando a equipa também me descansa. Chegamos a Março e percebemos que tem havido muito trabalho e evolução táctica na equipa. Com facilidade Ramires passa da direita para o centro, Di Maria passa de extremo a "10". Maxi Pereira entra a frio para médio direito, Sidnei reforça o meio campo defensivo, enfim há muitas soluções dentro do plantel que são trabalhadas por Jesus.

O momento em que Cardozo falha o penalti deixa-me desolado. Mas apenas e só nesse preciso momento. Noutros tempos seria meio caminha andado para a equipa desmoralizar e com algum jeito ainda se perdia o jogo. Actualmente a resposta a estes azares, para não lhe chamar outra coisa, é imediata, forte e contagiante. Se não entrou ali vai entrar a seguir. A equipa cresce, aumenta a pressão, sobe no terreno e vais desalmadamente à procura do golo. Tanto que depois do momento do falhanço de Cardozo ao golo marcado só se ouvia Benfica nas bancadas. Grande jogada de Ruben Amorim, e o "7" redimiu-se correndo para nossa bancada onde se festejou conjuntamente o golo que nos dava mais 3 pontos. Jogadores, directores, equipa técnica e os adeptos sempre presentes ali num canto da Choupana em minutos de extâse total. É por momentos destes que todos nós acreditamos neste Benfica. Foram aqueles segundos que deram todo o sentido à viagem.
Depois podíamos ter ampliado a vantagem como de costume mas a pontaria estava desafinada e teve que ser Quim a gritar que também podemos contar com ele. Não tem sido hábito mas na Madeira o nosso guarda redes segurou os 3 pontos com uma fabulosa defesa e dá-nos tranquilidade para o resto da época também na nossa baliza.

Uma vitória na nossa saída mais complicada (sem contar com o Dragão) nesta recta final de campeonato. Podia ter sido mais robusta e tranquila mas soube na mesma muito bem.
Grande estreia a nível pessoal em jogos no Funchal.
Siga o caminho rumo ao título!