origem

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Benfica 1 - 0 Porto



Se isto fosse uma análise política diria que o clássico teria sido um Congresso importante e que o destaque ia para o discurso para dentro.
O que é o discurso para dentro em política? É quando o partido orienta o seu discurso para os próprios militantes, com recados, avisos, e com factos evidentes com objectivo de unir esse partido.
Ontem foi isso que aconteceu na Luz.
Mais do que uma vitória sobre um rival, mais do que um grande motivo de alegria, esta foi uma vitória para todos os benfiquistas que passaram a semana toda pessimistas. Ouvi e li depois do jogo de Olhão que vinham aí tempos de desgraça. Cheguei a ler qualquer coisa como perder com o AEK para tentar ganhar o Porto. Ia ser terrível, lesionados, castigados, engripados...

Não houve ninguém que ficasse mais desiludido que eu com o jogo no Algarve. Escrevi aqui que podia ter sido a nossa Trofa deste ano. Mas também destaquei que o golo de Nuno Gomes pode ter ajudado a fugir a essa fatalidade. Era preciso saber aproveitar bem esse ponto de vantagem sobre o Porto.
Na 5a feira escrevi aqui que não admitia essa conversa de perder um jogo para ganhar outro, o Benfica joga sempre para ganhar. Também fui dizendo a todos os benfiquistas desmoralizados que a nossa História está repleta de grandes feitos em altura de maior aperto no plantel, ou em contextos adversos. Ninguém queria saber. Era o Di Maria, o Coentrão, o Aimar, o Ramires...
Sempre fui dizendo que este Porto sem o Lucho e sem o Lisandro não é bem a mesma coisa que vimos noutros anos.
A verdade é que sentia que mesmo sem estarmos na máxima força tínhamos mais equipa que o Porto, e que esta era altura decisiva para vencermos. Em Alvalade não ganhámos, em Braga perdemos, contra o Porto a equipa tinha que mostrar ser mesmo capaz de saltar para a frente.

Foi o que aconteceu esta noite. Ganhámos e ganhámos muito bem. Mostrámos que somos superiores ao Porto, desmascarámos aquela falsa confiança toda de Jesualdo que vinha a Luz para ganhar mas que chega a Lisboa e amedronta-se, como sempre, e prescinde do melhor atacante que o Porto tem nesta altura, o Varela, para apostar na psicologia do Cebola (mole), e do Falcão, que ao olhar para o ambiente da Luz deve-se ter arrependido muito da sua escolha no verão. Este Porto depende do acerto do Hulk e neste clássico o avançado foi pouco menos que ridículo.

Para todos os benfiquistas tão preocupados com as ausências as respostas em campo foram mais que muitas. Urreta na esquerda fez esquecer o inconstante Di Maria e arrancou uma excelente exibição. Carlos Martins foi titular e esteve muito bem a defender e a atacar conseguindo um raro equilíbrio emocional. Ramires mesmo por arames foi sempre determinante a fechar as opções de ataque do Porto e ainda ajudou na construção. Como viram não havia que ter tanto receio.

Mesmo porque as equipas que vêm à Luz por muito forte que sejam quando se deparam com aquele ambiente baixam logo a voz. Podem estar a semana toda com a conversa que não têm medo e que vão para ganhar, mas depois lá dentro a conversa é outra e quando o estádio cheio puxa todo para o mesmo lado com a intensidade que se viu ontem as equipas visitantes sentem o ambiente. Por isso não precisamos de pessimistas. Vamos ter mais lesões, mais castigos, e outras contrariedades mas não podemos baixar a cabeça antes de entrar em campo.
Espero que a vitória de ontem tenha servido de exemplo para a nação benfiquista sempre tão exigente para com a sua equipa sempre tão fatalista ao primeiro acidente, sempre tão desconfiada do seu real valor.

O Benfica acaba o ano à frente do campeonato com o surpreendente Braga. Deixou o Porto a 4 pontos. Como bónus estamos a assistir a uma campanha cómica dos nossos eternos rivais e vizinhos que chegam ao Natal a 12(!!) pontos de nós. O que querem mais os benfiquistas desconfiados?
Vão comprar um Red Pass para 2010 e acreditem no Benfica, se não formos nós a acreditar e a carregar os nossos jogadores quem será?
Saviola e Javi Garcia mereceram desconfiança de tanta gente há meio ano. E agora?
Grande noite, grande vitória.
Um bom Natal para todos vós...

7 comentários:

  1. Um dos mais lucidos comentários acerca da equipa do Benfica...
    e eu...
    que nunca vacilo...cheguei a vacilar após Olhão...mas durante a semana pensei...
    "então mas o quê?...EU SOU BENFICA...medo de quem?

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. E o ambiente nas bancadas caro JG? Brutal...normalmente nos jogos grandes o nervosismo vence e a malta tende a ver mais do q cantar. Mas ontem não foi assim...foram 90 minutos sempre a bombar...e por todo o estádio. Mas o piso zero da Sagres estava ao rubro...os canticos saiam quer do vosso lado quer no meu que é na outra ponta...aquilo foi lindo.

    Grande vitória. Grande prestação.

    Viste o David Luiz no final? Fantástico!!!!

    ResponderEliminar
  3. parabéns, João. não há muito a dizer sobre a justiça da vitória do benfica

    eu ia dizer que na segunda-volta cá vos esperamos mas o mais provável é aparecer outra equipazinha sem sal do mestre jesualdo.

    a nossa equipa é melhor do que a que todos vimos ontem mas quando é preciso ir à luta sobra o bruno alves, o helton e pouco mais.

    ResponderEliminar
  4. Grande comentário!

    Tal como editor69 também eu não costumo vacilar, mas depois de Olhão...

    O que vale é que das coisas que mais gosto no futebol é enganar-me (para melhor, obviamente) num prognóstico ou análise.

    Um Feliz Natal para si também :)

    ResponderEliminar
  5. Como ontem já disse em outro comentário, volto a repetir..."No domingo ganhamos um plantel...!!!"

    ResponderEliminar
  6. Saíram goradas as expectativas daqueles que tinham a certeza de que o Benfica cairia na classificação do campeonato nacional de futebol no final de Dezembro. Os dias que antecederam o último jogo com o FC Porto revestiram-se de chorrilhos arrogantes por parte do adversário, de que a vitória deste era um facto consumado. Profetas da desgraça travestidos de comentadores desportivos e cartomantes que adivinhavam o onze encarnado, alinhavam-se com os fazedores de notícias em que elementos ligados ao Benfica tentaram agredir e intimidar presidentes de outros clubes bem como árbitros. Como não bastasse o circo montado, na jornada anterior, em Olhão, uma equipa local estranhamente aguerrida amputou o Benfica de importantes atletas. No Domingo passado, a trupe falhou redondamente porque simplesmente menosprezou o dístico da bandeira encarnada - "E pluribus unum" - um entre muitos; uma simbiose de união, esforço, garra e sacrifício que catapultou a vitória.

    http://dylans.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar